O que é back-end e quais são as oportunidades para a carreira do desenvolvedor

0
Share

O que é back-end? Front-end? Full-stack?

Essas dúvidas são comuns para quem está pensando em seguir a carreira de desenvolvedor.

Entender a diferença entre cada uma das áreas da profissão é o primeiro passo para quem almeja sucesso, porque elas têm exigências específicas e requerem habilidades diferentes.

Neste texto, você vai entender a diferença entre o que é back-end, o desenvolvedor que lida com o servidor, front-end, o desenvolvedor que lida com o usuário, e full-stack, o profissional que agrega os dois perfis em um só.

Também vai conhecer exemplos de atuação de cada um desses profissionais e vai se aprofundar nas linguagens de programação que são exigidas de cada um.

Ao fim do texto, você será capaz de escolher a área mais adequada para o seu perfil.

Preparado? Para começar, vamos explicar o conceito de back-end.

O que é back-end

Back-end é a camada de programação que fica nos bastidores, no banco de dados. Por exemplo, MySQL, Oracle e SAP são parte do Back-End, que recebe os dados da interface do usuário, o front-end.

Quando um usuário digita o endereço de um site no navegador e acessa determinada página, ele se depara com um layout que combina elementos de design com textos, imagens e cores. É isso que você está fazendo neste exato momento.

Mas a navegação pelo site, com seus menus, links e aplicações, só é possível devido ao trabalho dos bastidores, o back-end.

Em um site, esses bastidores são compostos basicamente por um servidor, um aplicativo e um banco de dados.

O pleno funcionamento do site, das funções que vão desde o cadastro em uma newsletter até a simples disposição da informação na tela do desktop ou do smartphone, é fruto da união entre esses elementos.

Nesse contexto, o desenvolvedor back-end é o profissional responsável por planejar, construir, implementar e, principalmente, manter a estrutura tecnológica que permite a existência básica do site.

Sem o trabalho do desenvolvedor back-end, não há como um site funcionar, porque ele está integrado ao aparato tecnológico que se conecta aos servidores.

Em uma simplificação, é possível dizer que o back-end está relacionado ao “cérebro” do site: essencial para a existência, mas invisível do lado de fora (do ponto de vista dos usuários do site).

Como as tarefas são abstratas em vários momentos, porque não há contato direto com o design e o layout das páginas, os programadores que escolhem a função do back-end são, geralmente, aqueles que adoram trabalhar com códigos e linguagens de programação,

Funções e responsabilidades de um desenvolvedor Back-end:

    1. Domínio de sistemas operacionais específicos para servidores
    2. Análise de informações, relatórios de erros, dados e estatísticas gerados pelo site
    3. Uso de frameworks para back-end voltados para o desenvolvimento de software, com foco nos servidores
    4. Conhecimento de linguagens de programação como Python, PHP, JavaScript, Perl e Ruby
    5. Aplicação de técnicas de segurança da informação orientadas a sites
    6. Criação de banco de dados e integração com outras aplicações.

O que é back-end x front-end

Agora que você já entendeu como funciona o trabalho de um desenvolvedor back-end, vamos abordar as diferenças entre back-end efront-end.

Enquanto o back-end está relacionado ao trabalho dos bastidores, já que o desenvolvedor lida diretamente com os servidores do site, o front-end está relacionado àquilo que é visível ao usuário quando ele acessa um site.

Estamos falando do conjunto de cores, textos e imagens que o usuário enxerga e com o qual se relaciona ao navegar pelo site. Assim, o desenvolvedor front-end lida com tecnologias relacionadas à interface do usuário.

Para conceber um site com identidade digital e animações, o desenvolvedor front-end precisa entender HTML (linguagem de marcação), que permite inserir textos e imagens na página, precisa entender CSS (linguagem de folhas de estilo), que permite colocar cores e efeitos, a fim de criar uma identidade visual, e, por fim, precisa entender JavaScript (linguagem de programação), que traz vida, de fato, à página porque orienta os sliders, o scroll, entre outros efeitos de animação.

