Ambiente de trabalho: como melhorar o clima organizacional

0
Share

Um bom ambiente de trabalho é essencial para a produtividade.

O clima organizacional é o termômetro da qualidade de vida e bem-estar dos colaboradores, que determina seu nível de satisfação com a empresa.

Na era da gestão de pessoas, com o capital humano no centro da estratégia, as atenções se voltam para a opinião do público interno.

Afinal, o que acham, pensam e sentem os colaboradores a respeito da empresa?

Essa pergunta é fundamental para revelar o quão engajados e motivados eles estão, e, consequentemente, o quanto contribuem com o sucesso da organização.

Uma percepção positiva pode ser o diferencial competitivo que sua empresa necessita, daí a importância de melhorar o clima organizacional.

Dito isso, vamos destrinchar os seguintes tópicos:

  • O impacto do ambiente de trabalho na produtividade
  • Estratégias para melhorar o ambiente de trabalho
  • Características de um bom ambiente de trabalho
  • Inovações tecnológicas para melhorar o ambiente de trabalho.

Quer construir um ambiente mais saudável? É só ler com atenção.

Ambiente de trabalho: resultados e impactos

Como o ambiente de trabalho impacta diretamente na produtividade e resultados dos profissionais, merece atenção redobrada.

O conjunto de percepções dos colaboradores sobre a estrutura, valores e práticas da empresa compõe o clima organizacional, que representa o estado de ânimo e nível de satisfação das pessoas em relação ao ambiente.

Logo, o mínimo conhecimento sobre o comportamento humano e suas necessidades já é suficiente para conectarmos o clima organizacional ao desempenho dos colaboradores.

Vale lembrar da clássica Pirâmide de Maslow, que traz a hierarquia das necessidades humanas por ordem de importância.

De acordo com o psicólogo americano, as pessoas precisam satisfazer suas necessidades fisiológicas, de segurança, sociais/afetivas, de estima e realização pessoal.

Se antes as empresas acreditavam que bastava oferecer um ambiente seguro e devidamente equipado, hoje os profissionais precisam de mais do que isso.

Ou seja, atender às necessidades fisiológicas e de segurança é somente a parte obrigatória por lei, que prevê as normas de segurança ocupacional e condições trabalhistas.

O que os novos talentos querem mesmo é reconhecimento, relacionamentos de qualidade, incentivos à autoestima e oportunidades de realização plena.

Cientes dessa mudança, os profissionais de RH têm se dedicado à gestão estratégica de pessoas, o que inclui a busca constante por um clima organizacional positivo.

Afinal, os profissionais da nova geração valorizam – e muito – um ambiente de trabalho inspirador, flexível e inteligente.

Prova disso é que 90% dos profissionais consideram o ambiente de trabalho moderno como um critério decisivo para escolha da empresa, segundo estudo do Ibope Conecta, encomendado pela Microsoft.

Já um estudo de 2017 da Sodexo Benefícios e Incentivos revelou que a nota média do brasileiro para a qualidade de vida no trabalho é 6,5.

Esse resultado modesto pode ser explicado pelo alarmante fato de que 56% dos trabalhadores formais estão insatisfeitos com seu trabalho no Brasil, segundo o IBGE.

E quer saber o pior? A ciência afirma que o ambiente de trabalho ruim é contagioso e que o estresse se espalha como um vírus.

Esse dado vem de uma pesquisa da Universidade Harvard publicada no El País, que identifica as chamadas “unidades de trabalho tóxicas”.

O estudo mostrou que 53% dos trabalhadores consideram o estresse como o principal problema de saúde ocupacional, e que o mau humor se alastra pela empresa como eletricidade através dos cabos.

Em termos financeiros, o ambiente de trabalho precário e estressante custou mais de 20 bilhões de dólares à União Europeia em 2017, incluindo os dias de trabalho perdidos e custos de saúde associados.

Será que sua empresa já teve prejuízos por conta do clima organizacional?

É possível que sim, pois o problema é muito comum e representa um dos grandes desafios do RH.

Independentemente do clima atual, vamos aprender a mudar essa realidade.

Como melhorar o ambiente de trabalho

A melhor estratégia para melhorar o ambiente de trabalho depende de fatores como a cultura da empresa e necessidades de seus colaboradores.

