Desenvolvedor júnior, pleno e sênior: saiba qual nível contratar

0
Share

Entenda as diferenças entre o desenvolvedor júnior, pleno e sênior e descubra qual nível contratar. E, ainda, encontre o talento ideal na Revelo. Saiba mais!

No recrutamento para uma vaga de desenvolvedor é fundamental entender as diferenças entre os níveis júnior, pleno e sênior. Afinal, quem nunca se deparou com essas denominações e ficou em dúvida sobre qual nível de desenvolvedor contratar?

Estes profissionais podem se diferenciar em diversos aspectos. Por exemplo, grau de responsabilidade, maturidade profissional, complexidade das tarefas, capacidade de resolver problemas e o tempo de permanência em uma mesma empresa.

Por isso, explicamos a seguir quais são os conhecimentos técnicos e atribuições dos diferentes níveis de carreira de desenvolvedor. E como reconhecer qual deles contratar para ter uma equipe de TI completa. Confira!

Desenvolvedor Júnior: perfil entusiasta

O desenvolvedor júnior está começando sua carreira e possui em média de dois a três anos de experiência em desenvolvimento. Em geral, são estudantes recém-graduados na área de computação ou também estudantes de cursos técnicos de programação.

Para testar seu conhecimento durante a entrevista, é recomendado fazer um teste técnico para analisar como ele resolveria um problema simples.

Além, é claro, de conversar sobre as necessidades da vaga para entender como as habilidades deste candidato se encaixam com os projetos da empresa.

Confira algumas habilidades:

  • Domínio dos recursos básicos da linguagem de programação;
  • Capacidade de encontrar soluções para problemas técnicos simples;
  • Possui conhecimento básico em alguma estrutura de framework;
  • Auxilia na coleta e documentação dos requisitos do usuário;
  • Contribui com as revisões de projetos e de códigos;

Confira algumas tarefas habituais:

  • Corrigir erros simples e não muito críticos;
  • Ajudar os desenvolvedores mais experientes;
  • Programar códigos de acordo com orientações;

Por se tratar de uma área em constante inovação, é importante entender o quanto o candidato busca se atualizar.

Em geral, os mais dedicados possuem hobbies e interesses diversos em tecnologia. Além disso, é essencial perceber qual o nível de entusiasmo sobre seguir nesta carreira.

Em muitos casos, vale a pena investir no profissional em início de carreira e treiná-lo de acordo com o conjunto de tecnologias da empresa.

Lembre-se, ao contratar um desenvolvedor nível júnior é fundamental ter paciência, pois eles estão em constante aprendizado e necessitam de apoio técnico dos desenvolvedores mais experientes.

Desenvolvedor Pleno: perfil independente

Este profissional pode ter graduação ou pós-graduação na área de tecnologia e possui em média de três a cinco anos de experiência em projetos variados. Normalmente, um desenvolvedor leva em torno de quatro anos para atingir o nível pleno.

No entanto, cada empresa estabelece uma denominação e classificação própria para cada cargo. Sendo assim, o tempo de experiência entre os níveis de desenvolvedores podem variar, dependendo da empresa.

O desenvolvedor pleno precisa ser competente em quase todos os estágios do projeto, além de trabalhar muito bem em equipe e propor alternativas e soluções.

Confira algumas habilidades:

  • Possui independência no trabalho;
  • Domínio das principais tecnologias da empresa;
  • Configurar sozinho todo o ambiente de desenvolvimento;
  • Trabalhar em vários projetos simultaneamente;
  • Implementar soluções do início ao fim;
  • Dominar metodologias ágeis variadas.

Confira suas principais atribuições:

  • Orientar e treinar desenvolvedores juniores;
  • Otimizar códigos para torná-lo mais eficiente;
  • Capacidade de dividir as tarefas do projeto em partes;
  • Realizar análises e testes variados;
  • Revisar regularmente o código em detalhes;
  • Encontrar erros e sugerir plano de ação para correções.

