O que é turnover e quais são seus impactos na organização

0
Share

Compreender o que é turnover e sua correlação com a cultura organizacional de um negócio representa uma vantagem tática expressiva.

Afinal, o termo está estritamente relacionado à capacidade de uma organização preservar seus melhores talentos e, simultaneamente, evitar que sejam absorvidos pela concorrência.

Em artigo publicado na Harvard Business Review (HBR), o professor de Psicologia de Negócios da University College London, Tomas Chamorro-Premuzic, é enfático em relação a esse ponto.

De acordo com ele, empresas que não souberem como engajar seus funcionários mais criativos correm o risco de perdê-los para o empreendedorismo – ou para a concorrência – ficando para trás na corrida para o crescimento, diante dos desafios impostos pela disrupção tecnológica.

“A habilidade de reter e administrar com sucesso seus talentos criativos é, portanto, crítica”, pontua.

No entanto, para implementar estratégias realmente eficientes em termos de redução da rotatividade, primeiramente você deve entender a essência, a aplicação e o cálculo do turnover.

Para isso, siga a leitura e confira os insights que a Equipe da Revelo reuniu com exclusividade para você neste artigo.

O que é turnover

Turnover é um termo em inglês que significa rotatividade e, na área de RH, simboliza um índice que mensura a entrada e saída de empregados na organização.

Em uma linguagem mais técnica, a taxa de turnover é fruto de um cálculo que demonstra a movimentação de colaboradores na empresa.

A fórmula mais aplicada é a seguinte: admissões + desligamentos ÷ 2. Este resultado, por sua vez, deve ser dividido pelo número total de funcionários da organização para se chegar ao índice de turnover.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicados pela Fecomercio São Paulo, a rotatividade pode variar conforme o setor de atuação do negócio – sendo maior no comércio.

O turnover no setor girou em torno de 6,17 no período de 2017.

Mais importante do que verificar o número, porém, é saber interpretá-lo com clareza, considerando o cenário de cada empresa em particular.

Imagine, por exemplo, que ao final de cada ano cerca de 20% dos empregados de uma organização foram embora.

Se manter essa tendência, em cinco anos, a empresa terá substituído seu quadro de funcionários integralmente. Isso se sobreviver até lá.

Para reter seu pessoal, então, é importante avançar para a próxima questão: o que significa um elevado turnover e como identificar suas causas para reverter a situação?

O que significa um alto turnover

Um alto turnover pode estar relacionado a múltiplos fatores e significa que há uma problemática em aspectos associados ao recrutamento e, posteriormente, à gestão de pessoas na empresa.

Um levantamento conduzido e publicado pelo LinkedIn com 10.000 profissionais que recentemente deixaram seus empregos trouxe luz a alguns dos principais motivos que impulsionam colaboradores a abandonarem seus postos:

  • 45% mencionaram que largaram o emprego porque estavam preocupados com a falta de oportunidades para crescer profissionalmente
  • 41% mencionaram que estavam insatisfeitos com as lideranças/gestores da empresa
  • 36% mencionaram que estavam insatisfeitos com o ambiente de trabalho/cultura da empresa
  • 36% mencionaram que queriam um trabalho mais desafiador
  • 34% mencionaram que estavam insatisfeitos com salário e benefícios
  • 32% mencionaram que estavam insatisfeitos com recompensas por seus esforços e sentiam falta de reconhecimento por suas contribuições

Impactos de um alto turnover

O turnover é prejudicial à saúde dos negócios por uma série de motivos.

Talvez o mais evidente de todos seja a perda de um excelente funcionário para a concorrência.

No entanto, essa problemática ainda permeia diversos outros setores da empresa: os custos de demissão e admissão de um novo colaborador, o tempo despendido em relação ao treinamento do substituto, a perda de velocidade na resolução de problemas subsequentes e, por fim, o próprio desgaste no clima organizacional.

Afinal, a saída de um colega de trabalho sempre tem, em algum nível, respaldo em seus amigos no ambiente laboral.

Quanto maior o porte da empresa, mais impactantes são os efeitos da rotação.

A seguir, você pode compreender em detalhes cada um deles:

1. Finanças

Um estudo conduzido em 2017 pela Employee Benefit News e publicado na Revista Forbes sinaliza que o custo de encontrar um substituto para um colaborador representa cerca de um terço do salário anual dele.

Em outros termos, além do custo emocional, as despesas diretas envolvidas no processo de turnover também pesam no orçamento empresarial.

O pior é que, quanto mais demorado o processo de encontrar um substituto, mais se aprofundam os custos para a organização.

Por isso, é preciso ter atenção dobrada nos processos de recrutamento e treinamento.

Segundo o artigo publicado pela Forbes, a prevenção referente ao turnover começa neles.

