Desenvolvedor Front-End: 5 frameworks JS favoritos em 2020

0
Share

Confira 5 opções de frameworks JavaScript mais utilizados por desenvolvedor front-end em 2020 e, saiba como encontrar a oportunidade de trabalho ideal na Revelo.

Um framework JavaScript é um conjunto de componentes utilizados para criar uma base para uma aplicação web, neste caso do JavaScript. É um conceito simples, mas muito útil, pois combina códigos comuns para serem reutilizados em novos projetos.

Sobretudo, um framework JS tem como principal objetivo resolver problemas recorrentes do projeto com uma abordagem genérica. Dessa forma, o desenvolvedor poderá se concentrar em resolver problemas críticos e escrever novas linhas de código.

Atualmente, muitas empresas e startups usam frequentemente os frameworks como um componente padrão de suas ferramentas. Portanto, muitas vagas de trabalho para desenvolvedor front-end exigem experiência com essas estruturas.

Por isso, se você é um desenvolvedor front-end, descubra quais são os 5 frameworks de JavaScript mais utilizados em 2020. Afinal, estas ferramentas são muito úteis e devem fazer parte da rotina dos desenvolvedores modernos e atualizados. Confira!

1. React

O React é um dos frameworks mais populares e pode ser a primeira opção de muitos desenvolvedores para criar aplicativos. Pois, esses frameworks JS usa uma abordagem reativa, além disso, apresentam muitos conceitos para desenvolvimento front-end.

Para usar o React, o desenvolvedor precisará conhecer diversas ferramentas para garantir uma boa flexibilidade no desenvolvimento.

Confira algumas das bibliotecas utilizadas:

  • Redux;
  • MobX;
  • Fluxy;
  • Fluxible;
  • RefluxJS;
  • jQuery AJAX;
  • Superagent;
  • Axios.

A comunidade do React é muito ativa e trabalha constantemente para melhorar suas funções, como o Modo Simultâneo e o modelo Suspense. Ambos os recursos tornam os aplicativos mais responsivos e com melhor usabilidade.

Além disso, os aplicativos React são divididos em vários componentes que contêm as funções de marcação comercial e de lógica HTML. Para melhorar a comunicação entre os componentes, os desenvolvedores podem usar o Flux ou uma biblioteca semelhante.

2. Angular 2 a Angular 9

Angular é um framework criado pelos desenvolvedores do Google para a construção da interface de aplicações usando HTML, CSS e, principalmente, JavaScript.

Com inúmeras versões, a partir do Angular 2+ muitos desenvolvedores começaram a utilizá-lo mais devido à sua arquitetura MVC, que mudou para uma arquitetura baseada em componentes.

Por conta das atualizações, quando a versão 9 do Angular foi lançada chegaram também novidades em todo ecossistema Angular. Sem dúvida, a mais significativa foi o compilador Ivy, com a capacidade de reduzir o tamanho dos aplicativos.

Atualmente, esse framework tornou-se muito evoluído para uso no front-end, pois sua flexibilidade é incomparável. Um dos diferenciais é o uso do Typescript como um super conjunto do JavaScript, trazendo as novidades da linguagem e atualizações de tipagem, classes e métodos novos para lidar com os dados.

3. Vue

O conceito desse framework foi inspirado no Angular e React, mas o Vue oferece vantagens para os desenvolvedores em muitos aspectos.

Por exemplo, com o Vue é possível armazenar a lógica e os layouts dos componentes, juntamente com folhas de estilo em um arquivo. Sendo a mesma maneira que o framework React funciona.

Desse modo, para permitir que os componentes se comuniquem, o framework Vue utiliza adereços e objetos de estado. Essa abordagem também existia no React, antes da Vue adotá-la.

Além disso, semelhante ao Angular, o Vue recomenda que o desenvolvedor misture layouts HTML com JavaScript. Para isso, é necessário usar diretivas do Vue, para alternar valores da lógica do componente para os modelos.

Por outro lado, um dos motivos que vale a pena considerar ao usar o framework Vue em vez do React, seria por conta da biblioteca Redux, que é frequentemente usada em aplicativos React.

