O que é liderança para millennials e como recrutar a nova geração

0
Share

O que é liderança para as gerações mais antigas pode não ser o mesmo para os millennials e os mais novos.

Funcionários jovens, ligados às últimas tendências, inovadores nas ideias e nas atitudes, questionadores do status quo, pessoas capazes de levar seu produto ou serviço ao próximo nível, talvez não respondam ao tipo de gestão à qual os mais velhos estão acostumados.

Então, esta é a hora de repaginar sua noção de liderança para atrair millennials e recrutar a Geração Y. De olho no que esses jovens talentos podem oferecer ao seu time e a sua empresa, você vai entender como e por que investir nessa seleção e todos os benefícios que esses novos profissionais trarão ao seu negócio.

O que é liderança para millennials

Liderança é conduzir as pessoas da sua organização rumo aos objetivos estabelecidos. Trata-se de alinhar os colaboradores em torno de metas,  esforços de aumento de eficiência e dedicação ao trabalho. Essa competência do líder depende de atributos como boa comunicação, persuasão, autoconfiança, entre outros.

O problema é que muitas organizações, ainda hoje, se detém a uma gestão de pessoas mais autoritária, com uma hierarquia vertical muito rígida e pouco espaço para ideias, discussões e engajamento.

Então, será que os millennials respondem bem ao tipo de liderança tradicional? Será que uma atmosfera mais flexível, menos focado nas oito horas de trabalho e mais dedicada às tarefas, não oferece resultados melhores?

É o que vamos descobrir neste próximo tópico.

4 regras de liderança para os millennials

Para alguns, liderar é inspirar com exemplos e atitudes. Mas, para os millennials, essa ideia pode não ser suficiente. Por isso, vamos descobrir agora como atrair e reter os mais jovens talentos na sua empresa.

1. Flexibilize a jornada de trabalho

Você precisa pensar em uma forma de tornar o seu expediente flexível. De preferência, se possível, abandone os métodos antigos de jornada com hora para entrar e sair.

Para manter a atenção dos mais jovens e recompensá-los pelo seu tempo, uma ideia interessante é dividir todo o trabalho em tarefas e, em vez de determinar horários rígidos, estabelecer prazos para a entrega de soluções para determinados problemas.

Essa é uma lógica que atende a um anseio dos millennials, que não suportam a ideia de perder tempo e liberdade. Dessa forma, você também oferece um caminho menos tortuoso para que eles driblem um problema bem presente nessa era digital, o da procrastinação. Como o trabalho se resume a tarefas definidas, com prazo de entrega, fica mais fácil criar uma rotina que funcione.

2. Ofereça a possibilidade do home office

A tendência do mercado é que o home office seja parte da equação entre profissional e empresa. Nesse sentido, você pode apresentar a opção do trabalho remoto, embora também ofereça a possibilidade do trabalho presencial. Em qualquer caso, especialmente se você adotar o ponto 1, flexibilize o número de horas para que ele se sinta impelido a cumprir tarefas, e não horários.

A jornada de oito horas diárias não precisa ser cancelada, mas deve permitir adaptações. Ter liberdade para sair e voltar ao escritório é uma forma bem dinâmica e produtiva de trabalho, desde que seja bem organizada. Você não quer um funcionário que esteja deixando de produzir em seu expediente por estar preocupado com um problema pessoal que poderia ser resolvido em uma rápida saída.

Se você estiver disposto a rever as oito horas diárias, é interessante analisar um estudo fornecido pelo grupo Draugiem, que indica que essa carga horária pode ser contraproducente e que intervalos são importantes para manter o alto rendimento. Ou seja:  fazer pausas entre tarefas, levantar para tomar café ou comer um lanche pode ajudar a manter o funcionário em seu pleno potencial.

3. Entenda as necessidades dessa geração

Quem quer entender o que é liderança para os millennials precisa tentar compreender suas dores. Eles precisam ser estimulados e estão acostumados a receber e conviver com muita informação constantemente.

Assim, proibir ou dificultar acesso às redes sociais pode causar mais dispersão do que concentração. Na verdade, esses canais podem ser úteis tanto para descanso como para busca de soluções para obstáculos na rotina de trabalho.

A dificuldade de aceitar ordens, de seguir regras, de cumprir horários e de manter o foco no trabalho são características dessa geração. Então, cabe ao gestor, com bastante criatividade, liderar seus colaboradores para estimulá-los em seu potencial de atuação.

4. Tenha impacto social

A agência Cone Communications revelou em pesquisa que a responsabilidade social corporativa (CSR, na sigla em inglês) faz muita diferença para os funcionários mais novos e que 75% dos entrevistados colocam uma companhia responsável como prioridade acima de um salário competitivo.

Na mesma pesquisa divulgada pela Cone, 88% dos millennials entrevistados afirmam que são mais comprometidos com empresas que colaboram para melhorias sociais e ambientais. Seguindo o mesmo caminho, 64% dos entrevistados da geração Y disseram que se negam a trabalhar para uma companhia que não esteja preocupada com causas humanitárias, sociais ou econômicas.

