Desenvolvedores: carreira mais promissora na área tech em 2022

0
Share

Saiba tudo sobre os desenvolvedores: as áreas mais demandadas, habilidades valorizadas, salários e oportunidades de trabalho. Confira!

Apesar da crise econômica causada pela covid-19 nos últimos anos, o setor de tecnologia continuou aquecido em todo o mundo.

De acordo com a pesquisa da Revelo, as contratações no setor entre janeiro e julho de 2021 já representam o equivalente a 95,6% do total de admissões em 2019.

Para 2022, a perspectiva é manter o número de contratações altas nas empresas, com isso, os profissionais de tecnologia serão ainda mais requisitados.

Por isso, preparamos esse conteúdo especial para você entender tudo sobre a carreira tech que será a mais requisitada em 2022, os desenvolvedores. Confira a seguir!

  1. Conheça as áreas mais demandadas;
  2. Habilidades mais buscadas pelas empresas;
  3. Especialidades dos desenvolvedores em alta no mercado;
  4. Entenda os níveis de carreira do desenvolvedor;
  5. Home office é a preferência dos desenvolvedores;
  6. Trabalho remoto para desenvolvedores no exterior;
  7. Oportunidades para desenvolvedores no exterior;
  8. Como se candidatar para vagas internacionais;
  9. Saiba como se capacitar para tornar-se desenvolvedor;
  10. Desenvolvedor com perfil multidisciplinar;
  11. Qualificação profissional para desenvolvedores;
  12. Como funciona o recrutamento com desenvolvedores;
  13. Testes técnicos mais comuns nos processos seletivos;
  14. Entrevista Técnica com desenvolvedores;
  15. Soft skills essencial dos desenvolvedores;
  16. Salários dos desenvolvedores;
  17. Benefícios mais valorizados;
  18. Saiba como escolher seu futuro empregador;

1. Conheça as áreas mais demandadas

O mercado de trabalho para desenvolvedores é muito amplo e possibilita a escolha entre diversas áreas como back-end, front-end, e full stack.

Segundo pesquisa da Revelo, as especialidades mais comuns destes profissionais são:

  • 24,4% desenvolvedor Back-end;
  • 16,5% desenvolvedor Front-end;
  • 26,7% desenvolvedor Full-stack.
Dados da pesquisa da Revelo com 27 mil desenvolvedores de maio/2021

Desenvolvedor back-end

O desenvolvedor de back-end se concentra em bancos de dados, scripts e arquitetura de sites. Sobretudo, o código escrito por este desenvolvedor tem a função de comunicar as informações do banco de dados ao navegador. 

Em resumo, o desenvolvedor back-end é o profissional responsável por planejar, construir, implementar e, manter a estrutura tecnológica funcionando corretamente. 

Sem o trabalho deste desenvolvedor não teria como um site ou software funcionar, pois ele é responsável pela integração tecnológica conectada aos servidores.

Habilidades:

  1. Domínio de sistemas operacionais específicos para servidores;
  2. Análise de informações, relatórios de erros e estatísticas gerados pelo site;
  3. Entendimento de frameworks para back-end;
  4. Conhecimento de linguagens de programação para back-end ;
  5. Aplicação de técnicas de segurança da informação orientadas a sites
  6. Criação de banco de dados e integração com outras aplicações.

Linguagens utilizadas:

  1. PHP;
  2. Ruby;
  3. Python;
  4. JavaScript.
  5. C;
  6. C#;
  7. C++;
  8. Java.

Desenvolvedor front-end

Como o desenvolvedor front-end cuida da parte do site ou aplicativo visível aos usuários, sua missão é entender o objetivo do projeto e criar ideias e soluções para esta interface. 

Apesar das diferenças, os dois lados precisam trabalhar em sintonia para garantir a usabilidade do site e uma boa experiência de navegação.

Dependendo da aptidão, este desenvolvedor também pode se tornar um web designer ou UI/UX designer, focado na jornada e experiência do usuário.

Habilidades:

  • HTML: para criar a estrutura e conteúdo;
  • CSS: para fornecer páginas em cores, fontes e imagens de plano de fundo;
  • JavaScript: para trazer dinamismo e melhor interação às páginas.

Uma das habilidades fundamentais é JavaScript, pois é uma linguagem muito versátil e trabalha em paralelo com CSS e HTML, utilizada em vários softwares, sites e aplicativos. Além disso, requer familiaridade com frameworks e bibliotecas como:

  • AngularJS;
  • EmberJS;
  • Foundation;
  • Bootstrap;
  • JQuery;
  • Backbone.

Desenvolvedor Full-Stack

O desenvolvedor Full-Stack possui um perfil mais generalista e por reunir conhecimentos e habilidades técnicas de back-end e front-end, deve ser capaz de trabalhar nas duas frentes.

Em geral, possui especialização em uma das tecnologias de origem, como PHP, e tem conhecimento em outras linguagens muito utilizadas, por exemplo:

  • PHP;
  • Ruby;
  • JavaScript;
  • Python;
  • C;
  • C#;
  • C++;
  • Java.

2. Habilidades mais buscadas pelas empresas

Para um desenvolvedor, é essencial manter-se atualizado com as tecnologias e habilidades mais requisitadas pelas empresas. Veja algumas delas a seguir:

  1. Java: é uma linguagem popular e muito utilizada pela sua versatilidade e eficiência, pois foi testada por uma ampla comunidade de desenvolvedores. Além disso, é uma ótima base para a criação de aplicativos Android.
  2. React.JS: é a biblioteca mais popular do JavaScript muito utilizada para construir a interface de usuário (IU). A vantagem é que oferece uma resposta excelente para o usuário adicionar comandos usando um novo método de renderizar sites.
  3. Javascript: é uma linguagem leve, dinâmica e interpretada, que permite ao desenvolvedor utilizar tanto a programação imperativa quanto a procedural, ou orientada a objetos.
  4. SQL: é uma linguagem padrão para trabalhar com bancos de dados relacionais considerada a preferida dos desenvolvedores, pois interage com a maioria dos sistemas como: Oracle, MySQL, Microsoft SQL Server, PostgreSQL e T-SQL.
  5. Node.JS: é um ambiente de execução para executar o código JavaScript fora do navegador, com ele é possível construir aplicações desde sites, até APIs e microsserviços. 

Web Frameworks requeridos:

  • JQuery;
  • React Js;
  • Express.JS;
  • ASP.net;
  • Angular.JS;
  • Spring;
  • Voe.JS.

Bancos de Dados solicitados:

  • MySQL;
  • Postgre.SQL;
  • SQL Server;
  • Mongo DB;
  • SQLite;
  • Firebase.

