Como se comportar em uma entrevista de emprego

0
Share

Na jornada do processo seletivo, a dúvida é sempre a mesma: como se comportar em uma entrevista de emprego?

Dos estagiários aos profissionais mais experientes, todos os candidatos ficam apreensivos com entrevistas e querem fazer tudo para impressionar.

Afinal, é o momento de provar todo o seu valor e conquistar a vaga que tanto deseja.

Basta uma rápida pesquisa na internet para encontrar milhares de guias, tutoriais e dicas sobre o comportamento ideal diante do entrevistador.

Mas, vale lembrar que os recrutadores também têm acesso a esses materiais, e não há um roteiro único que funcione em todos os casos.

Em tempos de informação livre e abundante, o RH está mais preparado do que nunca e os clichês não têm mais lugar na entrevista.

Porém, isso também é uma vantagem para você, que pode chegar à entrevista munido(a) de dados valiosos e totalmente confiante.

Hoje, você vai aprender como se comportar em uma entrevista de emprego com dicas realmente úteis, sem enrolação:

  • Como agir em uma entrevista de emprego online
  • Como superar a entrevista de emprego presencial
  • O que fazer logo depois da entrevista de emprego
  • Como se preparar para as próximas entrevistas.

Quer se destacar na busca pela vaga dos sonhos? Então aproveite este guia completo até o fim.

Como se comportar em uma entrevista de emprego online

Na era do Recrutamento Inteligente, as entrevistas de emprego online são cada vez mais comuns, pois permitem a avaliação inicial de candidatos em poucos minutos.

Ao invés de fazer você se deslocar por quilômetros para decidir se está apto(a) para ocupar a vaga, a empresa simplesmente agenda uma chamada de vídeo.

Segundo uma pesquisa da Software Advice, 60% dos executivos de RH já utilizam chamadas de vídeo para entrevistar candidatos remotamente.

Do lado dos candidatos, 67% dos que experimentaram as entrevistas de emprego online acharam muito melhor do que por telefone.

Os recrutadores optam, principalmente, por entrevistas via Skype ou Hangouts, que são softwares mais populares que já integram a webcam e facilitam todo o processo.

Mas, assim como em uma entrevista presencial, você precisa estar preparado(a) para mostrar seu melhor na frente do computador.

Para isso, basta seguir nossas dicas.

1. Teste os recursos com antecedência

Na entrevista online, você é responsável por garantir o funcionamento adequado de todos os recursos utilizados.

Afinal, nada mais constrangedor do que atrasar a entrevista por conta de problemas técnicos que poderiam ter sido evitados facilmente.

Primeiro de tudo, você precisa baixar ou acessar o software e testar todas as suas funcionalidades.

Para isso, peça ajuda de um amigo ou familiar e use a chamada para verificar o funcionamento da conexão, câmera, iluminação, som do microfone e outros detalhes importantes.

No Skype, por exemplo, muitas pessoas cometem o erro primário de não autorizar o acesso à webcam do computador nas configurações, ou mesmo do microfone.

Lembre-se de checar a qualidade do áudio e imagem com a pessoa do outro lado, para ter certeza de que a mensagem está chegando corretamente.

2. Escolha um local adequado

Para que a entrevista online seja um sucesso, você precisa escolher um lugar adequado para iniciar a chamada.

O local deve ser bem iluminado para favorecer a imagem da câmera, o mais silencioso possível e perfeitamente organizado.  

De preferência, use luzes mais difusas, que não criem tantas sombras ou reflexos, e vire o computador para uma parede lisa e genérica.

Se for criar um cenário, tente transmitir seriedade com livros, objetos de decoração sóbrios e cores neutras, sem muita informação visual.

O ideal é que você apareça da cintura para cima na câmera, sentado(a) confortavelmente.

Nem precisamos lembrar que lugares bagunçados, ruídos e iluminação precária são inadmissíveis.

Além disso, não se esqueça de avisar as pessoas que moram com você para não entrarem no cômodo ou fazerem barulho durante o horário da entrevista.

