Contrato PJ: saiba calcular o salário ideal para desenvolvedores

0
Share

Quer saber como calcular o salário no contrato PJ para desenvolvedor? Entenda a seguir como funciona o regime PJ e encontre a oportunidade de trabalho ideal na Revelo. Confira!

Com o mercado de trabalho na área de tecnologia cada vez mais flexível, diversas empresas estão contratando desenvolvedores como prestadores de serviço com contrato PJ (pessoa jurídica).

Um estudo realizado pela Revelo, mostrou que o ano de 2020 fechou com um aumento de 40% na busca pelo regime com CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).

A pesquisa também identificou que as empresas estão publicando mais oportunidades com a forma de contratação pessoa jurídica, principalmente nas áreas de tecnologia, design e marketing digital.

Nesse cenário, é fundamental o desenvolvedor entender as vantagens e desvantagens da contratação PJ e, principalmente, saber como calcular o salário ideal.

Afinal, o profissional PJ não terá direitos aos benefícios e direitos do empregado CLT, bem como, terá que arcar com as despesas trabalhistas da sua empresa.

Confira o conteúdo que preparamos para responder todas as suas dúvidas!

Comparação PJ X CLT

A CLT ou Consolidação das Leis do Trabalho foi estabelecida em 1943, para regulamentar as relações entre empresas e trabalhadores. Pelo regime de CLT, o trabalhador terá a carteira de trabalho assinada e a empresa terá diversas obrigações trabalhistas.

Confira alguns direitos do trabalhador CLT:

  • 13º salário;
  • Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS);
  • Férias remuneradas;
  • Licença-maternidade/paternidade;
  • Seguro-desemprego;
  • Vale-refeição;
  • Vale-transporte.

Já no contrato de Pessoa Jurídica (PJ), o profissional precisará se estabelecer como uma empresa. Depois, prestará serviços terceirizados através de um contrato comercial, que incluirá os direitos e deveres de ambos os lados.

Para o desenvolvedor que deseja trabalhar com contrato PJ, existem alguns formatos de empresas disponíveis, como Micro Empresa (ME) e Empresa de Pequeno Porte (EPP).

Dentro desses formatos, o desenvolvedor pode escolher entre essas três opções de naturezas jurídicas (tratamento legal de uma empresa).

  • EI (Empresário Individual): Não permite sociedade e nem exige contrato social.
  • LTDA (Sociedade de Responsabilidade Limitada): permite sociedade de dois ou mais sócios, também é preciso fazer um contrato social.
  • EIRELI (Empresa Individual ou de Responsabilidade Limitada): permite que a empresa seja constituída por apenas um sócio e exige um capital mínimo de 100 vezes o valor do salário-mínimo no momento do registro da empresa e também requer contrato social.

Essas opções de naturezas jurídicas, além de possibilitar a empresa a tributar pelo Simples Nacional, também permite outras tributação, como o Lucro Presumido.

Para escolher a melhor opção, o contador é o profissional qualificado para auxiliar o profissional que deseja se tornar PJ e trabalhar na área de TI.

Já a modalidade MEI (Microempreendedor Individual), muito utilizada por profissionais de diversas áreas, é considerada bem restrita para a área de tecnologia.

Nesse caso, somente os profissionais que se dedicam à manutenção de computadores se enquadram como MEI. No entanto, os desenvolvedores de softwares, sites e aplicativos, não podem ter um MEI.

Analisando os custos

Ao analisar os custos de um colaborador com contrato CLT para a empresa, o valor de impostos e encargos a serem pagos para o Governo pode ser até três vezes mais alto do que o salário desse profissional.

Já ao analisar os custos de um profissional com contrato PJ, a empresa terá somente o gasto com o salário acordado no contrato e não gastará com encargos trabalhistas.

Por isso, o desenvolvedor contratado como PJ precisa ter disciplina, organização e uma boa administração pessoal para se organizar financeiramente.

Pois, precisará manter poupar mensalmente caso deseje ter um 13º salário, um fundo de garantia pessoal (em caso de demissão) e também precisará pagar encargos do INSS.

Sem dúvida, essa organização financeira é fundamental para que o desenvolvedor garanta sua estabilidade e possa assegurar seu futuro.

