Inteligência artificial no Recrutamento: Tudo o que você precisa saber

0
Share

Os impactos da Inteligência artificial não param de crescer e neste artigo falamos mais sobre isso, visto que a IA já chegou no RH de muitas empresas.

Os processos de recrutamento e seleção dizem respeito ao caminho tomado pela empresa na hora de contratar novos colaboradores para o seu quadro. 

Geralmente, existem diversas técnicas que profissionais de diversas áreas empregam na hora de tomar essa decisão. Portanto, podemos perceber que esses processos não são tão fáceis como, erroneamente, muitos costumam acreditar. 

Por exemplo, num processo comum de recrutamento e seleção, existe o empenho de ensinamentos da publicidade, comunicação, administração e gestão, psicologia, entre outros. 

Mas atualmente, é possível notar que cresce o número de empresas que se interessam pelo uso da Inteligência Artificial no Recrutamento e Seleção. 

Essa ferramenta busca gerar resultados mais específicos e diminuir a margem de erro na hora de escolher um candidato à vaga de emprego. 

Assim, o recrutamento e seleção irá muito além das entrevistas de emprego e a escolha de candidatos mais aptos para cargos. 

Afinal, diz respeito à delimitação de um perfil profissional para a empresa, bem como sobre os meios em que se divulgam a vaga e a análise de personalidades.

Para otimizar esses processos, muitas empresas começaram a apostar no uso de algumas tecnologias para se chegar ao melhor resultado. 

Esses partem do pressuposto de que a informática avançou tanto, bem como a ciência de dados, que já é possível utilizá-la para traçar perfis.

Essa não é, necessariamente, uma inovação dentro da nossa vida cotidiana, afinal, sites de relacionamento, por exemplo, sites de relacionamento já usam combinação de dados. 

Para entender melhor sobre toda essa questão, vale a pena conferir essa matéria e entender o que há de mais inovador nas técnicas de recrutamento e seleção!

O que é a Inteligência Artificial

Resumidamente, a Inteligência Artificial diz respeito às evoluções referentes a tecnologia que se debruçam sobre a otimização de processos que antes apenas humanos faziam. 

É o modo como a robótica, a informática e a ciência de dados farão isso hoje é por meio da elaboração de variáveis. 

A partir dela, tenta-se encontrar caminhos, dentro de questões específicas, em que há maior probabilidade de satisfazer um objetivo. 

Portanto, as variáveis irão trabalhar com o devido levantamento de questões que interferem para um determinado resultado.

Para exemplificar, vamos começar com algo mais amplo, que diz respeito à natureza, por exemplo. Para que faça chuva em uma determinada região do país, exige algumas variáveis envolvidas, tais como as massas de umidade, os ventos e a estação do ano. 

Por meio da inteligência artificial é possível combinar essas variáveis para ver se é mais provável ou não que chova.

Por muito tempo, os cientistas acreditaram que esse tipo de manipulação só poderia ser feito para questões como a natureza, ou da mecânica. 

Ou seja, coisas que não são dotadas de opinião ou pensamento. 

Isso porque, acreditamos que os nossos pensamentos são muito responsáveis por aquilo que fazemos, bem como aquilo que somos: as nossas vontades. 

Porém, o avanço dos estudos em análise do comportamento, por exemplo, permitiu perceber que a nossa tomada de decisão também depende de variáveis. 

Com isso, podemos perceber que é possível pensar no uso da Inteligência Artificial no Recrutamento e Seleção.

Ferramentas para a Inteligência Artificial no Recrutamento e Seleção: diferenças entre Machine Learning e Deep Learning

O que é Machine Learning

No caso da tecnologia de Machine Learning, existe o princípio de que as máquinas conseguem aprender mediante a constante repetição de dados. 

Portanto, podemos dizer que um parecer do software será elaborado após um tempo de experiência referente à coleta de dados. 

Por exemplo, uma máquina analisa, durante certo tempo, a resposta de determinadas pessoas a informações tristes. Todos esses dados são computados e armazenados, juntamente às suas variáveis relacionadas. 

