Mercado de inovação e tecnologia da China: tendências 2020

0
Share

O mercado de inovação e tecnologia da China é um dos mais desenvolvidos do mundo.

Por isso, conhecer o que está acontecendo por lá é essencial para se manter atualizado das tendências e perspectivas para os próximos anos.

Neste artigo, vamos compreender melhor como é o mercado de inovação e tecnologia da China, quais transformações ocorreram nos últimos tempos e quais são as áreas em alta atualmente.

Como é o mercado de inovação e tecnologia da China

Atualmente a China é um player global com grande influência na área de inovação e tecnologia.

Para compreender melhor o cenário de inovação e tecnologia chinês, um dado interessante é que, das 20 maiores empresas de tecnologia do mundo, nove são chinesas.

É o que mostra um ranking de 2018 feito pela Kleiner Perkins Caufield & Byers em parceria com a Mary Meeker’s.

Entre as companhias, a Alibaba é a que tem maior valor de mercado (509 bilhões de dólares), seguida pela Tencent, Ant Financial e Baidu.

Além disso, a China é o país com mais unicórnios do mundo  — startups avaliadas em mais de 1 bilhão de dólares em preço de mercado.

De acordo com um levantamento de 2019 do Instituto Hurun, são 206 unicórnios chineses  — ultrapassando os 203 dos Estados Unidos.

E ainda há espaço para o surgimento de novas empresas.

Em uma participação no podcast Hipsters Ponto Tech, Lachlan de Crespigny, cofundador da Revelo, explica que, apesar da competitividade entre empresas, ainda existem áreas sem concorrência na China.

De acordo com ele, esse cenário faz com que empresas que lançam produtos em indústrias ainda não exploradas sejam bem-sucedidas.

É diferente da dinâmica brasileira, de acordo com Crespigny. “Aqui geralmente você precisa evoluir seu produto, continuar melhorando”, afirma.

Além disso, segundo ele, é possível tirar dois aprendizados a partir da dinâmica do mercado chinês.

Um deles é realizar processos orientados à velocidade. O outro é realizar testes sobre o que dá certo para o negócio.

Transformações do mercado de tecnologia chinês

Nas últimas décadas, o mercado chinês tem sofrido mudanças relevantes.

Antes, a China era vista como uma indústria que apenas copiava as criações de outros países, incluindo, por exemplo, o segmento de eletrônicos e carros.

Porém hoje o cenário é outro: a China teve forte crescimento econômico e, portanto, passou por diferentes transformações.

Se há 40 anos a economia chinesa era gerida totalmente pelo Estado, hoje ela é impulsionada pelo setor privado.

“Com tantas mudanças, é imperativo inovar e continuar se reinventando na China”, diz Mark Greeven, professor de inovação e estratégia da escola suíça IMD, em entrevista para a revista Época.

Mas isso não quer dizer que o Estado não tenha um papel relevante na alavancagem da inovação.

Afinal, o governo chinês também estabelece metas e objetivos para estimular a produção dentro do país.

“Os chineses perceberam que, na era tecnológica, o caminho mais curto para crescer é apostar em três frentes: inovação, inovação e inovação”, afirma o consultor especializado em tecnologia Eduardo Tancinsky, em uma entrevista para o jornal Estado de Minas.

Já em um artigo para a revista Business Insider, Robert Atkinson, presidente da Information Technology and Innovation Foundation, destaca que um dos aspectos principais da próxima onda de inovação em tecnologia da informação é que ela potencialmente transformará todos os setores.

“É fundamental que os governos adotem políticas para ajudar a acelerar a transformação. É isso que a China está fazendo ao buscar ser a principal economia de TI do mundo“, pontua.

Tendências de inovação e tecnologia em curso na China

Depois de conhecer o mercado chinês, confira abaixo as principais tendências de inovação e tecnologia que se destacam em 2020:

Inteligência artificial

A inteligência artificial surge como uma das principais frentes do mercado de inovação e tecnologia da China  — com destaque para as cidades de Xangai e Pequim.

Não é à toa que o país tem como objetivo se tornar líder global em desenvolvimento e implementação de inteligência artificial até 2030. 

Exemplo disso é a empresa DiDi Chuxing, que já tem planos de disponibilizar o serviço a partir da inteligência artificial, utilizando automóveis autônomos, de acordo com um anúncio feito em 2019 na World Artificial Intelligence Conference.

A projeção é que o serviço esteja disponível em outros países em 2021.

Super apps

Outra tendência são os super apps: aplicativos que integram diferentes funcionalidades, permitindo que os usuários os utilizem para realizar diversas funções em um único local.

O próprio conceito de super app surge a partir de um aplicativo: o WeChat, desenvolvido pela Tencent.

No início, o app era voltado à troca de mensagens. Atualmente, ele acumula recursos como pagar contas, pedir comida e pedir serviço de carona.

Pagamento digital

O pagamento digital é outra tendência marcante que já é uma realidade na China.

De acordo com um relatório divulgado em 2019 pela Statista, em 2018, a participação de mercado de pagamentos móveis na China representou 83% de todos os pagamentos no país.

Novamente, é preciso citar os aplicativos que hoje permitem essa funcionalidades.

Segundo os dados da pesquisa, cerca de 92% da população nas maiores cidades chinesas escolheram o WeChat Pay ou o Alipay, do grupo Alibaba, como principal meio de pagamento.

Tecnologia imersiva

De acordo com um relatório de 2019 elaborado pela empresa chinesa EqualOcean, a tecnologia imersiva está entre as oito principais tendências de tecnologia da China.

Entre as principais tecnologias imersivas existentes hoje, é possível citar realidade virtual (VR) e realidade aumentada (AR) e realidade híbrida (MR).

Trata-se de uma alteração na forma como as pessoas interagem com produtos, o que cria a demanda para que empresas criem inovações utilizando esses recursos.

E aí, gostou de conhecer o mercado de inovação e tecnologia da China e suas principais tendências?

Se você ficou com alguma dúvida ou tem uma sugestão, deixe seu comentário abaixo.

Também compartilhe este artigo com seus colegas nas redes sociais.

Related Posts