Reunimos alguns passos essenciais para ajudar você nessa missão:

1. Comece pela pesquisa de clima

Antes de pensar em melhorar o ambiente de trabalho, é preciso avaliar o nível de satisfação atual dos colaboradores e suas percepções sobre a empresa.

A melhor ferramenta para esse fim é a pesquisa de clima, que coleta dados valiosos para análise da atmosfera psicológica da empresa, bem como suas forças e fraquezas.

Alguns exemplos de indicadores para pesquisa de clima são:

  • Estado de tensão: descreve o quanto as pessoas estão tomando atitudes movidas pela razão ou emoção
  • Humanização: mede o quanto as pessoas estão recebendo tratamento humanizado
  • Tolerância percebida: reflete o nível de tolerância com os erros das pessoas, a partir de perspectivas construtivas ou punitivas
  • Justiça predominante: descreve o grau de imparcialidade e justiça aplicados às decisões da liderança
  • Reconhecimento: mede a satisfação com as políticas de reconhecimento e valorização dos profissionais
  • Condições de progresso: define o quanto a empresa se compromete em oferecer oportunidades de crescimento e avanço profissional
  • Autonomia: verifica o nível de autonomia para tomada de decisão e apresentação de ideias.

A partir desses resultados, é possível elaborar um plano de ação para melhorar o ambiente de trabalho de acordo com as motivações dos colaboradores.

2.   Fortaleça a cultura da empresa

A cultura organizacional é o conjunto de normas, valores e princípios que constrói a imagem da empresa e representa sua essência enquanto organização.

Enquanto o clima organizacional é aspecto temporário e transitório, a cultura se consolida ao longo do tempo, sedimentando a identidade da empresa.

A própria forma como os colaboradores se relacionam é cultural, portanto é fundamental construir uma cultura sólida baseada em um propósito.

De acordo com a pesquisa Global Talent Trends Study: Unlocking Growth in the Human Age da Mercer, 75% dos profissionais qualificados escolhem as empresas por afinidade de valores e crenças e valorização do bem-estar no trabalho.

Ou seja, uma cultura forte pode facilitar a atração de talentos acima da média, que são os ativos mais preciosos para uma companhia.

Além disso, a cultura funciona como um elo entre os colaboradores, que mantém as áreas em sintonia e garante a retenção de talentos.

3.   Invista nas oportunidades de carreira

Oferecer oportunidades de desenvolvimento e crescimento profissional é uma ótima maneira de aprimorar o clima organizacional.

Afinal, a meritocracia não pode se limitar ao discurso: é preciso motivar os colaboradores com chances reais de qualificação e avanço na carreira.

Além disso, o RH moderno prioriza a mobilidade de talentos, abrindo portas dentro da empresa para que os profissionais encontrem novos desafios.

4.   Aposte no reconhecimento

A mesma pesquisa que revelou o descontentamento com o trabalho aponta que 96% dos brasileiros consideram o reconhecimento importante.

Esse reconhecimento pode vir na forma de recompensas materiais como bônus, viagens, vales-presentes ou ainda elogios, homenagens e outras atitudes que valorizam o colaborador.

Nessa hora, é preciso ir mais fundo nas emoções humanas e criar experiências que despertem a sensação de pertencimento e estima.

5.   Melhore a comunicação

O desencontro de informações é uma das experiências mais frustrantes no ambiente de trabalho, por isso é fundamental investir em uma comunicação mais aberta.

Com uma comunicação interna transparente e eficiente, você constrói uma relação de confiança com os colaboradores, facilitando a integração entre as áreas.

Na era digital, é muito mais fácil garantir que as informações circulem livremente e possam ser usadas em benefício dos objetivos da organização.

6.   Aumente a participação

Nada é mais desanimador para um profissional do que desconhecer os reais impactos do seu trabalho nos resultados da empresa.

Para reverter esse quadro, os líderes devem envolver os colaboradores na definição de metas e acompanhamento de resultados, fazendo com que se sintam úteis e essenciais para a organização.

Além disso, os profissionais devem se sentir encorajados a compartilhar novas ideias e apresentar projetos.

7.   Oriente os líderes

O papel do RH é essencial na orientação dos líderes para motivar e inspirar os colaboradores constantemente.

Os gestores devem realizar feedback contínuo para manter os profissionais engajados, além de oferecer apoio e aumentar a autoconfiança de suas equipes.

O perfil do “líder coach” deve ser priorizado, pois os gestores precisam ter a capacidade de desenvolver o potencial humano e administrar competências.