Em uma explicação figurada sobre os papéis do desenvolvedor front-end e o desenvolvedor back-end, é possível fazer uma analogia com uma peça de teatro.

Nessa comparação, o back-end, relacionado aos bastidores, seria formado pelo aparato atrás do palco e invisível ao público (usuários do site): técnicos de som e iluminação, figurinistas, maquiadores, etc.

O front-end, por outro lado, seria relacionado justamente ao que o público (usuário) consegue enxergar: os atores que protagonizam o espetáculo e o cenário.

Exemplos de back-end

Ficou clara a diferença entre back-end e front-end? Aprofundando um pouco o tema, vamos listar, agora, exemplos de linguagens que o back-end utiliza na profissão. Confira:

Linguagens voltadas à web

1. PHP
2. Ruby on Rails
3. Node.js
4. Python

Linguagens focadas em soluções desktop

1. C
2. C#
3. C++
4. Java

Exemplos de front-end

Para cumprir as funções de front-end, os desenvolvedores precisam ser adeptos das três principais linguagens utilizadas em programação, que já foram explicadas aqui: HTML, CSS e JavaScript.

Dependendo da aptidão, o desenvolvedor front-end pode também se tornar um web designer ou UI/UX designer, focado na jornada e experiência do usuário.

Exemplos de full-stack

Além do desenvolvedor back-end e front-end, existe uma terceira denominação na profissão de programador: o desenvolvedor full-stack.

Com perfil mais generalista, esse profissional acumula as funções do back-end e front-end.

O termo “full-stack” vem do inglês “pilha completa”. Por reunir capacidades técnicas de back-end e front-end, o profissional full-stack acaba tendo uma visão conjuntural sobre todo o processo de desenvolvimento.

Além do conhecimento técnico mais amplo, que permite a melhor compreensão dos processos, esse profissional é capaz de manter uma comunicação mais eficiente com todas as equipes relacionadas a determinado projeto, porque está por dentro de todas as fases do projeto.

É um perfil de profissional que ganhou relevância nos últimos anos, justamente pelo perfil multidisciplinar.

Carreira em back-end

Como todas as pessoas são diferentes, com interesses e aptidões distintas, é impossível afirmar qual área é a mais adequada para o seu perfil de programador.

Tudo vai depender do foco que você pretende dar a sua carreira, e essa decisão é você quem precisa tomar.

De forma simplificada, seria possível afirmar que, enquanto o desenvolvedor front-end está preocupado com o desenvolvimento da interface da aplicação e com o funcionamento dos elementos que o usuário enxerga a sua frente, o desenvolvedor back-end está empenhado em criar o pano de fundo que faz o sistema funcionar, com banco de dados funcional, regras de negócios, segurança e integração das aplicações.

Não há registros sobre qual é a função mais popular entre os programadores nem é possível afirmar que determinada área tem linguagens mais fáceis de serem assimiladas.

O que é seguro dizer é que o back-end exige maior abstração do programador, porque envolve configuração e leitura de banco de dados, extensas linhas de programação e correção de erros em códigos.

Por esse motivo, alguns profissionais podem preferir o front-end, o que acaba valorizando financeiramente os profissionais back-end. Embora não seja uma regra, esse padrão se comprova no Brasil.

No país, a função do desenvolvedor back-end é tão valorizada quanto a do profissional fullstack. Em média, esses profissionais recebem ofertas salariais de R$ 6,5 mil, enquanto os de front-end ganham R$ 5,8 mil.

Essa informação consta em uma pesquisa da Revelo, conduzida ao longo do ano de 2017, que analisou nove mil ofertas de emprego e 100 mil candidatos no mercado de tecnologia.

Nesse levantamento, os desenvolvedores lideram as remunerações do setor.

Entendeu melhor o que é back-end e quais as oportunidades dessa carreira? Então compartilhe este artigo em suas redes sociais.

Related Posts