Plataformas utilizados:

  • Linux;
  • WordPress;
  • AWS;
  • Android;
  • Heroku;
  • Azure.

3. Especialidades dos desenvolvedores em alta no mercado

a esquerda a frase especialidades dos desenvolvedores em alta no mercado e a direita mulher no laptop

Além dos desenvolvedores de back-end, front-end, e full stack, existem outras especializações muito valorizadas no mercado nacional e internacional. Conheça algumas delas a seguir:

Desenvolvedor de software: competências e atribuições

No dia a dia, esse profissional é responsável por criar sistemas, fazer a manutenção dos programas, corrigir possíveis erros e garantir o bom funcionamento do software.

Para entender o que faz um desenvolvedor de software, antes de tudo, é preciso entender o que é um software.

Em resumo, é uma solução tecnológica criada para smartphones, computadores, máquinas ou sistemas de dados, desenvolvidos a partir de um código de programação. Por exemplo:

  • Software de aplicativo: utilizado para criação de dispositivos móveis e computadores.
  • Software web: desenvolvido para sites e sistemas utilizados com um navegador, ex: Chrome;
  • Software de sistema: é o que conecta os aplicativos aos recursos de hardware do dispositivo;
  • Software embarcado: criado para controlar máquinas ou dispositivos que não são computadores.

Áreas de atuação do desenvolvedor de software

  1. Desktop: desenvolvimento de sistemas e aplicações para rodar em um computador ou uma rede de computadores;
  2. Aplicativos Mobile: criação de aplicativos para smartphones, tablets e qualquer dispositivo móvel Android, IOS ou outro sistema operacional. 
  3. Sites e páginas da web: desenvolve websites e sistemas para web, realiza a manutenção de websites e outros sistemas online, como blogs, lojas virtuais, sites institucionais, etc.
  4. Jogos digitais: desenvolve jogos online para consoles, desktop, web e mobile, usando as linguagens específicas dessas plataformas.
  5. Inteligência Artificial / Machine Learning: desenvolve sistemas e softwares capazes de executar tarefas que são normalmente realizadas por pessoas.

Principais linguagens utilizadas

Os desenvolvedores de software podem ser especializados em uma área ou linguagem, mas precisam ter conhecimentos básicos das principais linguagens de programação utilizadas.

  • Java Scriptprogramação de interação e usabilidade no navegador;
  • HTML/CSS: aplicada em estrutura e estilo das páginas web;
  • SQLusada para operações e consulta no banco de dados;
  • Python: linguagem usada para back-end e área de dados;
  • Java: linguagem usada para back-end em empresas e sistemas de grande porte.

Desenvolvedor de aplicativos: os queridinhos das empresas

Esse é o profissional que transforma a ideia de um aplicativo em um produto real, em seguida, o app será disponibilizado nas plataformas Android ou iOS.

Existem três especialidades de desenvolvedor de aplicativos, o desenvolvedor iOS, desenvolvedor Android e o desenvolvedor de aplicativos híbridos.

Para trabalhar nessa área, o desenvolvedor precisa dominar linguagens de programação específicas. Entre as principais estão: Java (Android), HTML5 (multiplataforma), Swift e Objective-C (iOS), C# e Visual Basic (Windows Phone).

Funções do desenvolvedor de aplicativos

Nessa carreira existem algumas distinções entre as funções, por isso, é importante conhecer o escopo do projeto para entender qual é o desenvolvedor ideal para cada trabalho.

  • Desenvolvedor de app front-end: com base na arquitetura desenvolvida por um designer, esse profissional irá viabilizar as telas visuais e toda a interação com o sistema. Em geral, utiliza programas como: XCode (iOS) e do Android Studio (Android).
  • Desenvolvedor de app back-end: cuida das bases de dados, integração com os servidores e regras da aplicação, aquilo que não está à vista do usuário. As linguagens normalmente utilizadas são: JavaScript, Java, C#, PHP, Ruby, entre outras.
  • Desenvolvedor de app full-stack: embora possa ter maior conhecimento de uma das áreas, precisa ter competência para trabalhar nas duas frentes de programação. Ele pode ser envolver também em Design UX/UI, área que se concentra na interação do usuário.

Desenvolvedor Kotlin: outra especialização promissora

Kotlin é uma linguagem moderna, pragmática e de plataforma cruzada muito bem aceita pela comunidade mundial de desenvolvedores Android.

Devido a sua popularidade, muitas empresas migraram seus aplicativos Android criados em Java, para Kotlin. Por isso, estão preferindo contratar desenvolvedores especializados nessa linguagem.

No entanto, esse profissional precisa ter entre suas habilidades o conhecimento de Java, pois Kotlin é 100% interoperável com Java para desenvolver aplicativos Android.

Desenvolvedor Python: fundamental nas empresas

O desenvolvedor Python é o profissional que desenvolve sistemas, estrutura bancos de dados e constrói soluções web. Além disso, realiza manutenção e correção de erros.

Cada vez mais, essa linguagem é utilizada em soluções web, aplicações de processamento de texto, machine learning e data analytics.

Suas principais características são: interoperabilidade, aplicação multiplataforma, robustez e velocidade do aprendizado.

Assim, Python vem se destacando pela capacidade de combinar uma sintaxe clara e direta com excelentes recursos de bibliotecas, módulos e frameworks.

Habilidades:

  • Experiência em Core Python;
  • Conhecimento de estruturas como: Django, Flask e CherryPy;
  • Entendimento de bibliotecas Object Relational Mapper (ORM);
  • Habilidades voltadas para a Ciência de Dados;
  • Experiência com Aprendizado de Máquina e IA;
  • Conhecimento de Arquitetura de Multi-Processos;
  • Entendimento de mapeadores relacionais de objetos.

Desenvolvedor PHP: tudo o que você precisa saber

PHP é usado para criar sites interativos e responsivos e está entre as primeiras tecnologias do lado do servidor que podem ser incorporadas em HTML, facilitando a criação de funcionalidade em páginas da web.

Em geral, PHP pode ser usado para:

  • Enviar e receber cookies;
  • Criar o conteúdo da página;
  • Saída de arquivos PDF e imagens;
  • Criptografar dados;
  • HTML de saída.

Além disso, a linguagem PHP permite criar aplicativos com agilidade, pois os desenvolvedores têm acesso a diversos frameworks e bibliotecas para criar funções comuns em pouco tempo.

Os frameworks aumentam a eficiência no desenvolvimento e incentivam os desenvolvedores a seguir as melhores práticas de codificação. Entre os mais populares estão: SymfonyLaravelLaminas ProjectCakePHP.