Como calcular salário no contrato PJ

Para estruturar a negociação de salário no regime PJ, é recomendado avaliar alguns gastos e incluir esses valores na proposta. Por exemplo:

  • Férias ou licença: a cada 6 ou 12 meses de trabalho, ter 15 ou 30 dias de descanso;
  • Impostos: em geral, o profissional recolhe 6% de sua remuneração, algumas empresas já propõem o valor líquido aos candidatos, depositando a carga tributária como adicional;
  • Vale alimentação: calcular o valor baseado em práticas de mercado e na região.
  • Vale transporte: calcular o valor baseado no custo de deslocamento entre a residência e a empresa.

Em geral, o salário oferecido aos desenvolvedores no contrato PJ, tende a ser de 30% até 50% maior que o oferecido ao profissional CLT. Já que a empresa economiza muito com os encargos trabalhistas.

Por isso, antes de assinar um contrato como pessoa jurídica, é preciso calcular e negociar o salário ideal.

Para te ajudar a calcular o salário no contrato PJ, existem calculadoras online para realizar o cálculo de forma simples e eficaz. Dessa forma, ficará mais fácil negociar o salário ideal para o serviço prestado.

Vantagens do contrato PJ

Trabalhar para várias empresas

Com contrato de prestação de serviço, você poderá atender mais de uma empresa e receberá salário por diferentes projetos. Para isso, é fundamental ter um bom planejamento e gerenciamento de tempo.

Além disso, o desenvolvedor PJ tem mais facilidade em trocar de projetos ou de empresa para a qual presta serviços. Quando um projeto termina, nada o impede de parar de colaborar com aquela empresa e buscar novos projetos.

Trabalho remoto

O desenvolvedor PJ pode trabalhar de qualquer lugar, por exemplo, home office, coworkings, ou até mesmo de outros países.

Flexibilidade de horários

O desenvolvedor PJ não tem a obrigação de cumprir um horário de trabalho fixo. Dependerá do acordo, mas por lei o profissional é outra empresa prestando serviços, por isso, seu foco deve ser nas entregas dentro do prazo.

Direitos ao pagar impostos

No contrato PJ, ao pagar os impostos em dia, o profissional também terá direito a alguns benefícios, por exemplo, aposentadoria por idade e invalidez, auxílio-doença e salário-maternidade.

Desvantagens do contrato PJ

Não há plano de carreira

Uma das desvantagens é que o profissional PJ não tem plano de carreira. Por isso, para aumentar os ganhos, é preciso renegociar o contrato, agregando mais valor aos serviços prestados.

Falta de benefícios

No contrato PJ, o profissional não possui benefícios comuns do regime CLT. Por isso, antes de fechar o contrato, é preciso considerar gastos com alimentação, deslocamento, férias, por exemplo.

Além disso, o profissional PJ não tem seguro-desemprego ou contribuições ao FGTS para sacar em caso de imprevistos financeiros, como uma doença ou acidente.

Estabilidade profissional

Na modalidade de contrato PJ, a empresa contratante não é obrigada a oferecer um novo contrato. Além disso, a rescisão de um contrato vigente também é menos burocrática do que a contratação pela CLT.

Sendo assim, o profissional PJ deverá se preparar para altos e baixos no volume de serviços e contratos. Por isso, o planejamento financeiro e a reserva de emergência são essenciais.

CLT ou PJ: afinal, qual é o melhor contrato?

Por mais que o salário do desenvolvedor com contrato PJ, possa ser mais alto do que o salário oferecido em um contrato CLT.

Antes de tornar-se profissional PJ, é preciso refletir sobre quanto gastará com alimentação, transporte, plano de saúde, poupança para aposentadoria e pagamento de impostos.

Faça uma autoanálise para entender se você é um profissional que busca flexibilidade de horários e de projetos. Por outro lado, considere se você terá um networking amplo o suficiente para garantir bons contratos.

Revelo: sua plataforma de recrutamento online

Está em busca de uma nova oportunidade profissional? Na plataforma de recrutamento Revelo você encontra oportunidades em diversas áreas, nas modalidades de contrato CLT e PJ.

Basta se cadastrar na plataforma de recrutamento Revelo, e ficar disponível para receber convites de entrevistas nas áreas mais concorridas do mercado.

Além disso, com a opção Revelo Remoto, você poderá participar do processo seletivo de forma totalmente digital, desde a entrevista até a assinatura do contrato. Experimente!


Related Posts