O importante é ter em mente que a imagem que aparecerá no vídeo é sua imagem profissional, e cada detalhe será analisado pelo recrutador.

3. Vista-se para uma entrevista como qualquer outra

As regras de aparência para a entrevista online são as mesmas da versão presencial: seja profissional, sério(a) e natural.

Na hora de escolher as roupas, vale o bom senso e a adequação à vaga, pois nem sempre é preciso exagerar na formalidade.

O essencial é vestir roupas limpas, novas e que traduzam seu perfil profissional no ambiente de trabalho, evitando imprimir muita personalidade nesse primeiro contato.

Uma dica importante é vestir-se com a mesma seriedade da cintura para baixo, pois você nunca sabe se terá que se levantar durante a entrevista.

Você não quer que o entrevistador veja suas calças de pijama com um blazer por cima, não é mesmo?

4. Tenha um currículo impresso, papel e caneta

Durante a entrevista, tenha sempre um currículo impresso à mão para checar informações.

Você até pode fazer anotações no próprio computador, mas os velhos papel e caneta podem ser mais práticos nesse momento, pois evitam o ruído da digitação.

Lembre-se também de ter uma garrafa d’água na mesa, para não ter que interromper a reunião.

5. Seja pontual na conexão

A pontualidade também é fundamental na entrevista online, sem tolerância para atrasos na conexão.

Você pode enviar uma mensagem para o recrutador cinco minutos antes da chamada para confirmar que já está online e disponível.

6. Aja como se fosse uma entrevista presencial

No primeiro momento, há um certo desconforto em ser entrevistado(a) na frente do computador, com um desconhecido na imagem.

Na pesquisa da Software Advice, 21% dos candidatos revelaram que a falta de intimidade com a câmera é um problema nessas entrevistas.

Por isso, você precisa agir com o máximo de naturalidade possível, focando na câmera como se o contato visual fosse real.

Ouça atentamente, expresse suas emoções e interaja com o entrevistador, evitando ficar em silêncio ou apenas responder às perguntas – o simples fato de ser online não transforma a entrevista em um interrogatório.

Sorria, demonstre positividade e esqueça a máquina que separa você do recrutador.

7. Sugira outro meio em caso de imprevistos

Imprevistos como falta de energia, problemas no computador e ausência de conexão são comuns, por isso você precisa ter um plano B.

Retomando os dados da pesquisa, 27% dos candidatos tinham como principal preocupação os eventuais problemas técnicos durante a conexão.

Se algo impossibilitar a chamada online, sugira uma entrevista por telefone, por exemplo.

Se o entrevistador preferir, agende uma nova data para a entrevista online, mas reforce sua disposição em utilizar outros meios para aproveitar o momento.

Como se comportar em uma entrevista de emprego presencial

Agora que você já dominou a entrevista online, vamos à clássica – e ainda insubstituível – entrevista presencial.

No relatório Global Recruiting Trends 2018, do Linkedin, vemos que as formas tradicionais de entrevista continuam surtindo efeito na contratação de talentos, com 88% de eficácia em entrevistas estruturadas e 89% nas comportamentais.

Basicamente, quase todas as entrevistas combinam o estilo estruturado (com um roteiro predefinido) com o estilo comportamental (perguntas que avaliam as atitudes e personalidade do candidato).

Se você ainda tem dúvidas de como se comportar em uma entrevista de emprego, acompanhe nosso passo a passo.

1. Ligue o mindset positivo

Antes de sair de casa para a entrevista que vai decidir seu futuro, ative seu mindset positivo e confiante.

Pense da seguinte forma: a empresa já selecionou seu currículo, avaliou suas competências e decidiu que você está à altura do cargo.

Logo, você tem tudo para conquistar a vaga e só precisa mostrar que está preparado(a) e qualificado(a) para isso.

A entrevista é somente uma conversa, em que você será avaliado(a), mas também poderá avaliar a vaga e a empresa para decidir se é o emprego certo.

Assim, basta pensar nisso como uma negociação, em que você pretende vender seu melhor e receber a oportunidade em troca.