Hoje em dia, embora o PHP não seja uma linguagem em ascensão, grandes empresas como WordPress, Wikipedia, Slack e Facebook, usam a linguagem em suas plataformas e sistemas.

Além disso, o PHP permanece no ranking da Stack Overflow entre as linguagens de programação mais populares entre os desenvolvedores de todo mundo.

Entenda o trabalho do desenvolvedor PHP

Como é uma linguagem muito flexível, os desenvolvedores PHP podem ser responsáveis ​​por muitas tarefas. Veja algumas delas a seguir:

  • Desenvolvimento de sites, aplicativos e programas;
  • Escrever, testar e manter um site ou código de aplicativo;
  • Depuração e solução de problemas de segurança e problemas de código;
  • Elaborar especificações detalhadas;
  • Contribuir em todas as fases do ciclo de vida de desenvolvimento;
  • Desenvolver e implementar novos recursos para simplificar procedimentos;
  • Trabalhar em equipe para desenvolver e refinar soluções de software.

Desenvolvedor SQL: profissional essencial nas empresas

SQL é uma linguagem padrão para bancos de dados relacionais considerada a preferida dos desenvolvedores dessa área, pois interage com a maioria dos sistemas como: Oracle, MySQL, Microsoft SQL Server, PostgreSQL e T-SQL.

Desse modo, a principal habilidade do desenvolvedor SQL é o desenvolvimento do bancos de dados para uma ampla variedade de aplicações e usos comerciais. 

Para isso, a maioria dos sistemas de banco de dados relacionais usam o SQL como a linguagem de banco de dados padrão, tornando esse trabalho ainda mais específicos.

Além disso, a tendência é que o desenvolvedor SQL se torne ainda mais indispensável. Afinal, as aplicações dessa linguagem são muito versáteis e, frequentemente usadas nas empresas.

De acordo com a Stack overflow Developer, SQL está entre as quatro linguagens mais populares entre desenvolvedores. Pois, as aplicações são versáteis e, frequentemente usadas nas empresas.

Recursos do SQL:

  1. Execução de consultas, que são “perguntas” feitas ao banco de dados;
  2. Recuperação dados;
  3. Edição de dados: inserir, atualizar, excluir ou criar novos registros;
  4. Criação de visualizações;
  5. Configuração de permissões;
  6. Criação de novos bancos de dados.

Aplicações do SQL:

  • Análise de Dados;
  • Segurança de dados;
  • Inteligência Empresarial;
  • Inovações no desenvolvimento de novos aplicativos.

4. Entenda os níveis de carreira dos desenvolvedores

a esquerda a frase Entenda os níveis de carreira dos desenvolvedores e a direita homem na imagem subindo degraus

Para entender mais sobre essa carreira tão requisitada nas empresas, é fundamental compreender as diferenças entre os níveis: júnior, pleno e sênior.

Desenvolvedor Júnior: perfil entusiasta

O desenvolvedor júnior é um profissional em constante aprendizado e, por isso, necessita de apoio técnico dos membros da equipe mais experientes.

Veja algumas características:

  • Domínio dos recursos básicos da linguagem de programação;
  • Capacidade de encontrar soluções para problemas simples;
  • Possui conhecimento básico em alguma estrutura de framework;
  • Auxilia na coleta e documentação dos requisitos do usuário;
  • Contribui com as revisões de projetos e de códigos.

Desenvolvedor Pleno: perfil independente

O desenvolvedor pleno possui um perfil independente e participa de quase todos os estágios do projeto, além de trabalhar muito bem em equipe.

Conheça algumas características:

  • Possui independência no trabalho;
  • Domina as principais tecnologias da empresa;
  • Trabalha em várias etapas do projeto simultaneamente;
  • Capaz de implementar soluções do início ao fim;
  • Domina metodologias ágeis variadas.

Desenvolvedor Sênior: perfil de liderança

O desenvolvedor sênior é mais experiente e com um alto nível de responsabilidade. Por isso, deve ter o domínio de algumas tecnologias e proficiência em solucionar problemas críticos.

Além disso, é esperado do profissional o perfil de liderança, pois ele é responsável em trazer para sua equipe o direcionamento sobre o desenvolvimento do projeto.

Veja algumas características:

  • Alto nível de conhecimento das tecnologias da empresa;
  • Conhecimento em todos os aspectos do projeto;
  • Capacidade de liderança para delegar tarefas e acompanhar as entregas;
  • Ter uma compreensão profunda do negócio;
  • Mentoria da equipe e suporte para desenvolvimento de novos talentos.

5. Home office é a preferência dos desenvolvedores

a esquerda a frase Home office é a preferência dos desenvolvedores e a direita mulher no laptop

Em geral, os desenvolvedores são profissionais que preferem trabalhar home office. Pois, precisam de muita concentração e foco.

Prova disso, foi a pesquisa da Revelo que destacou que cerca de 78% dos profissionais de carreiras digitais consideram trocar de emprego, caso não haja flexibilidade por parte das empresas em permanecer trabalhando de casa.

Ainda segundo levantamento da Revelo, os benefícios trazidos pelo home office, podem explicar por que da preferência por esse modelo de trabalho.

Veja alguns dos benefícios citados:

  • Não perder tempo no trânsito;
  • Poder trabalhar em cidades distantes;
  • Não precisar morar na mesmo cidade da empresa;
  • Flexibilidade de horários;
  • Ter mais tempo com a família;
  • Ambiente favorável para concentração.

Além disso, atualmente, muitas empresas e multinacionais optam por contratar desenvolvedores remotos em diferentes países.

Afinal, com a popularização do home office, as barreiras geográficas foram quebradas e o mercado se tornou ainda mais globalizado, ficando evidente os inúmeros benefícios para as empresas em contratar desenvolvedores remotos.

6. Trabalho remoto para desenvolvedores no exterior

a frase na esquerda trabalho remoto para desenvolvedores no exterior e direita ciclo de pessoas

O trabalho remoto já é considerado uma forte tendência no mundo, principalmente na área de tecnologia. Nesse cenário globalizado, novas oportunidades de emprego podem ser disputadas e preenchidas por profissionais de qualquer país.