Pois, quando um aplicativo React + Redux cresce, o desenvolvedor precisa dedicar muito tempo aplicando pequenas alterações em vários arquivos, sobrando menos tempo para trabalhar em novos recursos.

Para o desenvolvedor que precisa escolher entre o Vue e o Angular, as vantagens em optar pelo Vue podem ser melhores, já que o Vue é muito mais simples e menos restritivo que o Angular.

Além disso, o Vue é tem ótimo desempenho de fluxo de trabalho, pois é menos complicado que o React e o Angular JS, sendo uma ótima opção para o desenvolvimento de aplicativos em equipe.

Leia também:
Framework: saiba como usar e quais são os mais populares

4. Ember

Assim como o Angular e o Backbone, o Ember é um dos frameworks JavaScript mais antigos. Neste ano, o Ember 3.13 foi lançado com algumas novas atualizações e recursos, sendo compatível com novas correções de bugs, melhorias de desempenho e descontinuação.

O framework Ember possui uma arquitetura parcialmente complexa, sendo perfeito para criar aplicativos complexos do lado do cliente.

Para isso, realiza uma estrutura JavaScript MVC, ao mesmo tempo, a arquitetura do Ember compreende as seguintes partes: adaptadores, componentes, controladores, auxiliares, modelos, rotas, serviços, modelos, utilitários e complementos.

Para os desenvolvedores, um dos melhores recursos do Ember é sua ferramenta de interface de linha de comando. Pois, ajuda os desenvolvedores a se manterem produtivos para que os projetos sejam entregues no prazo. Além disso, é possível criar controladores, componentes e arquivos de projeto usando a geração automática.

5. Backbone.js

Backbone é um framework JavaScript fácil de usar e que permite o desenvolvimento de aplicativos de página única.

Para isso, a biblioteca JS é muito versátil, pois fornece estruturas para as aplicações e se adapta ao conceito de MVC (model, view, controller), padrão que foi implementado no início da linguagem do lado do servidor.

Em alguns casos, o Backbone.js pode ser a escolha ideal para o desenvolvimento tanto de front-end, quanto de back-end, pois suporta APIs REST usadas para sincronizar ambos os lados.

A biblioteca Backbone consiste em eventos, modelos, coleções, visualizações e roteador. Por isso, se a necessidade do projeto for de criar um aplicativo com diferentes tipos de usuários, essas coleções poderão ser usadas para separar os modelos.

Além disso, para usar o Backbone.js em toda a extensão, o desenvolvedor terá que escolher entre as ferramentas: Chaplin, Marionette, Thorax e assim por diante.

Em Resumo, o Backbone é conhecido por sua leveza e robustez, mas sua única dependência é o Underscore.js, que por sua vez é dependente da biblioteca jQuery para interações com o DOM (Modelo de Documento por Objetos).

No entanto, se o desenvolvedor pretende elevar seu desenvolvimento front-end para um nível mais alto, é uma ótima opção é usar esse framework.

Revelo UP: o programa de incentivo a cursos da Revelo

Se você já trabalha como desenvolvedor e deseja se especializar mais para conquistar novas oportunidades. Conheça o Revelo UP, o programa de aceleração de carreira ideal para te ajudar a se preparar para as áreas mais concorridas do mercado.

Algumas opções de cursos de TI do programa são: Desenvolvimento Web e Mobile, Design de produtos, Linguagem (UX/UI) e Ciência de dados (BI), entre outros. Além disso, os participantes do programa terão acesso à plataforma de ensino Alura por 30 dias.

Atualmente, os cursos mais procurados no programa Revelo UP são: Desenvolvimento Web, Data Science e a linguagem de programação Python.

Com certeza, esta é uma oportunidade única para se tornar um profissional mais qualificado e atraente para empresas e startups.

Inscreva-se hoje mesmo no programa Revelo Up e faça a simulação do financiamento do curso ideal para o seu perfil.

Revelo: a sua plataforma de recrutamento online

Cadastre-se hoje mesmo na plataforma de recrutamento Revelo, e encontre as melhores oportunidades profissionais do mercado, de forma ágil e humanizada.

Além disso, com a opção Revelo Remoto, você poderá participar do processo seletivo de forma totalmente digital, desde a entrevista até a assinatura do contrato.



Related Posts