Desenvolvedor Sênior: perfil de liderança

O desenvolvedor sênior é um profissional mais experiente e com um alto nível de responsabilidade. Em geral, possui graduação ou cursos técnicos na área de tecnologia e em média de cinco a oito anos de experiência de trabalho.

Este profissional deve ter o domínio do conjunto de tecnologias da empresa e proficiência em buscar soluções para problemas críticos.

Assim como, ser capaz de criar softwares com todas as etapas de desenvolvimento: concepção, implementação, operação e manutenção.

Neste nível é esperado do profissional o perfil de liderança, pois ele é responsável em trazer para sua equipe o direcionamento sobre o desenvolvimento do projeto.

Além disso, deve ser capaz de se comunicar com o cliente para resolver questões em todas as etapas do projeto.

Confira algumas habilidades:

  • Alto nível de conhecimento das tecnologias da empresa;
  • Conhecimento em todos os aspectos do projeto;
  • Capacidade de liderança para delegar tarefas e acompanhar as entregas;
  • Ter uma compreensão profunda do negócio;
  • Mentoria da equipe e suporte para desenvolvimento de novos talentos;

Confira as principais responsabilidades:

  • Capacidade de construir e implementar um sistema a partir do zero;
  • Ser uma referência na equipe para o cliente;
  • Corrigir erros críticos e propor de melhorias;
  • Tomar as decisões e assumir os riscos dentro do projeto;
  • Fornecer feedbacks a equipe de desenvolvedores;
  • Treinar a equipe nas tecnologias da empresa.

Observe a solução de problemas simples e complexos

Existem muitas maneiras de definir os níveis de desenvolvedores júnior, pleno e sênior. Por exemplo, analisar suas habilidades de resolução de problemas técnicos simples e complexos.

desenvolvedor contratar

Avalie a momento de carreira dos candidatos

Independentemente do nível de carreira do candidato que você está procurando, é importante considerar todo o pacote de habilidades deste profissional.

Muitos recrutadores prestam mais atenção aos anos de experiência em trabalhos anteriores.

Entretanto, é importante contratar profissionais nas funções que eles são capazes de atuar no momento. Afinal, a área de tecnologia está sempre em constante evolução.

Se você encontrar um profissional que parece muito promissor, pode ser uma boa ideia contratá-lo e investir para que ele evolua dentro da empresa. Dessa forma, você ganhará muitos anos de produtividade e estabilidade.

Contrate pensando sempre na equipe atual

A decisão sobre qual nível de desenvolvedor contratar dependerá das especificidades do seu projeto e da equipe que você já possui.

Às vezes, tudo o que você precisa é de mais desenvolvedores com conhecimentos básicos para aumentar o ritmo de produção.

Nessa situação, você pode contratar um desenvolvedor júnior ou pleno e treiná-lo de acordo com o conjunto de tecnologias da empresa.

No entanto, se a vaga envolver a criação de uma prova de conceito, soluções experimentais e recomendações sobre as melhores práticas. Neste caso você precisará contratar um desenvolvedor sênior.

Encontre o desenvolvedor ideal na Revelo

No marketplace de talentos Revelo, você encontra desenvolvedores de nível júnior, pleno e sênior de acordo as habilidades e experiências desejadas.

Com a opção Revelo Remoto, sua empresa pode realizar o processo seletivo de forma totalmente digital, desde a entrevista até a assinatura do contrato.

Além disso, para atrair desenvolvedores em menos tempo, você pode contratar o serviço Revelo Prime, uma consultoria exclusiva realizada por um de nossos recrutadores especializados.

Dessa forma, agilizamos o processo seletivo e, em até 10 dias indicamos os candidatos ideais para sua análise e decisão. Experimente!

Cadastre-se na Revelo e comprove a eficiência da
melhor plataforma de recrutamento online!

Related Posts