Como o employer branding pode dobrar o número de candidatos interessados em sua empresa

0
Share

Quer entender melhor como o employer branding pode ajudar sua empresa?

Qualquer um que já se aventurou pelo setor de Recursos Humanos sabe que a seleção é apenas uma parte do processo de recrutamento.

Antes, há uma série de etapas necessárias para encontrar o candidato ideal.

Pensando nisso, foi desenvolvido o conceito de employer branding, que estimula a atração dos melhores talentos por meio do reforço da marca e do apelo da empresa.

Quer saber como encurtar o caminho na busca pelo colaborador ideal para a sua empresa?

Então continue a leitura e descubra o poder dessa ação.

O que é employer branding

Employer branding é uma estratégia que relaciona marketing e Recursos Humanos para acelerar e melhorar o processo de contratação e atração de talentos.

O objetivo principal é fazer com que a empresa tenha uma imagem positiva não apenas entre os próprios funcionários, mas também no mercado.

Em outras palavras, transformar sua organização em um lugar no qual as pessoas sonham em trabalhar.

Criar uma boa impressão coletiva não é uma tarefa fácil.

Essa ação exige tempo, dedicação e recursos, já que coloca o colaborador no cerne do planejamento.

Sendo assim, não é nenhum exagero dizer que ela funciona como o conceito da jornada do cliente, substituindo o consumidor pelo talento pretendido pela empresa.

Benefícios do employer branding

Os melhores candidatos não são atraídos apenas pelo salário. Nem todos estão dispostos a sacrificar o conforto e o bem-estar em troca de recompensa financeira.

É claro que um pagamento justo estimula a boa imagem da empresa, mas esse é apenas um dos fatores cruciais para cultivar impressões positivas.

Por meio do employer branding, você pode atrair mais talentos e filtrar com precisão o tipo de profissional que deseja impactar.

A seguir, confira alguns dos principais benefícios gerados com a implementação dessa estratégia.

Atração de talentos

Como vimos, os melhores profissionais do mercado buscam mais do que uma remuneração adequada. Eles querem plano de carreira, bom ambiente de trabalho, desafios profissionais e perspectiva de crescimento.

Então, se você mostrar ao mundo que oferece tudo isso (e mais), tem maiores condições de atrair os grandes talentos. É uma maneira prática de ganhar da concorrência na disputa pelos melhores.

Segmentação dos perfis

Com o employer branding, você pode construir uma imagem que dialogue diretamente com o perfil de talento que almeja contratar. Ou seja, você vai transmitir uma mensagem que vai ressoar melhor aos ouvidos daqueles profissionais que combinam com o seu ambiente de trabalho.

Dessa forma, economiza tempo e dinheiro em novos processos seletivos, pois já terá a atenção das pessoas certas.

Redução de custos

Ao manter uma imagem positiva no mercado e dentro da própria organização, sua empresa consegue captar o interesse de profissionais sem tanto esforço. Assim, não precisa gastar fortunas para divulgar vagas.

São os grandes talentos do mercado que virão até você e se cadastrarão no seu banco de talentos. Mais fácil, não?

Aceleração das contratações

Ao captar a atenção dos profissionais certos, você ganha tempo, já que manterá um banco de talentos reforçado e terá maiores condições de filtrar adequadamente os perfis mais interessantes.

Assim, com maior agilidade no recrutamento, você torna todos os processos da empresa mais ágeis, não deixa gaps de funções e economiza tempo dos profissionais de Recursos Humanos.

Passo a passo para o employer branding

Até agora, você viu como as ações para fortalecimento da marca e consequente melhoria no setor de recrutamento partem de dentro para fora. Então é hora de saber como colocar essas ações em prática.

A seguir, você confere um passo a passo para implementar essa estratégia na sua organização.

1. Defina o perfil de candidato ideal

No marketing, esse conceito é chamado de persona. A definição do perfil de candidato ideal é o primeiro passo para encontrá-lo.

Com esse planejamento em mãos, será muito mais fácil determinar cada uma das ações subsequentes.

Lembre-se de que é possível criar mais de uma persona, claro.

Uma empresa de software pode ter uma para desenvolvedores, outra para profissionais de Business Intelligence, etc.

2. Mapeie funções e habilidades

Tanto para recrutar novos funcionários quanto para realocar aqueles que já fazem parte da sua equipe, é muito importante registrar seus pontos fortes, fracos e preferências de trabalho.

Essas informações podem ser requeridas, inclusive, por meio de formulários e respondidas pelos próprios candidatos e colaboradores.

Vale a pena ficar atento a todos os processos e todas as funções existentes hoje na sua organização. De olho em todas as demandas, quais são as principais soft skills e hard skills necessárias para cada uma das funções?