Por isso, de forma prática, você precisa modelar seu trabalho e as responsabilidades dos millennials para que eles sintam que sua função produz impacto social e que seu produto ou serviço faz a diferença na vida das pessoas. Parece difícil em alguns casos, mas, normalmente, essa regra depende apenas de como você posiciona a sua empresa.

Líderes devem entender quem são os millennials

Já vimos o que você pode oferecer para estimular os millennials em sua empresa. Agora vamos compreender melhor quem são esses profissionaiss e a que tipo de liderança eles respondem.

A moda empreendedora pegou entre os millennials. Eles aprendem desde cedo quais são as tendências do mercado e como o mundo do trabalho funciona. Sabem onde mirar, onde melhorar e como chegarão ao topo.

Conhecido também como “Geração Y”, o millennial é uma pessoa nascida entre os anos 1980 e meados da décadas de 90, que chegou à vida adulta em um momento de prosperidade material, com forte apelo tecnológico e em plena era da globalização.

O millennial, portanto, cresceu em um mundo que já estava preparado para ingressar no novo milênio, totalmente adaptado às ferramentas tecnológicas que estão à disposição. A internet e outros aparelhos como smartphones e computadores são recursos dominados por essa geração.

Ou seja, se você ainda não trabalhou com um millennial, é importante se preparar para estas 5 principais características:

  • Ritmo acelerado
  • Dificuldade de concentração em uma única tarefa
  • Tendência a agir em modo multitarefas
  • Dificuldade em aceitar normas e estruturas hierárquicas
  • Propensão a encontrar soluções inovadoras.

Como atrair os millennials com a sua liderança

É comum que grandes empresas de qualquer ramo utilizem profissionais de recursos humanos para gerir os processos de admissão de funcionários. Mas esse processo de captação e depuração de talentos precisa de alguns ajustes para o relacionamento com millennials. Então, que tal conhecer alguns novos formatos de recrutamento?

Na hora de contratar alguém da Geração Y, pense além do tradicional, liste exigências básicas e funções a serem executadas, salário-base e jornada de trabalho. Pense em alguns pontos como esses:

  • Quais são os objetivos da sua empresa?
  • Como você espera alcançá-los?
  • A companhia possui uma missão fundamental para existir?
  • Como é a rotina de trabalho?
  • Qual será exatamente a função do profissional e como ela irá influenciar os usuários ou clientes?

Quanto mais humana for a empregadora, maiores são as chances de ela ter uma boa imagem no mercado, especialmente para os mais jovens.

Com essa visão, vale a pena primeiro apresentar sua empresa devidamente, para que os melhores candidatos sejam atraídos por ela antes mesmo de uma vaga surgir. Nesse campo, as possibilidades são inúmeras, como vídeos mostrando o ambiente de trabalho, posts em blogs detalhando partes da rotina dos colaboradores, depoimentos de usuários ou clientes, projetos especiais com impacto social no futuro, descrição de missões interessantes que a empresa incorpora, detalhamento de prêmios e conquistas recentes e humanização da marca em redes sociais.

Então, o que o líder pode fazer e levar em conta, na prática, para atrair os millennials?

  • Lembre-se de que o trabalho não é só uma fonte de renda e uma relação vazia entre empresa e funcionário. Oferecer um plano de carreira (com cargos, salários e planejamento adequado) é um voto de confiança muito bem visto por candidatos da geração Y
  • Não esqueça que a escolha por uma empresa ou outra vai além do salário. Conquiste seus candidatos com a sua visão de mundo e com o que eles aprenderão e construirão com você nessa jornada até o sucesso
  • Mude a forma como sua equipe vê o trabalho. Reinvente-se e seja uma empresa que pensa no bem-estar dos clientes e da própria equipe. Estar aberto a ideias pode ser uma excelente maneira de aproveitar o potencial do seu funcionário.
  • Estabeleça uma relação positiva com seus colaboradores, mas não em formato paternal. Defina regras claras, tenha certeza de que o colaborador as compreende e depois cobre tudo o que for acertado. Flexibilização não significa baixa produtividade
  • Fique aberto a novas ideias. O modo acelerado dos millennials pode trazer muitos desafios, mas também apresenta diversas ferramentas que os levam a encontrar soluções inovadoras para problemas antigos
  • Converse com os millennials. Em reuniões, em avaliações, em entrevistas, em redes sociais, em publicações em blogs, lembre de não tratar os mais jovens com condescendência, e sim com respeito. Quanto mais você ouvir, mais vai entender quais são as suas dores, os seus medos e como estabelecer relações e políticas que ajudem tanto a empresa quanto os funcionários.

Entendeu melhor o que é a liderança para os millennials e como atrair essa nova geração para sua empresa? Compartilhe este post nas suas redes sociais.

Related Posts