People Talks: Legiti

0
Share

No #PeopleTalks de hoje, conversamos  com Pedro Sanzovo, CEO da Legiti.

A Legiti é uma startup que tem como objetivo maximizar a receita de seus clientes, protegendo seus negócios contra fraudes de cartão de crédito. Atendendo a empresas da América Latina, eles oferecem uma plataforma de tecnologia automatizada, que coleta e analisa dados para identificar possíveis golpes e oferecer soluções de maneira ágil e inteligente. 

Com uma equipe de apenas 13 colaboradores, o trabalho de cada um é essencial para o sucesso da empresa. Vamos descobrir quais medidas estão sendo tomadas para elevar a moral do time e garantir o crescimento dos negócios em tempos de crise. Com a palavra, Pedro Sanzovo:

Pra mim ?

No geral, eu estou lidando bem com as mudanças . Nos primeiros dias me senti confuso e  ansioso, até entender como funcionaria o trabalho em home office, mas agora estou adorando redefinir a minha rotina. Estou aproveitando bem o tempo extra, consigo treinar todos os dias no mesmo horário, estou lendo mais e comecei a tocar violão. Parece que virou uma chave na minha cabeça. Dentre as leituras, li:

  • “Rota 66” – Caco Barcellos;
  • “‘Macunaíma” –  Mário de Andrade;
  • “Futuro do Capitalismo” – Paul Collier.

E na empresa?

No comercial, algumas negociações estão paradas, mas acredito que é uma questão de tempo até que sejam retomadas. É natural que alguns dos nossos clientes estejam reavaliando seus gastos e repensando estratégias, mas a médio prazo não tenho preocupações, pois o nosso produto é de cost saving (corte de custos) e isso é valioso para as empresas, especialmente em momentos como este. Com relação a expansão estamos sendo mais cautelosos. Nossos clientes estão  mantendo suas operações utilizando recursos como e-commerce e delivery.

O que mudou ?

Começamos com o Home Office dia 17/03.  Estamos fazendo um check in diário, que não acontecia na época do escritório. Todo dia às 11h30, nos reunimos e apresentamos a toda equipe o trabalho realizado por cada um, assim damos visibilidade e reconhecemos os esforços individuais.

Com a mudança do trimestre, estamos buscando alternativas para definir nossas novas metas. Também  nos reunimos frequentemente com os líderes de equipe, e distribuímos formulários para que o time todo esteja em dia sobre nossas estratégias.

E o RH?

O time de RH tem promovido atividades como jogos remotos, bate-papos e coffee breaks. Nós nos preocupamos com a saúde física e mental do pessoal, precisamos garantir que cada um deles se sinta apoiado.

Dá pra sentir a energia baixa de algumas pessoas em alguns momentos, mas temos que ter empatia e bom senso para entender que não dá pra estar 100% neste momento. Tem gente na empresa que não sai de casa nem para ir ao mercado. A quarentena tem afetado a todos de maneiras diferentes, precisamos entender o lado de cada um e fazer tudo a nosso alcance para ajudá-los.

Como está o recrutamento?

Congelamos as contratações, mas não paramos as entrevistas. Estamos montando um banco de candidatos, pois daqui a 2 ou 3 meses podemos voltar a contratar. Além disso, esses processos podem ser bem demorados, durando até um mês para algumas vagas.

Apesar dos nossos investidores não amarem a ideia, não descarto a possibilidade de contratar profissionais excepcionais, ignorando o congelamento. Estou disposto a comprar qualquer briga, caso tenha convicção que uma certa pessoa seja indispensável para o nosso time.

O que está melhor?

Perdemos o medo do Home Office. Após a situação se normalizar, vamos manter o trabalho remoto pelo menos um dia por semana. Alguns times, como o de tech, já demonstraram um aumento considerável na produtividade.

Quais os desafios?

A dinâmica de algumas equipes está sendo um pouco complexa. Assuntos que no escritório poderiam ser resolvidos com uma conversa rápida, acabam virando discussões extensas no Slack. Quando isso acontece, sugerimos mover o papo para um call, onde o problema pode ser solucionado de maneira mais prática. Algumas pessoas mantêm o hangouts aberto o dia inteiro, para que a comunicação ocorra de forma mais eficiente.

Como tinha mencionado, para alguns está sendo difícil manter a positividade, mas estamos tomando um cuidado especial para estabelecer uma cultura de trabalho que nos possibilite alcançar nossas metas, e que ao mesmo tempo respeite os limites pessoais, colocando a saúde  da nossa equipe em primeiro lugar.

Não se esqueça de compartilhar a história do Pedro, e fique ligado no nosso blog com mais histórias da sessão #PeopleTalks!

Related Posts