Nessa área, existem muitas vantagens em trabalhar como desenvolvedor remoto para uma empresa estrangeira. Veja algumas delas:

  • Escolher seu horário: o desenvolvedor que trabalha em um fuso horário diferente tem a facilidade de escolher os horários em que deseja trabalhar, embora seja importante que haja uma escala de horários que será combinada com o gestor.
  • Trabalhar com pessoas de origens diversas: ao trabalhar para uma empresa estrangeira, mesmo morando no Brasil o desenvolvedor terá a oportunidade de interagir com profissionais com experiências em multinacionais e em várias Big Techs.
  • Melhor remuneração: trabalhar home office para uma empresa estrangeira, e com o salário atrelado a moedas como dólar ou euro é uma ótima oportunidade para o desenvolvedor ganhar acima da média do mercado nacional.
  • Escolher onde trabalhar: o desenvolvedor remoto pode escolher onde trabalhar, em geral trabalhará em casa, mas também pode optar por outros locais como cafés, coworking ou mesmo em um hotel durante uma viagem.
  • Melhor equilíbrio entre trabalho e vida pessoal: o profissional remoto consegue criar mais tempo livre com a família e amigos, pois não perde tempo com deslocamento e horas extras no escritório.
  • Crescimento profissional: trabalhar com pessoas em todo o mundo traz muitas perspectivas diferentes para os desenvolvedores, permitindo que o profissional cresça em sua carreira profissional com mais agilidade.

7. Oportunidades para desenvolvedores no exterior

A maioria das vagas são para Desenvolvedores back-end, front-end e full-stackDesenvolvedores de Aplicativos, Engenheiros de Dados e especialistas em Cloud AWS. Além disso, as linguagens mais demandadas são Ruby, React, Node, Scala e Python.

Uma dica para o desenvolvedor que deseja trabalhar remoto para uma empresa no exterior é se especializar em uma linguagem de programação e framework.

Afinal, ao dominar uma linguagem o profissional possui mais credibilidade no mercado. Confira as carreiras mais requisitadas na área de tecnologia nas empresas estrangeiras.

Vantagens:

  1. Oportunidade de crescimento profissional.
  2. Trabalhar com o que há de melhor em tecnologia.
  3. Oportunidade de networking com pessoas do mundo todo.
  4. Remuneração muito acima do mercado nacional.

8. Como se candidatar para vagas internacionais

Basta acessar a plataforma de recrutamento tech da Revelo ou baixar o aplicativo, preencher o cadastro e fazer um teste. Depois, é só aguardar que seus dados fiquem disponíveis. 

Após o cadastro ser aprovado, o perfil ficará disponível no marketplace da Revelo e o candidato começará a receber convites de entrevistas em empresas do exterior.

Veja como funciona o processo seletivo internacional

A frase a esquerda como funciona o processo seletivo internacional e a direita recrutadora escrevendo

A primeira etapa do processo é um bate-papo com um consultor da Revelo, nessa conversa é conferido o perfil do candidato, nível de inglês e o momento profissional.

Após a aprovação nessa etapa, a Revelo encontra as vagas ideais no exterior. Ao ser selecionado, a empresa contata o candidato para agendar sua primeira entrevista.

Em média, o processo seletivo tem duração de uma a três semanas. O recrutamento pode variar em cada empresa, em geral, é feita a entrevista, teste técnico e de fit cultural.

Antes de começar o processo seletivo, a equipe da Revelo conversa com o candidato sobre suas dúvidas, além de passar dicas super úteis de entrevistas tech.

9. Saiba como se capacitar para tornar-se desenvolvedor

a esquerda a frase saiba como se capacitar para tornar-se desenvolvedor e direita ilustração do homem levantando pessoas

Os desenvolvedores são um grupo altamente educado, com mais de 60% possuindo um diploma de bacharel ou superior. As áreas de graduação mais comuns são:

  • Sistemas de Informação;
  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas;
  • Engenharia;
  • Ciências da Computação.

Mas a educação universitária tradicional não é tudo, há a possibilidade de ingressar nesse mercado de trabalho sem ter feito uma graduação. Isso porque há muitas vagas que aceitam somente formação técnica.

Confira 5 opções de cursos de formação para desenvolvedor:

1. Ciência da Computação

O curso de Ciência da Computação tem se destacado na área de TI e a demanda por profissionais qualificados é alta e tendência é que aumente ainda mais. 

O objetivo do curso é formar profissionais capacitados para implementar projetos de tecnologia, desenvolver sistemas operacionais, sites, aplicativos, administrar redes, instalar sistemas e gerenciar projetos.

A grade curricular do curso é bastante versátil, com disciplinas como matemática, programação, sistemas operacionais, inteligência artificial, administração, banco de dados, e até empreendedorismo.

O curso dura 4 anos e o profissional poderá trabalhar como Desenvolvedor, Analista de Sistemas, Arquiteto de Software e Gerente de TI. Além disso, também pode atuar no departamento de Pesquisa e Desenvolvimento de empresas ou startups.

2. Engenharia da Computação

O curso de Engenharia da computação é um dos mais versáteis na área de tecnologia. O profissional poderá trabalhar projetando computadores, sistemas digitais, projetos de automação industrial, aplicativos e até robôs.

O curso dura 5 anos e o currículo é bastante completo, com disciplinas que vão desde cálculo, álgebra, física, linguagem de programação, arquitetura de computadores, desenvolvimento de softwares e até mesmo robótica.

3. Sistema da informação

O curso de Sistema da Informação é focado no desenvolvimento e implementação de soluções de TI, com o objetivo de automatizar rotinas e otimizar processos.

Em geral, esse profissional trabalha com gerenciamento de fluxo das informações em redes de computadores, desenvolvimento de sistemas, criação de softwares, sites e gestão de projetos.

Além disso, o analista de sistemas também pode atuar na área de suporte técnico, realizando a manutenção de sistemas, banco de dados e de redes de computadores.

A duração do curso também é de 4 anos e a grade curricular é focada em cálculos matemáticos, algoritmos, linguagem de programação e arquitetura de redes.

4. Tecnologia em Defesa cibernética

O objetivo do curso de Defesa cibernética é compreender e detectar ataques virtuais, desenvolvendo e implementando sistemas de proteção a partir da análise de redes e de sistemas de Internet.

Segundo o relatório da empresa de cibersegurança Fortinet, em 2019 o Brasil sofreu mais de 15 bilhões de tentativas de ataque cibernético em apenas três meses. Sem dúvida, esse contexto evidencia a necessidade de novos profissionais nessa área.

As disciplinas vão desde fundamentos de redes de computadores, introdução a programação, gestão de segurança da informação, e computação forense.

O curso de defesa cibernética é considerado um Curso Superior de Tecnologia (CST) e a duração média é de 3 anos.

5. Análise e desenvolvimento de sistemas

O profissional dessa área desenvolve, projeta e implementa sistemas informatizados. Para isso, uma das habilidades é ter uma visão ampla do projeto, para desenvolver o banco de dados e conhecer os periféricos utilizados para implantação do sistema. 