2. Vista-se de forma inteligente

Uma das dúvidas mais comuns sobre a entrevista presencial é como se vestir de forma apropriada.

O básico continua valendo: roupas profissionais, sérias, impecavelmente limpas e em excelente estado.

Mas isso não significa que você deve usar um terno completo em todas as entrevistas, pois há vagas e áreas de atuação menos formais, que exigem um visual mais moderno.

Um candidato ao cargo de executivo em um banco tem que usar seu melhor terno, mas um desenvolvedor ou analista de marketing podem se sair bem com uma camisa, jeans sóbrio e sapatênis.

O segredo é conhecer o nível de formalidade exigido na empresa e estilo comum dos profissionais, se adequando à realidade da área em primeiro lugar.

De acordo com a editora-chefe da CNBC Jenna Goudreau, em contribuição ao Make it, um dos erros mais comuns dos candidatos é aparecer na entrevista como se não tivesse olhado no espelho antes de sair.

Assim, vestir-se de forma inteligente não é usar o traje mais elegante e as marcas mais caras, mas optar por uma roupa realmente adequada, que reflita sua personalidade profissional.

Nessa hora, vale o bom senso e evitar as gafes de sempre, como roupas muito casuais, decotes, perfumes fortes, cores berrantes e acessórios espalhafatosos.

E lembre-se: nada de botões caindo, linhas soltas, sapatos sujos, cabelos desarrumados, manchas e outros detalhes que denunciam desleixo.

3. Chegue na hora certa

Pontualidade é o mínimo, mas os atrasos ainda acabam com as chances de muitos candidatos.

Chegar com dez minutos de antecedência é suficiente: nem muito cedo, nem muito tarde.

Embora atrasos sejam inadmissíveis, muitos recrutadores também ficam incomodados com candidatos que chegam cedo demais e ficam plantados na recepção.

4. Sorria e cumprimente

Quando o recrutador chegar, levante, sorria e ofereça aquele aperto de mão moderado, com firmeza média e sem perder contato visual.

Uma dica importante nesse primeiro momento: guarde o nome da pessoa assim que ela se apresentar, pois isso vai ajudar você a tornar a conversa mais empática.

Deixe que o recrutador guie você até a sala e indique o lugar para se sentar, sem pressa e sem ansiedade para escolher o lugar.

5. Atenção à postura e linguagem corporal

O corpo fala, e os recrutadores conseguem ouvir muito bem essas mensagens.

Por isso, lembre-se de sentar com uma postura ereta, manter a cabeça elevada e controlar o nervosismo das mãos e pernas.

Mantenha seus pés no chão ou as pernas levemente cruzadas, tomando cuidado para não se encolher na cadeira.

Na hora do contato visual, não fique encarando o recrutador insistentemente, tampouco desvie o olhar como se estivesse desinteressado.

Os especialistas em linguagem corporal indicam que você fixe o olhar no ponto bem no meio dos olhos da pessoa, evitando o desconforto e mantendo o controle sobre a situação.

Para facilitar, confira a lista de coisas que você não deve fazer:

  • Mexer nos cabelos
  • Roer unhas ou levar as mãos à boca
  • Apoiar os cotovelos na mesa
  • Curvar-se para a frente
  • Batucar na mesa
  • Bater o pé no chão
  • Mexer as pernas insistentemente
  • Mascar chiclete
  • Ficar sem os seus óculos (e apertar os olhos para enxergar)
  • Sentar com as pernas muito abertas ou muito fechadas
  • Ficar com os músculos tensos e aparência robótica.

Ao invés disso, respire, relaxe e deixe seu corpo à vontade, gesticulando apenas o suficiente para tornar as explicações mais dinâmicas.

6. Utilize a técnica do rapport

O rapport é uma técnica comportamental utilizada para criar relações de confiança, harmonia e identificação com o outro.

Ao utilizar esse método, você deixará o recrutador à vontade e gerará um sentimento de empatia imediato com pouquíssimo esforço.