3. Customize sua oferta

Ao apresentar novas vagas, seja transparente com relação ao que a sua empresa tem a oferecer. Informações ocultas só trarão candidatos desqualificados ou desinteressados na vaga.

Então vale a pena expor logo todos os detalhes, incluindo salário, pré-requisitos, benefícios, atribuições e plano de carreira.

4. Escolha as ferramentas ideais

Neste mesmo texto, citamos o conceito de HR Tech. Esse certamente é um dos alicerces para a construção de um bom employer branding.

Então estude o mercado, verifique as opções disponíveis e seja certeiro na aquisição das melhores ferramentas para auxiliá-lo nessa tarefa.

Que tal contar com um marketplace de talentos como a Revelo?

5. Elabore KPIs para análise

De nada adianta implementar uma estratégia de reconhecimento da marca sem elaborar metas tangíveis para análise posterior. Ou seja, devem ser mensuráveis numericamente.

Algumas das principais métricas são o Tempo de Recrutamento, Satisfação do Colaborador, Taxa de Candidato/Entrevista, Custo por Contratação e Taxa de Turnover. Registre-as, revisite-as e faça o possível para melhorar os números.

6. Utilize o e-NPS

Os questionários regulares podem dizer muito sobre o que deve ser reajustado internamento no que diz respeito às pessoas da sua empresa.

Sendo assim, alie os dados recolhidos para realizar melhorias de condições e aumentar a taxa de retenção de talentos.

7. Reforce sua imagem

O employer branding, de fato, exige ações concretas de divulgação da sua marca.

Para isso, vale a pena adotar a estratégia do marketing de conteúdo, que é a criação de material informativo a respeito de área de atuação, produto, serviço e, claro, do ambiente de trabalho.

Algumas das principais plataformas de divulgação online são os blogs, as redes sociais e o e-mail marketing.

Em todas, considere os profissionais interessados na sua empresa como leads. Assim, você capta sua atenção e estreita os laços ao longo do tempo, mantendo um relacionamento que vai se fortalecer e que vai fazer a diferença quando surgirem novas vagas.

Nessas publicações, valorize todos os diferenciais da sua organização, como o respeito pelos funcionários, os recursos e comodidades disponíveis no ambiente de trabalho, o perfil da equipe que já atua na empresa e outros aspectos que julgar relevantes.

Vá além do employer branding

A adoção dessa estratégia permite que você eleve o nível de contratação e recrutamento na sua empresa. Veja três dicas que complementam o reforço da marca na atração de talentos:

Alinhamento com HR Tech

Apesar de ainda pouco conhecido no Brasil, o termo HR Tech é uma tendência no mundo inteiro. Basicamente é a aliança entre os setores de tecnologia e Recursos Humanos.

O HR Tech tem muito a oferecer no trabalho de employer branding. Isso porque as ferramentas de automação aceleram diversos processos.

Além disso, há outros fatores que auxiliam no aprimoramento da gestão da marca, como o recolhimento de dados para análise, otimização da seleção e inteligência artificial para detectar potenciais colaboradores.

Utilização do recrutamento inteligente

Como visto no tópico anterior, as tecnologias trazem a possibilidade do recolhimento de dados no campo de Recursos Humanos.

Por si só, já é uma grande vantagem, mas o mais importante é o que fazer com essas informações.

Assim entramos no chamado recrutamento inteligente.

Essa estratégia visa a utilizar o material disponível para filtrar, localizar, atrair ou reter profissionais e direcioná-los aos cargos e postos corretos.

Isso faz com que seu máximo potencial seja explorado e, mais importante, traz satisfação pessoal e alta produtividade para o colaborador, um dos pilares do employer branding.

Defensores da marca

Nos dias atuais, a imagem da marca está totalmente atrelada ao que os colaboradores dizem.

Afinal, eles também estão nas redes sociais, revelam ao mundo suas condições de trabalho e influenciam outras pessoas que podem se tornar clientes ou parceiros da sua empresa.

No ambiente de marketing, é muito comum o uso do termo “advogado da marca”, que são clientes que defendem um determinado negócio com unhas e dentes, gerando recomendações.

Com o employer branding, você terá “advogados internos”.

Além da divulgação, há também o fator da retenção.

Certamente os colaboradores pensarão duas vezes ao receberem propostas em outras empresas, já que se sentem confortáveis em suas atuais posições.

Assim, a redução da rotatividade significa redução de custos e elevação da qualidade média dos funcionários. Pois estes, adquirem experiência e know-how ao crescerem junto com a empresa.

Gostou das dicas? Então deixe um comentário, compartilhe suas experiências na área e aproveite para tirar suas dúvidas!

Related Posts