As disciplinas estudadas são diversificadas, desde fundamentos de redes de computadores, introdução a programação, gestão de serviços para TI, modelagem de sistemas e até mesmo empreendedorismo.

Esse curso na área de tecnologia da informação do tipo CST dura em média 3 anos.

10. Desenvolvedor com perfil multidisciplinar

Hoje em dia, o mercado valoriza um profissional multidisciplinar, o que significa que somente a formação inicial já não é mais suficiente. É preciso desenvolver novas habilidades, para que o colaborador seja incluído em projetos inovadores.

Cursos para aprender novas habilidades:

Desenvolvedor Java

O desenvolvedor especializado em Java é responsável por programar, desenvolver e implantar sistemas na linguagem Java. Suas habilidades são criar, depurar e testar programas, além de corrigir sistemas para atender às necessidades dos usuários.

Muitas vezes os desenvolvedores escolhem a linguagem Java pela sua versatilidade e eficiência, pois a linguagem foi usada, testada e refinada por uma ampla comunidade.

Saiba mais sobre: Desenvolvedor Java: Carreira, Salário e Vagas

Desenvolvedor Front-End

Com a popularidade do JavaScript, a posição de Desenvolvedor Front-End está com alta demanda no mercado. 

JavaScript é uma linguagem de programação utilizada para dar vida aos sites. É de programação leve, dinâmica e interpretada, que permite ao desenvolvedor utilizar tanto a programação imperativa quanto a procedural, ou mesmo a orientada a objetos.

Um profissional especializado em JavaScript é capaz de configurar desde as funcionalidades de botões e formulários, até o visual dinâmico e interativo de páginas da Internet.

Além de criar funcionalidades imprescindíveis para que as páginas sejam responsivas e assertivas aos respectivos visitantes.

Business Intelligence em conjunto com Java 

O profissional que continuará ganhando espaço no futuro com certeza será aquele que usa as técnicas de Business Intelligence (BI) em conjunto com Java.

Esses profissionais utilizam a Inteligência Empresarial, que se refere ao processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte a gestão de negócios, atrelado a linguagem Java.

11. Qualificação profissional para desenvolvedores

Uma ótima opção para quem deseja começar a trabalhar com TI ou se especializar para conquistar novas oportunidades, é o programa de incentivo a cursos Revelo UP.

No programa, os cursos são oferecidos em mais de 30 escolas parceiras, seja presencial ou à distância (online), facilitando o acesso para quem não tem muito tempo livre.

Algumas opções de cursos profissionalizantes são: Desenvolvimento Web e Mobile, Design de produtos, Linguagem (UX/UI) e Ciência de dados (BI) e Python.

Cursos de técnicos para desenvolvedores iniciantes

Entre os cursos profissionalizantes, a formação técnica é uma modalidade promissora, pois pode ocorrer simultaneamente com o ensino médio e tem registro no Ministério da Educação (MEC).

Principalmente, os cursos técnicos são rápidos e práticos, em média, com duração entre um e dois anos. Sobretudo, os cursos técnicos garantem oportunidades de trabalho em um curto espaço de tempo. 

Em alguns casos, a remuneração do profissional de nível técnico é superior ao salário do colaborador de nível superior.

Conheça 5 opções de cursos técnicos:

1. Técnico em Eletrotécnica

Os profissionais formados nessa área atuam na parte de avaliação de projetos e esquemas de instalação, desenvolvendo estudos e projetos de eletricidade.

Em geral, o técnico especializado nesse setor encontra oportunidades de trabalho nas empresas de redes de distribuição e armazenamento de energia elétrica.

2. Técnico em Redes de Computadores

Com o avanço da tecnologia, o setor de redes de computadores está sendo ampliado. Por isso, as empresas estão com alta demanda de colaboradores qualificados para manter as redes de computadores funcionando perfeitamente.

No curso técnico de redes de computadores, os alunos aprendem a instalar e configurar dispositivos e programas conectados à rede, configurar servidores, recursos de segurança e acessos de usuários. Além de corrigir falhas, instalar e manter cabeamentos.

3. Técnico em Logística

No cenário de crescimento de compras online, o técnico em logística está sendo cada vez mais valorizado pelas empresas. Afinal, a área de logística é responsável pela distribuição de tudo comercializado no país.

Neste curso o aluno irá aprender disciplinas das áreas de Administração, Matemática, Informática, Transportes e Legislação Tributária. As funções desse profissional será planejar, programar e coordenar as operações de transporte e distribuição de uma empresa.

4. Técnico em Informática

Este curso é para quem tem interesse na área de tecnologia e deseja atuar com manutenção de computadores, instalação de redes locais e desenvolvimento de sistemas.

Durante as aulas o aluno enfrenta situações reais da profissão, criando projetos práticos e soluções criativas em equipe. Sem dúvida, o curso técnico em Informática é uma ótima opção para quem deseja ingressar na área de tecnologia, uma das mais concorridas do mercado.

5. Técnico em programação de jogos digitais

Para quem gosta de área de tecnologia, uma ótima opção é investir no curso de programação de jogos digitais. Atualmente, esse segmento está em alta no Brasil e contrata muitos profissionais de nível técnico.

Neste curso o aluno irá adquirir habilidades para desenvolver jogos digitais, criar personagens, usar softwares de tratamento de recursos gráficos para montar ambientes virtuais. Além de criar meios de interatividade entre jogadores e jogos.

12. Como funciona o recrutamento com desenvolvedores

Durante o processo seletivo com desenvolvedores, as empresas e startups utilizam duas formas para avaliar os candidatos: a Entrevista Técnica ou o Teste Técnico

Os testes técnicos são aplicados para avaliar as hard skills dos candidatos e podem ser direcionados a conhecimentos teóricos específicos ou resolução de problemas. 

Ao aplicar um teste técnico para desenvolvedores, é possível identificar como o candidato(a) resolve um problema e de que maneira lida com um desafio.

Em geral, os testes técnicos são aplicados ​​com todos os candidatos pré-selecionados após a primeira entrevista, como um fator-chave na escolha do candidato ideal. 

13. Testes técnicos mais comuns nos processos seletivos

Entenda a seguir como são realizados os testes técnicos utilizados frequentemente para a avaliação de desenvolvedores nos processos seletivos.

1. Teste de lógica

Um dos principais pontos para ser avaliado nos desenvolvedores é a capacidade lógica, já que toda linguagem de programação é desenvolvida por meio da lógica.

O teste de lógica tem o objetivo de avaliar as capacidades cognitivas do candidato, projetado para avaliar as habilidades em interpretar padrões, sequências numéricas ou relacionamentos entre formas.

Em geral, o resultado do teste de lógica gera insights interessantes para decidir quais candidatos estão capacitados para as próximas etapas do processo seletivo.