Quando as pessoas se sentem apoiadas e valorizadas, os resultados no clima organizacional são extraordinários.

Características de um bom ambiente de trabalho

Antes de colocar as novas técnicas em prática, vale conhecer as características de um bom ambiente de trabalho.

Tome nota e compare com a sua empresa:

Espaço físico agradável

A arquitetura e decoração têm um impacto decisivo sobre o bem-estar e produtividade dos colaboradores.

O guia do escritório ideal, da RunRun.it, é uma ótima referência para criar um espaço moderno, confortável e dinâmico.

Os principais aspectos são a iluminação adequada, espaços de relaxamento, lousas, temperatura agradável, mesas personalizadas e móveis ergonômicos.

Flexibilidade

Flexibilidade é uma palavra de ordem no mercado atual, especialmente se você pretende contratar millenials para sua força de trabalho.

Os novos talentos procuram um ambiente flexível, que permita adaptações com horários e jornadas, home office na sexta-feira e liberdade na agenda.

Se você tem dúvidas sobre a implementação dessas políticas, basta pensar que algumas concessões rendem o dobro de comprometimento e resultados.

Gestão de alto nível

Uma pesquisa da Associação de Psicologia dos EUA revelou que 75% dos americanos mencionam seus chefes como a principal causa de estresse.

De fato, as relações com superiores são marcadas por conflitos e frustrações, mas essa relação chefe-subordinado está ficando para trás.

Os verdadeiros líderes possuem inteligência emocional para encorajar o espírito de equipe e motivar seus colaboradores a utilizarem seu pleno potencial.

É por isso que a gestão de alto nível é decisiva para um ambiente de trabalho positivo e empolgante.

Projetos desafiadores

Os colaboradores querem ser bem tratados, mas também anseiam por desafios profissionais.

Uma empresa com projetos inovadores e oportunidades de desenvolvimento profissional mantém um clima de constante entusiasmo e interesse de seus profissionais.

Autonomia para crescer

A tendência é que as empresas reduzam a verticalização e apostem em modelos mais horizontais, que dividem as responsabilidades ao invés de focar na autoridade.

Esses ambientes despertam um forte senso de autonomia nos colaboradores, que se sentem motivados pela confiança que recebem para tomar decisões e levar projetos à frente.

Como resultado, os níveis do clima organizacional vão para as alturas em termos de satisfação e perspectivas de crescimento.

Tecnologia para avaliar e melhorar ambiente de trabalho

Agora que você já se especializou em clima organizacional, está na hora de utilizar a tecnologia para avaliar e melhorar o ambiente de trabalho.

Você se lembra da pesquisa de clima?

É um dos processos que pode ser automatizado por meio de softwares desenvolvidos especialmente para a gestão do RH.

Essa tecnologia permite a aplicação dos questionários no ambiente digital, inclusive por meio de aplicativos que tornam a experiência mais intuitiva e agradável.

Além disso, as soluções tecnológicas para o RH permitem o monitoramento constante do clima organizacional e desempenho dos colaboradores.

Por exemplo, você pode acompanhar a evolução de cada profissional por meio de KPIs, garantindo uma política de reconhecimento mais justa de acordo com os méritos.

Essas análises fazem parte da tendência de people analytics, que utiliza a inteligência de dados para definir as melhores estratégias de gestão de pessoas.

Se a ideia é flexibilizar a jornada dos colaboradores, existem programas que facilitam o controle dos horários e fazem todos os cálculos automaticamente.

Há ainda as ferramentas voltadas para o treinamento e desenvolvimento, que utilizam tecnologias como a gamificação, realidade virtual e inteligência artificial para capacitar colaboradores.

De modo geral, as ferramentas tecnológicas para o RH automatizam tarefas repetitivas e oferecem relatórios valiosos em um clique, que levariam anos para ser compilados manualmente.

Assim, o profissional de RH pode conhecer profundamente as necessidades e expectativas dos colaboradores, obtendo informações precisas para orientar a tomada de decisão.

Com uma infinidade de dados e métricas, é muito mais fácil garantir um excelente clima organizacional, pois todo o poder vem da informação.

Conhecendo de perto seu time, você pode construir o ambiente de trabalho dos sonhos, que seja motivo de orgulho e comprometimento para cada profissional.

Gostou das dicas? Deixe um comentário.

Related Posts