O que você precisa para se planejar para o futuro do trabalho?

0
Share

A tecnologia trouxe novas lógicas de trabalho, facilitando as funções do dia a dia, gerando profissões e trazendo características como a mudança constante do mercado.

A concorrência também aumentou (e se qualificou). Afinal, é possível que um profissional se candidate à vaga perfeita para seu perfil mesmo a centenas de quilômetros da empresa contratante. Então, como se preparar para o futuro do trabalho?

Se você é da área de tecnologia, marketing, gestão ou finanças, já deve ter notado que esses são segmentos profundamente impactados pela transformação digital. Para quem tiver visão e as habilidades certas, as chances de decolar na vida profissional aumentam. Confira a seguir!

Trabalhe 15 horas por semana

Talvez você conheça o livro de Thimothy Ferriss “Trabalhe 4 horas por semana”. É uma ideia que vende o sonho do empreendedorismo que alcança um estado de mínima manutenção e máximo de rendimento. Também é possível que esse tipo de sonho seja o motivo de tantas pessoas migrarem para tal formato de trabalho.

Acontece que o economista britânico Maynard Keynes previu, lá em 1931, em meio a uma grande crise econômica, que no ano de 2030 as pessoas trabalhariam apenas 15 horas por semana, dedicando o resto do tempo à cultura e ao lazer.

Ainda falta uma década para descobrirmos se a visão foi adequada, mas algo muito importante deve ser compreendido: estamos caminhando para uma era em que a tecnologia será cada vez mais usada para contribuir com produtividade das mais diversas funções, seja no serviço braçal ou na área de inteligência.

Logo, a familiaridade com as máquinas certamente será um diferencial para o trabalho do futuro.

Confira tendências realistas para o futuro do trabalho

Pode parecer clichê, mas o futuro é agora. Já estamos vivenciando mudanças drásticas e, para estar pronto, é preciso considerar muitas das tendências a seguir. Além disso, se ainda é possível desenvolver a carreira sem pensar nestes detalhes, é importante saber que eles podem se apresentar brevemente.

Modelos de contrato mais flexíveis

Se antes o foco de uma boa gestão em relação aos funcionários era acompanhar a carga horária e pontualidade, isso já mudou bastante. Gerentes e líderes querem saber a capacidade de entregar resultados que seu time tem. Startups, por exemplo, costumam estabelecer sprints semanais que, quando batidos até quinta-feira, dão a sexta de folga para a equipe.

Automação

A realização de processos repetitivos será cada vez mais absorvida pelo universo das máquinas. Algumas pessoas veem isso como uma grande ameaça. Porém, se seu objetivo não for se aposentar cumprindo apenas a função de apertar parafusos, o mundo está aberto para você. É preciso ser proativo e ter criatividade para encontrar novas oportunidades a cada transformação no ambiente de trabalho.

Trabalho com propósito

Se você já participou de entrevistas de emprego, talvez já tenha ouvido a típica pergunta: onde você se vê daqui a 5 anos? Se antes esse era um termômetro para entender se o funcionário tinha visão, hoje ele representa mais: descobrir o propósito de vida do colaborador.

Não existe uma resposta certa ou errada, mas o contratante estará cada vez mais atento ao propósito do candidato e como isso se encaixa com a cultura da organização.

Trabalho remoto

Se algumas décadas atrás o trabalho remoto era o diferencial de pouquíssimas vagas que permitiam ao funcionário entregar seus resultados sem necessariamente estar na empresa, hoje faz parte de uma flexibilidade de muitos negócios.

Além de vagas para atuação 100% remotas, existem também relações mistas, nas quais o colaborador pode fazer parte do trabalho em casa e participar de reuniões pontuais a partir da elaboração de relatórios.

Economia compartilhada

Com uma característica sustentável e socioeconômica, a cada dia tem surgido mais empreendimentos nessa linha. Como exemplo, temos a Uber e AirBnb, facilitando a operação P2P (de pessoa para pessoa) e trazendo uma frente de trabalho que antes precisava de grande estrutura para a execução de forma individual.

Veja como se preparar para o novo cenário

Grandes mudanças trazem um cenário animador: todos estão em processo de adaptação e essa pode ser uma grande vantagem competitiva no momento de contratação, principalmente se você definir metas profissionais e correr atrás de ferramentas para alcançá-las.

Capacidade de autogestão

Se a folha de ponto não é mais o foco das empresas e os resultados são acompanhados com atenção, sua habilidade em se organizar é fundamental para gerar valor. Aquela figura do chefe no pé cobrando cada atividade que você precisa entregar estará cada vez mais distante da realidade. É preciso ter maturidade e atuar com eficiência. E, além disso, usar metodologias de produtividade, como a Getting Things Done, pode ser mais um diferencial.

Inteligência emocional

Inicialmente fundamental para os líderes, fica cada vez mais importante entender suas emoções e gerenciar os sentimentos que surgem. Além disso, a capacidade da inteligência emocional também contempla a identificação dos humores no ambiente e trabalhar produtivamente com os cenários e personalidades mais distintos.

Pensamento fora da caixa

Sim, você precisa entender cada vez mais sobre dados e desenvolver um olhar analítico a respeito da área em que atua. De qualquer forma, é importante se reinventar e conseguir novas soluções para situações que se apresentarem.

Capacidade resolutiva

Essa habilidade está fortemente ligada ao item anterior. A questão é que as empresas esperam que seus colaboradores sejam cada vez mais capazes de apresentar soluções para situações complexas. Em outras palavras, eles esperam pessoas que acreditem no negócio, vistam a camisa e tenham proatividade para garantir o sucesso.

Criatividade

Uma competência antes restrita a algumas áreas é hoje uma qualidade esperada para todos os ramos, mesmo o de finanças. O mercado não está parado e, para garantir o crescimento, um empreendimento precisa contar com um time pronto para se reinventar, aproveitando insights e apostando em inovações para se destacar e alcançar os objetivos.

Facilidade de lidar com mudanças

Talvez você esteja passando por uma transição de carreira, talvez não. O fato é que qualquer profissional precisa demonstrar flexibilidade e a habilidade de se readaptar, apresentando soluções e bons resultados diante das novidades

Viu como o futuro do trabalho pode ser interessante se você souber como se preparar para o que os negócios precisam? Houve a mudança em muitos paradigmas e o perfil do profissional que prefere não atuar por medo de errar já não tem mais tanto espaço, dando lugar para uma cultura colaborativa e focada em resultados.

Este conteúdo sobre o futuro do trabalho foi escrito em parceria com a iClips, a solução all-in-one para a gestão de agências de comunicação.

Related Posts