2. Quadro branco

Esse teste é realizado com o auxílio de um quadro branco para que o desenvolvedor resolva um problema ou desenvolva um código do zero.

Essa tarefa ajuda a observar as habilidades do candidato em situações críticas, pois ele não terá acesso às ferramentas com que está acostumado a trabalhar.

Além disso, nesse teste é possível acompanhar a organização do candidato em solucionar os problemas, e qual a lógica será utilizada para resolvê-lo.

3. Análise de códigos com problemas

Esse teste refere-se a análise de códigos com problemas e como podem ser identificados e corrigidos. Desse modo, poderá demonstrar a capacidade do desenvolvedor em ler códigos para encontrar erros, bem como, resolvê-los.

Para que funcione de maneira assertiva, é preciso selecionar um código produzido pela sua equipe que contenha erros de sintaxe ou lógica, para serem solucionados no teste.

4. Análise de códigos de outros desenvolvedores

Outro exercício muito comum aplicado para avaliar as habilidades de um desenvolvedor é a análise de códigos de outros desenvolvedores.

Neste caso, o candidato tem a missão de compreender determinado código, além de identificar outras formas possíveis de desenvolvimento para melhorar os resultados.

5. Testes de algoritmo

O teste de algoritmo é comum em processos de recrutamento de empresas de grande porte, por exemplo, as empresas Amazon, Facebook e Google são conhecidas por aplicar esse tipo de teste. 

Em geral, os testes de algoritmo são estritamente teóricos e exigem muito conhecimento sobre a base da computação.

São semelhantes às provas de concurso público, onde são aprovados os candidatos que estudam mais. Porém, não significa que possuem as habilidades necessárias para a rotina de trabalho.

Para ajudar os candidatos nestes testes, existem canais do Youtube especializados em treinamento para o teste de algoritmos.

6. Criação de Teste unitário

Esse teste é muito semelhante ao teste do quadro branco, porém, seu foco é na realização do teste e não no código em específico. Em geral, equipes de tecnologia com uma filosofia mais básica preferem aplicar esse tipo de teste.

14. Entrevista Técnica com desenvolvedores

entrevista técnica é uma forma de contratar muito mais ágil, pois em cerca de 90 minutos é possível avaliar se o candidato está apto para a vaga. Lembrando que o tempo para cada etapa deve ser flexível de acordo com as necessidades do processo seletivo.

Conheça 8 etapas da entrevista técnica

Etapa 1 – Bate-papo de aquecimento

Para exemplificar, essa conversa costuma ser conduzida com três perguntas:

  • Quais foram as motivações para tornar-se desenvolvedor(a)?
  • Quais foram suas experiências mais relevantes nessa área?
  • Por que essas experiências foram importantes para seus objetivos de carreira?

Etapa 2 – Trabalhando em equipe

Nesse momento são observadas as características de comportamento que evidenciam se o candidato trabalha de forma colaborativa. Confira algumas perguntas comuns:

  • Como funciona sua rotina de trabalho atual?
  • Você mudaria algo na sua rotina de trabalho e por quê?
  • O que você acha sobre programação em par e qual sua experiência?
  • Como seria uma rotina de trabalho ideal para você?

Etapa 3 – Experiência profissional

Nessa etapa, o objetivo é avaliar se o desenvolvedor domina as habilidades técnicas requeridas para a vaga. Para isso, poderá citar experiências profissionais onde utilizou as tecnologias em questão.

Confira algumas perguntas comuns:

  • Qual era sua função nos projetos que participou?
  • Quais foram as tecnologias que utilizou?
  • Qual foi o maior desafio técnico que você encontrou?
  • Qual foi a sua entrega que gerou mais valor para a empresa?

Etapa 4 – Conhecimento Técnico

Nessa etapa, são feitas perguntas para compreender o nível das habilidades técnicas do desenvolvedor. Para isso, precisar explicar sua experiência em cada uma delas.

  • Conhecimento base: quais tecnologias costuma usar em arquitetura, infraestrutura e testes?
  • Back-End: quais linguagens, frameworks e banco de dados prefere usar e por que?
  • Front-End: qual seu domínio das linguagens HTML, CSS e JavaScript?

Etapa 5 – Domínio das habilidades

Nesse momento, você poderá descobrir qual é a proficiência do candidato nas habilidades técnicas citadas na etapa anterior.

Etapa 6 – Solucionando um problema real

Essa etapa é fundamental para o processo, o momento do desenvolvedor mostrar como resolve uma situação real do trabalho do dia a dia.

Etapa 7 – Sobre a empresa

É importante compreender alguns pontos são importantes sobre a empresa. Veja algumas perguntas pertinentes:

  • Quais tecnologias, banco de dados e recursos são oferecidos para a execução do trabalho.
  • Quais benefícios, vantagens e infraestrutura o candidato terá à sua disposição.

Com certeza, com essas informações o desenvolvedor terá mais segurança para decidir se deseja trabalhar na empresa.

Etapa 8 – Dúvidas do candidato

No final da Entrevista Técnica, a empresa poderá abrir espaço para ouvir as dúvidas do candidato.

15. Soft skills essenciais para os desenvolvedores

a esquerda a frase Soft skills essenciais para os desenvolvedores e a direita ilustração de uma mulher tocando trombone

Apesar do trabalho altamente técnico dos profissionais de tecnologia, como os desenvolvedores, a função requer habilidades interpessoais e emocionais para lidar com os projetos, prazos e pessoa.

Conheça algumas das soft skills mais valorizadas:

  1. Comunicação: nessa profissão é essencial se fazer entender com clareza, tanto na comunicação com a equipe, quanto com o cliente ou colegas de fora da área de TI. A comunicação escrita também é essencial, pois muitas conversas são por e-mails e chats.
  2. Aprendizado contínuo: nessa área é fundamental se atualizar para ter novas ideias, criar soluções inovadoras e resolver problemas críticos nos projetos, já que as tecnologias mudam constantemente. As Comunidades Online são uma ótima fonte de conhecimento, assim como, os cursos online e as plataformas de desenvolvimento.
  3. Organização: para o desenvolvedor é muito importante ter um bom gerenciamento de tempo, saber priorizar as tarefas e cumprir prazos. Ser organizado significa também escrever um código limpo e intuitivo, e que os outros desenvolvedores possam compreender facilmente. 
  4. Trabalho em equipe: para trabalhar bem numa equipe de TI é preciso saber ouvir diferentes opiniões, respeitar as diferenças e integrar esforços para realizar as entregas dentro do prazo e resolver problemas críticos sob pressão.
  5. Resiliência: significa aceitar as mudanças sem grandes traumas e reclamações. Uma habilidade essencial nessa área, pois os projetos podem mudar com frequência, por vontade dos clientes ou por questões técnicas, muitas vezes gerando retrabalho.
  6. Flexibilidade: quando o desenvolvedor consegue se adaptar às mudanças com rapidez e está sempre aberto às novas ideias, conseguindo lidar bem com as crises e desafios. 
  7. Trabalhar sob pressão: essa habilidade é fundamental para os desenvolvedores, pois lidar de maneira eficiente com a pressão no trabalho é a única forma de se manter produtivo, eficiente e focado nas entregas.
  8. Liderança: quando o candidato possui a capacidade de conduzir uma equipe de TI com sucesso, motivando os colaboradores para que se integrem e evoluam juntos. Além de ter uma boa visão para negócios e sobre as tendências do mercado.