2. Qualidade

Outro fator extremamente associado ao turnover é a perda de qualidade em processos.

Afinal, quando um colaborador abandona seu posto, são elevadas as chances dos projetos em que ele trabalhava serem deixados pela metade.

Isso impacta, diretamente, na qualidade das entregas.

Em artigo publicado em seu blog pessoal, Alfredo Bottone, especialista em RH pela Rice University (EUA), enfatiza que movimentações em larga escala no quadro de funcionários resultam em descontinuidade nos padrões de qualidade e quantidade dos serviços.

Essa perda no capital intelectual da empresa desencadeia problemas também no que diz respeito à eficiência e ao ritmo das atividades do dia a dia.

Segundo Bottone, quanto mais qualificado o profissional perdido, pior o efeito dessa cadeia nociva.

3. Eficiência

Em sintonia com o tópico anterior, o turnover compromete a eficiência da corporação.

Afinal, o ruído gerado pela substituição constante de interlocutores nos diálogos que permeiam os processos da empresa favorece falhas, atrasos e, não raro, desgaste no clima organizacional.

Todos esses fatores produzem um resultado previsível: uma piora evidente no atendimento a clientes internos e externos.

Tal situação, por sua vez, prejudica a imagem da empresa.

O quadro pode, inclusive, dificultar a prospecção de novos clientes, bloqueando as oportunidades de crescimento do negócio.

Gestão de pessoas e o turnover

Como você provavelmente já constatou, o turnover está estreitamente relacionado à gestão de pessoas.

O próprio levantamento do LinkedIn demonstra que, antes mesmo de questões ligadas a salários e benefícios, os colaboradores se queixam de pontos como falta de motivação, liberdade e abertura diante de suas lideranças.

De fato, lidar com pessoas é o maior desafio de qualquer negócio.

Mas há estratégias pontuais que podem ser aplicadas em termos de gestão de pessoas com o intuito de reduzir o turnover:

Seja assertivo já no recrutamento

Se possível, usufrua da IA e de sistemas inteligentes para filtrar candidatos que estejam alinhados com a cultura empresarial, enxergando além das competências técnicas.

Em entrevista à HSM Management, Fabiana Schaeffer, sócia-diretora da Netza, salienta que contratações bem sucedidas vão muito além da escolha de habilidades técnicas.

Elas devem levar em consideração valores, credos, diferentes gêneros e orientações segundo os objetivos da empresa.

Desafie seus colaboradores e alimente um ciclo de feedback

No artigo publicado pela HBR, Thomas Premuzic sugere que os gestores apresentem a seus colaboradores oportunidades de mentoria, planos de desenvolvimento e suporte ao seu crescimento.

De acordo com ele, os melhores funcionários gostam de ser tirados da zona de conforto e de receber orientações para entregar um trabalho cada vez melhor.

Equilibre a pressão sobre as equipes

Se por um lado a ausência de desafios pode contribuir para o turnover, aumentar demais a pressão pode ter um efeito igualmente nocivo.

“Falta de pressão leva à ausência de motivação, mas pressão demais cria estresse e bloqueia o pensamento criativo. Gestores devem equilibrar a equação, definindo metas, comunicando aos colaboradores e demonstrando disponibilidade no processo criativo”, diz Premuzic.

Sistema de gestão de pessoas para o controle do turnover

Apesar de ser reconhecido como um índice para mensurar a Gestão de Pessoas, o turnover representa muito mais do que uma simples métrica.

Observar e interpretar a rotatividade dos colaboradores do seu negócio pode fornecer insights estratégicos poderosos, principalmente diante da volatilidade acelerada do mercado de trabalho frente à ascensão digital.

Afinal, com a Inteligência Artificial (IA) ganhando evidência e substituindo postos de trabalho obsoletos, assegurar que os colaboradores mais valiosos e capacitados da empresa permaneçam produtivos e apaixonados por suas atividades vai ser um desafio cada vez mais imperativo nas corporações.

Um excelente sistema de gestão e recrutamento de pessoas representa uma ferramenta capaz de auxiliar no desafio.

Afinal, se a empresa estiver com um turnover extremamente elevado, muito possivelmente a causa está também relacionada ao processo de contratação.

Admitir colaboradores que não têm perfis alinhados à cultura organizacional é um equívoco recorrente, mas com impactos prejudiciais amplos ao negócio.

Evitar esse erro hoje já é possível graças a sistemas desenvolvidos com IA para aproximar os talentos certos da sua organização e, simultaneamente, acelerar o processo de contratação – sem ampliar a margem de erro.

Para conhecer as soluções em Marketplace para recrutamento da Revelo, entre em contato com um de nossos consultores.

E, se este artigo foi útil para você, aproveite para compartilhar com seus colegas gestores via LinkedIn, WhatsApp e demais redes sociais.


Related Posts