Para estabelecer o rapport, você deve espelhar alguns comportamentos do entrevistador, ou seja, ajustar seu tom de voz, ritmo e postura corporal copiando discretamente o estilo da pessoa.

É importante tomar cuidado para não parecer uma imitação, pois a manobra deve ser bastante sutil.

Você pode praticar o rapport com os seguintes aspectos:

  • Igualar a tonalidade, volume e velocidade de voz
  • Reproduzir os movimentos corporais mais usados pela pessoa, como gestos comuns
  • Repita alguns termos-chave que o entrevistador utiliza com frequência
  • Use algumas expressões faciais como levantar sobrancelhas, concordar mexendo a cabeça ou apertar os lábios.

Se você tiver dificuldade em dosar o rapport, apenas priorize suas melhores expressões e prefira sempre a forma mais educada e firme de se comunicar.

De qualquer modo, vale acompanhar ao máximo o estilo e ritmo do seu entrevistador, para que ele crie empatia com você.

7. Saiba quando e como falar

As pessoas parecem se esquecer das regras básicas de convivência e diálogo na hora da entrevista, tamanha a ansiedade para se autopromover e justificar suas qualificações.

Encare o processo como um diálogo normal, sem usar a entrevista como plataforma de autopromoção ou repetir frases ensaiadas o tempo todo.

Responda o que for perguntado, jamais interrompa o entrevistador e faça perguntas somente quando houver espaço para isso.

E claro, seja espontâneo(a) e não mecânico(a), demonstrando sinceridade e expressando emoções moderadas.

Vale lembrar que você está falando com um ser humano igual a você, com a mesma capacidade de interpretação e percepção de comportamentos.

8. Demonstre sentimentos positivos

Outro problema comum é o excesso de seriedade que alguns candidatos usam para demonstrar seu profissionalismo, o que acaba tornando a entrevista monótona.

Você pode – e deve – demonstrar empolgação, otimismo e bom humor durante a entrevista, para além de discursos sobre suas competências.

Afinal, todos querem trabalhar com pessoas positivas e empáticas, por isso não tenha medo de sorrir e humanizar a conversa.

Ao final da entrevista, reforce seu interesse na vaga e pergunte sobre os próximos passos com o devido entusiasmo.

O que fazer depois da entrevista de emprego

Descobrir o que fazer depois da entrevista de emprego é tão importante quanto saber como se comportar durante a conversa.

Para começar, uma dica: 24 horas depois, envie um e-mail agradecendo pela oportunidade com uma mensagem breve e educada.

Você pode personalizar a mensagem mencionando algo que chamou sua atenção durante a entrevista, reforçando algum ponto ou reafirmando sua disponibilidade.

Mas não é educado perguntar se você foi selecionado ou solicitar qualquer feedback nesse momento, pois a mensagem é apenas uma demonstração de interesse na vaga.

Provavelmente, o entrevistador irá informar o prazo até a próxima etapa do processo seletivo.

Acompanhe esse prazo de perto e, se não receber nenhuma resposta, envie uma nova mensagem para verificar o status do processo.

No mundo ideal, toda empresa enviaria um feedback para os participantes do processo seletivo, tenham sido escolhidos ou não.

Mas, como sabemos, nem sempre isso acontece e, muitas vezes, ficamos esperando eternamente pela resposta.

Para evitar esse transtorno, não tenha receio de contatar o entrevistador e solicitar uma posição, reafirmando seu interesse na vaga.

Assim, você saberá de uma vez por todas se está fora do processo ou se ainda existe alguma chance.

Enquanto isso, continue se candidatando a outras vagas normalmente e participando de outros processos seletivos.

Você só deve interromper a busca por emprego quando receber uma oferta e fechar a contratação.

Quando isso acontecer, não se esqueça de avisar outros entrevistadores sobre sua saída dos processos, para não cometer o mesmo erro das empresas que não dão feedback.

Como se preparar para as próximas entrevistas de emprego

Você já tem informações suficientes para se comportar bem durante e após a próxima entrevista, mas também precisa aprender como se preparar para ela.