16. Salários dos desenvolvedores

a frase a esquerda Salários dos desenvolvedores e a direita ilustração de um cofre de porquinhi

Mesmo com os efeitos da pandemia na economia e no mercado de trabalho, a área de tecnologia segue em crescimento, assim como os salários, pois foi percebido em média um aumento salarial de 16,66%.

Panorama de salários por região, área e nível

Segundo estudo da Revelo, nas regiões de Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, a busca por carreiras e profissionais de tecnologia teve um intenso aumento, sobretudo durante os meses de pico da pandemia.

As médias salariais também tiveram um aumento se comparadas ao ano de 2019. Em Belo Horizonte, as médias salariais tiveram um aumento de 20%, enquanto São Paulo e Rio de Janeiro apresentaram um crescimento de 16%.

Panorama de salários por região, área e nível

Segundo estudo da Revelo, nas regiões de Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, a busca por carreiras e profissionais de tecnologia teve um intenso aumento, sobretudo durante os meses de pico da pandemia.

As médias salariais também tiveram um aumento se comparadas ao ano de 2019. Em Belo Horizonte, as médias salariais tiveram um aumento de 20%, enquanto São Paulo e Rio de Janeiro apresentaram um crescimento de 16%.

Média de salário dos desenvolvedores

Média salarial dos desenvolvedores variam de acordo com o nível hierárquico: 

  • Desenvolvedor Junior (1 a 2 anos de experiência) se concentram nas faixas salariais até R$4000.
  • Desenvolvedores Pleno (3 a 6 anos de experiência) faixa salarial entre R$ 4000 e R$6000.
  • Desenvolvedores Sênior (5 a 8 anos de experiência), em geral os salários são acima de R$10.000.

Média salarial dos desenvolvedores de aplicativos:

  • Desenvolvedor iOS Junior (1 a 2 anos de experiência): salário de R$ 6.200;
  • Desenvolvedor iOS Pleno (3 a 6 anos de experiência): salário de R$ 8.000;
  • Desenvolvedor iOS Sênior (5 a 8 anos de experiência): salário de R$ 10.250.

17. Benefícios mais valorizados

a frase à esquerda Benefícios mais valorizados e a direita cesta com itens dentro

Os benefícios corporativos habituais como vale-alimentação, vale-transporte, férias, décimo terceiro salário e plano de saúde, continuam fazendo parte de um bom pacote de contratação e são essenciais para os desenvolvedores.

Entretanto, outros benefícios também são muito valorizados, por exemplo, flexibilidade de trabalho, cursos, programas de saúde e bem-estar e, principalmente, plano de carreira. Entenda mais sobre esses benefícios preferidos dos desenvolvedores:

Trabalho remoto ou híbrido

Um dos benefícios mais relevantes para os desenvolvedores é a opção do home office. Sobretudo, após a pandemia, quando muitas empresas tornaram-se remotas.

O modelo híbrido também pode ser interessante para os desenvolvedores que gostam de se reunir com a equipe alguns dias da semana. Neste caso, a empresa pode oferecer um espaço na própria empresa ou espaços em coworkings parceiros.

Programas de Bem-Estar

Algumas empresas oferecem convênios com plataformas como GymPass ou TotalPass, onde o colaborador pode escolher o plano de sua preferência em uma rede de academias.

Outras oferecem acesso a plataformas de saúde mental com terapeutas, psicólogos, e coaches de diversas especialidades, por exemplo, Zenklub.

Treinamentos e cursos

Com certeza, esse é um dos benefícios mais importantes para os desenvolvedores, pois eles estão sempre buscando se atualizar e adquirir novos conhecimentos.

Pensando nisso, muitas empresas oferecem bolsas de estudos em cursos, pós-graduações, participação em palestras, eventos, conferências e bootcamps da área.

Bônus de desempenho

O bônus de desempenho é um benefício muito motivador para o desenvolvedor. Em grandes empresas como Google, Amazon, Microsoft, o bônus já é considerado uma grande porcentagem da remuneração dos profissionais de tecnologia.

Participação nos lucros

Hoje em dia, muitos desenvolvedores qualificados preferem trabalhar em empresas que oferecem como benefício a participação nos lucros.

Em resumo, esse é um benefício baseado em um programa de compensação que premia os funcionários qualificados com uma parte dos lucros da empresa ou startup. 

Ações para os colaboradores

Algumas empresas oferecem a possibilidade de ganhos em ações para motivar os colaboradores por projetos entregues com sucesso.

Plano de carreira

Oferecer um plano de carreira estruturado motiva os colaboradores a continuar por mais tempo na empresa. Pois, sabem que tem a possibilidade real de avançar na carreira.

18. Saiba como escolher seu futuro empregador

a esquerda a frase saiba como escolher seu futuro empregador e a imagem de uma mulher a direita com caneta na mão

Considere suas preferências profissionais e pessoais

Antes de procurar uma nova oportunidade de trabalho ou responder aos convites de processos seletivos, é preciso considerar suas preferências pessoais e profissionais.

8 perguntas para ajudá-lo a refletir sobre isso:

  1. Qual é o meu principal objetivo ao ingressar em uma nova empresa?
  2. Quero trabalhar em uma empresa pequena ou grande?
  3. Quais são as tecnologias que desejo trabalhar?
  4. Meu objetivo é aprender ou ganhar bem?
  5. Prefiro trabalhar remotamente ou presencial?
  6. Quanto quero ser o mentor de outras pessoas da equipe?
  7. Quais são os valores essenciais que procuro na empresa?
  8. Desejo apenas codificar ou também participar do desenvolvimento do produto?

Após responder a essas perguntas, você entenderá melhor qual empresa atenderá suas necessidades e qual será a escolha certa para sua carreira. 