Como, por exemplo, se quais subcategorias de notícias tristes são capazes de levar pessoas mais facilmente ao choro. 

E então, como resultado, ao emitir um tipo de notícia triste “a”, a máquina poderá prever as respostas das pessoas. 

Considerando os fatores culturais que nos envolvem, a tecnologia de Machine Learning pode ser bem eficiente, embora não se possa afirmar com razão a reação de alguém.

O que é Deep Learning 

Já dentro do conceito de “Deep Learning”, encontramos um tipo de experimento em Inteligência Artificial que busca gerar maior profundidade no uso de dados. 

Trata-se, portanto, de um tema ainda emergente, e de desenvolvimento recente nos campos da análise do comportamento e ciência de dados. 

De maneira geral, trata-se da coleta de identificar comportamentos repetitivos em conexões neurais, de forma mais responsiva.

Embora seja algo dito recentemente, diversas empresas já incorporam essas medidas, como a Google, que usa Deep Learning em ferramentas de segurança e no Google Tradutor. 

Por exemplo, esse mecanismo consegue fazer os reconhecimentos faciais, identificação de sentimentos mediante tom de voz e trazer respostas a perguntas. Dentro do ramo do Recrutamento e Seleção, pensa-se no uso dessa ferramenta para identificar os comportamentos dos candidatos. 

Assim, é possível pensar em análise mais precisa de comportamento.

Claramente, essas técnicas todas envolvem uma série de implicações morais, bem como divergem opiniões quanto ao resultado final de um processo de escolha de uma vaga de emprego. Ainda assim, é necessário reconhecer o crescimento dessa área e suas contribuições. 

Como o recrutamento e seleção evoluíram com a Inteligência Artificial

Para melhor abordar como as novas tecnologias conseguiram otimizar o processo de recrutamento e seleção, faz-se necessário, inicialmente, compreender essas questões. Afinal, rotineiramente, costumamos entender recrutamento e seleção como uma coisa só. Porém, existem diferenças importantes em ambas etapas desse que é um mesmo processo. 

Inclusive, a Inteligência Artificial irá agir tanto sobre o recrutamento quanto pela seleção a depender dos objetivos de cada empresa. 

A partir dela, é possível realizar processos seletivos mais inteligentes, automatizando processos repetitivos de avaliações. 

Logo, tanto o recrutamento quanto a seleção passarão por um processo de otimização, em que os objetivos são alcançados com maior êxito.

A começar pelo recrutamento, que é o processo inicial e que trabalha, tradicionalmente, com a divulgação de vagas em veículos de comunicação. 

Assim, as empresas costumam elaborar propagandas e anúncios que irão para sites, televisão ou emissoras de rádio.

Todavia, será que dessa forma é possível alcançar de forma direta o público-alvo que se deseja? Nesse sentido, a IA é eficiente na garantia de recrutamentos bem-sucedidos, e a empresa deve considerá-la. Isso porque, o profissional responsável por fazer o recrutamento, deve ter em mente que esse momento deve otimizar ao máximo o tempo da empresa. 

Afinal, simplesmente anunciar uma vaga pode fazer com que surjam diversas pessoas com muito interesse no trabalho. Mas será que todas essas pessoas estão aptas a cumprir tudo aquilo que a empresa estabeleceu como necessário para se trabalhar?

Quais são os benefícios da Inteligência Artificial no Recrutamento?

Nos moldes tradicionais, as empresas buscam, simplesmente, utilizar os meios que são mais conhecidos pelo público-alvo da vaga para decidir sobre a plataforma de divulgação de uma vaga de emprego. 

Assim, por exemplo, se uma vaga espera atingir um público que é mais antenado com as novas tecnologias, com o uso da internet e afins, é muito provável que a vaga seja divulgada nas redes sociais ao invés de em um jornal impresso. 

Essa atitude, de fato, consegue resultar numa forma efetiva de fazer uma triagem sobre os possíveis candidatos de uma seleção. 