Confira nossas dicas:

1. Pesquise a empresa a fundo

Para começar, o mais óbvio: você precisa pesquisar tudo sobre a empresa, o mais profundamente possível.

Seu diferencial começa já nessa etapa, pois a maioria dos candidatos busca por informações muito rasas como a área de atuação da empresa, seus produtos e serviços, texto institucional e outros dados básicos.

Para se destacar, você deve mostrar que foi mais longe do que os concorrentes e saber detalhes como:

  • A importância estratégica do cargo para os resultados da empresa
  • O perfil do recrutador e futuros colegas de trabalho nas redes sociais de negócios
  • As últimas atualizações da empresa em suas redes sociais oficiais
  • Cultura da organização e pensamento do(a) CEO
  • Momento da empresa e possíveis objetivos para o futuro do negócio (está em expansão? Abrindo novos mercados? Consolidando uma marca?).

Hoje, temos plataformas como Love Mondays e Glassdoor, que mostram opiniões dos colaboradores das empresas e trazem informações exclusivas.

Logo, você pode chegar à entrevista sabendo exatamente qual o clima organizacional, suas atribuições no cargo e ainda os hábitos e personalidade do recrutador.

2. Revise seu currículo e perfis

Todo mundo sabe que o currículo deve ser revisado e adaptado para cada entrevista, destacando o que mais importa para a vaga em questão.

Mas, no mundo digital, você não será avaliado(a) apenas pelo que escolheu mostrar, pois os recrutadores certamente irão consultar suas redes sociais.

Por isso, é importantíssimo ter orgulho de seus perfis em redes sociais (de negócios e pessoais), como uma vantagem na seleção – e não uma informação a ser ocultada.

Antes de sair para entrevistas, tenha em mãos um currículo sob medida, portfólio atualizado e uma reputação online impecável.

3. Esteja bem informado(a)

Durante a fase de entrevistas, você precisa estar mais bem-informado(a) do que nunca.

Isso porque muitos recrutadores aproveitam notícias e atualidades como ganchos para desenvolver a conversa.

Se você não souber o que está acontecendo lá fora, pode passar por situações embaraçosas.

Por isso, antes de sair para a entrevista, leia as principais manchetes e fique pronto(a) para mostrar seus conhecimentos sobre o assunto.

Na verdade, qualquer profissional da era digital precisa estar constantemente atualizado, mas não custa reforçar.

4. Prepare-se para as perguntas comportamentais

A entrevista comportamental segue imbatível entre as técnicas preferidas dos recrutadores.

São aquelas perguntas que abordam uma situação passada no trabalho e sua reação, que exigem uma boa história como resposta.

Geralmente, são questões sobre uma ocasião em que você salvou o dia, desafios que pareciam impossíveis ou momentos de grande pressão.

Para se sair bem nesse momento, você pode usar a técnica STAR:

  • Situation (situação): descreva a situação em que você se encontrava
  • Task (tarefa): descreva a tarefa que você precisava cumprir ou desafio que tinha de superar
  • Action (ação): narre as soluções que você encontrou e atitudes que tomou para resolver a situação
  • Result (resultado): termine a história com os resultados que alcançou, valorizando sua atuação.

Esse é o roteiro básico para dar respostas à altura e impressionar o entrevistador.

5. Esteja em seu melhor estado

A busca por emprego pode ser um processo muito estressante, que vai desafiar seus nervos em vários momentos.

Para ter um bom resultado na entrevista, você precisa vencer a ansiedade e alcançar um estado mental positivo, além de cuidar da saúde física.

Tudo o que você leu até aqui é indispensável, mas nada vai funcionar se corpo e mente não estiverem devidamente equilibrados.

Por isso, não se esqueça do básico: alimentação saudável, noites bem dormidas, muita água, atividade física e pensamento positivo.

Você pode recorrer à meditação, ioga, atividades ao ar livre ou o que funcionar melhor, mas faça do equilíbrio emocional uma prioridade.

Assim, você não terá dúvidas sobre como se comportar em uma entrevista de emprego – e estará pronto(a) para dar o seu melhor.


Related Posts