Avalie o que torna uma empresa atraente

Após analisar suas preferências pessoais e profissionais, chegou o momento de olhar para a empresa. Existem algumas características universais que os grandes empregadores têm e que você deve considerar antes de escolher onde trabalhar.

Conheça alguns pontos para refletir e perguntas para fazer na sua pesquisa ou entrevista, para entender qual é a empresa ideal.

Priorize uma empresa que resolve um problema real

Uma boa empresa é aquela que resolve um problema real e gera valor para a sociedade. 

Como desenvolvedor, você deve pelo menos entender os fundamentos do negócio e se os fundadores têm experiência profissional e potencial para executá-lo com sucesso. 

5 perguntas para avaliar o negócio:

  1. Qual é o problema que a empresa está resolvendo?
  2. Há quanto a empresa está no mercado?
  3. Qual é o plano de negócio da empresa? 
  4. Como a empresa ganha dinheiro? A empresa é lucrativa?
  5. A empresa tem clientes fixos? Quais são os maiores clientes?

A cultura da empresa e seus colaboradores

Ao escolher uma empresa para trabalhar, a cultura da empresa e seus colaboradores são aspectos muito importantes. Afinal, trabalhar com pessoas que compartilham dos mesmos valores poderá tornar seu trabalho mais eficiente e agradável.

5 perguntas para avaliar a cultura da empresa:

  1. Quais são os valores da empresa?
  2. Como é o processo de entrevista?
  3. Como você melhora o trabalho em equipe entre os colaboradores?
  4. Quais eventos corporativos vocês realizam ou participam?
  5. Quais seriam os diferenciais da cultura da empresa?

Plano de carreira e oportunidades de crescimento

Um aspecto imprescindível de um bom empregador é oferecer aos colaboradores oportunidades de crescimento e plano de carreira

A jornada e os resultados podem variar, mas o ponto principal é que uma boa empresa oferece desafios, feedback e um ambiente de suporte para o crescimento profissional.

5 perguntas para avaliar se a empresa investe no colaborador:

  1. A empresa oferece plano de carreira?
  2. Como o feedback é dado e recebido na empresa?
  3. A empresa realiza 1: 1s regulares?
  4. A empresa tem iniciativas de mentoria? 
  5. A empresa tem orçamento para fins educacionais, como livros, cursos e conferências?

Autonomia e confiança

Um bom empregador deve confiar que seus colaboradores darão o melhor para buscar os objetivos e resultados da empresa. Na rotina de trabalho, os processos da empresa devem estimular esse tipo de pensamento.

5 perguntas para avaliar se a empresa oferece autonomia

  1. A empresa permite trabalho remoto?
  2. A empresa monitora o tempo de trabalho e a eficiência de seus funcionários? Se sim, como?
  3. Como são tomadas as decisões técnicas (por exemplo, arquitetura para um novo serviço)?
  4. Quais são as horas de trabalho previstas? Posso fazer um intervalo de 2 horas no meio do dia e trabalhar mais à noite?
  5. Como se tornar um líder de projeto na empresa?

Equilíbrio entre vida pessoal e trabalho

Para ter uma carreira sustentável, seu trabalho e vida pessoal precisam estar em equilíbrio

Em geral, os bons empregadores se preocupam com o bem-estar dos seus colaboradores, por isso, investem em ações focadas em saúde e bem-estar

5 perguntas para avaliar esse equilíbrio:

  1. Como a empresa ajuda os funcionários a manter o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal?
  2. A empresa oferece algum benefício para o bem-estar físico e mental?
  3. A empresa permite trabalho remoto?
  4. Com que frequência seus funcionários fazem horas extras? Como é compensado?
  5. Você pode me contar como é um dia típico de um desenvolvedor na empresa?

Sucesso compartilhado com os colaboradores

Um bom empregador compartilha seu sucesso com os colaboradores. Por isso, muitos profissionais de tecnologia preferem trabalhar em empresas que oferecem ganhos em ações.

Em startups, onde muitas vezes é necessário trabalhar horas extras, pode fazer sentido virar sócio, já que você faz parte de uma equipe enxuta que dá vida à ideia.

Caso a empresa não forneça essa possibilidade de ações para funcionários, pode oferecer bônus por projetos entregues com sucesso.

2 perguntas a serem feitas sobre ações e bônus:

  1. Vocês oferecem opções de gratificação como ações ou bônus?
  2. Em caso afirmativo, com base em quais critérios? 

Pergunte sobre as tecnologias utilizadas

Na entrevista com o gestor, faça perguntas sobre as tecnologias utilizadas, quais são os processos em torno do desenvolvimento, e desafios atuais da equipe.

Com certeza, saber mais sobre essas questões poderá gerar mais confiança, do ponto de vista técnico, se você estará na empresa ideal.

Se possível, peça para conhecer sua futura equipe. Afinal, você passará muito tempo com essas pessoas, é importante ter contato com alguns colaboradores e avaliar se os valores se alinham.

Além disso, faça sua própria pesquisa sobre o diretor de tecnologia para saber um pouco sobre sua carreira profissional, se possível, verifique suas avaliações no Linkedin.

5 perguntas para avaliar a parte técnica:

  1. Quais as principais tecnologias utilizadas na empresa?
  2. Quem é responsável pela equipe de desenvolvimento?
  3. Os gerentes de projeto são da área de tecnologia?
  4. A equipe de desenvolvimento trabalha com agilidade? Quais metodologias utiliza? 
  5. A empresa investe em novas tecnologias?

Revelo: seu marketplace de talentos para contratar Devs

No marketplace Revelo, você pode selecionar e contratar desenvolvedores com as habilidades e experiências desejadas.

Oferecemos ferramentas e suporte especializado no recrutamento e seleção de profissionais tech para você contratar com qualidade e rapidez.

Além disso, com a opção Revelo Remoto, sua empresa pode realizar o processo seletivo de forma totalmente digital, desde a entrevista até a assinatura do contrato.

Conheça nossas principais ferramentas:

  • Diversidade: use opções de filtros para promover processos seletivos mais inclusivos na sua empresa;
  • Integração ATS: nosso sistema pode ser integrado com Kenoby, Gupy, Workable e Greenhouse;
  • Mais praticidade em processos remotos: sincronize sua agenda do Google Calendar e converse com profissionais por videoconferência em nossa plataforma.
  • Atendimento personalizado: conte com o suporte da Revelo a qualquer momento. Aprenda sobre nosso sistema de acordo com as necessidades da sua empresa.

Faça seu cadastro e veja uma demonstração da plataforma. Experimente!

Sobre a autora: Tárin Reis, Jornalista e Redatora especialista em conteúdo web sobre tecnologia, carreiras e capacitação profissional.



Related Posts