Por outro lado, a Inteligência Artificial busca levar essa otimização muito mais além, pois faz do recrutamento uma forma mais específica de diminuir a demanda por análise por candidatos.

No caso de redes sociais que reúnem informações profissionais, é possível fazer a própria distribuição do anúncio entre pessoas que contém os requisitos mínimos para uma vaga. 

Ou seja, ao invés de contar, simplesmente, com a probabilidade de alguém com características compatíveis com a empresa vejam o anúncio, há a certeza de que esses receberão o anúncio. 

A partir de então, já se elimina um tempo considerável pelo retorno do anúncio da vaga em número de interessados.

Existem diversos outros métodos que a empresa pode empregar no momento de fazer a seleção, e todos eles variam muito de acordo com a companhia. Afinal, cada empresa tem a sua cultura.

Assim, a IA pode garantir que diretrizes específicas de cada empresa sejam respeitadas. Isso quer dizer que todas as etapas irão trabalhar de acordo com os princípios pré-definidos de forma muito mais prática e precisa. 

Tudo isso por meio de métodos como critérios de avaliação com pontuação e formação de banco de dados. Como resultado, a empresa poderá experimentar benefícios como:  

Redução de tempo e custos

Vale lembrar que, inicialmente, já se estabelece um perfil ao qual se procura desde o momento do recrutamento. 

Com isso, há necessidade de ênfase em não perder essa persona de vista, e manter sempre dentro do objetivo central ter junto a companhia um profissional que se encaixe nesse ideal. 

Por outro lado, claro que a empresa pode tomar decisões “menos previsíveis” de acordo com aquilo que vivencia durante o processo de seleção. 

Nesse sentido, A Inteligência Artificial na Seleção visa diminuir os riscos da seleção “humana” ser falha e o funcionário não conseguir suprir a demanda que se espera. 

Ao utilizar a Inteligência Artificial, haverá a redução de possíveis equívocos ao selecionar um profissional. 

As escolhas serão mais assertivas, os profissionais poderão especificar suas habilidades, formação e experiências, e essas são todas informações que estarão sempre disponíveis em um banco de dados.

Essa otimização é bastante perceptível no Software da Relevo, já que existe uma pré-seleção dos candidatos feita através de uma inteligência artificial que fica disponível na plataforma e por meio de filtros simples podem ser encontrados pelas empresas e convidados a realizar entrevistas.

Além disso, a inteligência por trás da plataforma da Revelo, permite compreender melhor cada vaga e quais requisitos ela demanda. 

Dessa forma, será possível realizar pesquisas quanto aos candidatos que melhor se encaixam com os requisitos. Trata-se, portanto, de uma forma inteligente e confiável de fazer o recrutamento.

Note que esse recrutamento acontece numa direção contrária aos tradicionais, visto que o próprio recrutador poderá entrar em contato com o candidato. Com isso, a empresa já garante que a sua estratégia de recrutamento chegará naquele que precisa saber da vaga.

Como resultado, tem-se a redução de tempo e de custos, visto que serão menores as chances de ter que repetir o processo inteiro. 

Recrutamento sem vieses pessoais

Para os defensores do uso da IA no Recrutamento e Seleção, a combinação de dados e análise digital de variáveis de nossa personalidade, é superior à análise pessoal. Isso porque as máquinas irão trabalhar com um modelo matemático de cálculo que visa gerar precisão impessoal. 

Ao passo que nós, seres humanos, possuímos maior tendência de avaliar segundo impressões e julgamentos. Como sabemos, esses não são critérios muito específicos para se alcançar uma verdade.

Anteriormente, o modelo que planejava apresentar maior precisão sobre a escolha de candidatos era o teste psicológico. 

Esses consistem no uso de técnicas da psicologia para avaliar traços de personalidade e possíveis comportamentos não interessantes para a empresa. 

Com isso, é possível relacionar a Inteligência Artificial como uma evolução do teste psicológico, em que maior a máquina como avaliadora.

IA nos Recursos Humanos: de quais outras maneiras ela pode ser utilizada?

No meio corporativo, a Inteligência Artificial também é uma crescente nos últimos anos, e não à toa, plataformas digitais como Linkedln cresceram tanto. 

Nesse site, tão popular em nossos dias, cada candidato trabalha diretamente com o fornecimento de dados para uma base. 

Ou seja, cada pergunta que a rede social faz a respeito de sua personalidade, ou de sua formação pessoal, servirá de resultado para pesquisas que uma empresa pode fazer dentro da plataforma. 

E não se engane, pois cada vez mais diversas corporações investirão nesse formato de busca, que geralmente otimiza, ou seja, reduz o tempo do processo de recrutamento e seleção.

Apesar dessa utilidade de análise banco de dados em redes como o Linkedin ou até mesmo em uma base de currículos, como acontece na Relevo, o uso da Inteligência Artificial no Recrutamento e Seleção vai muito mais além e hoje é possível ter uma plataforma digital própria para escolher possíveis colaboradores.

Assim, é possível acompanhar um banco de dados com os profissionais que melhor se adéquam às vagas da sua empresa, o que otimiza e facilita as suas seleções. 

Assim, é possível recrutar esses candidatos quando for necessário, otimizando tempo e sem ter dificuldade de encontrar currículos físicos. É o que a Revelo garante. Saiba mais:

Diferenciais da plataforma Revelo

Na Revelo, a inteligência artificial é usada dentro do sistema para pré-selecionar candidatos. Para isso, ele passa por diversos testes para dar informações para a inteligência artificial conseguir identificar o seu perfil. 

Quando as empresas fazem a busca por vagas ou profissionais específicos na plataforma, garantem muito mais assertividade, já que só 5% dos candidatos recusam uma proposta, ou seja,  95% de assertividade na sua contratação de profissionais de tecnologia!

Isso se deve aos filtros que possibilitam nossa plataforma encontrar o candidato que da o match perfeito  com a vaga. Além da análise do candidato, a IA também opera para entender a vaga. 

A Inteligência Artificial vai substituir os profissionais de RH?

De fato as tecnologias evoluíram bastante nos últimos anos, fazendo com que muitos dos processos que antes demoravam muito tempo para serem feitos, sejam mais práticos. Além disso, existe também a real possibilidade de conseguir fazer mais rápido e com maior qualidade. Mas isso não significa que será feito sem que haja a contribuição de profissionais qualificados.

Afinal, o uso da ciência de dados está sempre ao lado do trabalho humano. Isso porque as máquinas ainda não conseguem analisar todas as variáveis de personalidade com a precisão de uma pessoa. 

Assim, o uso da Inteligência Artificial serve como um acréscimo, um recurso a mais para tornar o recrutamento e seleção menos impessoal e mais técnico. 

A técnica, portanto, está a serviço da melhoria no ambiente profissional, e terá manejo dos profissionais de RH. Pois, eles terão acesso aos resultados da análise feita por Inteligência Artificial e decidirão em cima do que foi pontuado.

Inclusive, já existe uma movimentação em torno da formação de profissionais de RH com especialização no uso de IA. Isso significa que esse modelo conseguirá gerar mais empregos, e estimulará a especialização nos novos formandos. 

Com o passar  do tempo, analistas de recursos humanos que conseguirem manejar as ferramentas da IA certamente terão muitas oportunidades.  

Afinal, após passar por um processo como o da plataforma Revelo, por exemplo, os profissionais de RH precisarão fazer entrevistas, protocolar a admissão e acompanhar os funcionários principalmente nos meses iniciais. Ou seja, fazer o seu trabalho!

Bem, chegamos ao final desse conteúdo, mas se você se interessa em encontrar os melhores profissionais de tecnologia para sua empresa economizando tempo e sendo muito mais  assertivo na sua contratação, conte com a Revelo! 

Receba toda atenção do nosso suporte da venda a contratação. Fale com um de nossos especialistas.

Visite o nosso site e saiba mais!

Related Posts