RH em 2020 e nos próximos anos: o que vem por aí?

0
Share

Como será o RH em 2020

Anos atrás, talvez a resposta para essa pergunta fosse muito diferente do que é hoje.

E o que será que vem por aí?

Na última década, evoluímos da papelada à inteligência artificial, trazendo o RH para o protagonismo dos negócios.

Em meio a tantas tendências e ferramentas inovadoras, é difícil saber o que já está sendo utilizado na área e o que ainda está em fase de testes — ou sequer saiu do papel.

Neste artigo, vamos entender isso melhor! Acompanhe a leitura e prepare-se para as mudanças

RH 2019 e 2020: o que já é uma realidade

O RH em 2020 é marcado por uma evolução rápida das tecnologias e uma mudança fundamental no papel da área.

De um setor burocrático e voltado às rotinas, o RH se transformou em uma área altamente estratégica, focada no crescimento do negócio.

Confira quais tendências já são realidade nesse cenário desde 2019. 

RH mais próximo do marketing

Da mesma forma que o marketing tem como objetivo atrair, conquistar e fidelizar consumidores, o RH assumiu sua missão de atrair, contratar e reter talentos.

Podemos dizer que as duas áreas estão unidas pelo branding: o marketing na gestão da marca vendedora e o RH na gestão da marca empregadora.

Não à toa, prêmios como As Melhores Empresas para Trabalhar e sites como Glassdoor estão em alta, provando que o employer branding veio para ficar. 

Além disso, o marketing de recrutamento já é uma das principais estratégias para promover a empresa e engajar candidatos, usando as técnicas do marketing digital para se conectar aos profissionais.

Recrutamento e seleção digital

De acordo com o relatório The Future of HR 2018, publicado pela Gartner, essas são as vantagens de usar a tecnologia para contratar os candidatos certos:

  • Redução de 75% nos arrependimentos pós-contratação
  • 59% de redução na taxa de turnover
  • Economia de £ 1,9 milhões a cada mil contratações.

Esses números explicam porque as ferramentas digitais de recrutamento e seleção se tornaram indispensáveis no RH.

As opções são inúmeras: sites de vagas, softwares de recrutamento, marketplaces de talentos, mídias sociais, entre outros canais e ferramentas para encontrar a pessoa certa.

Automação em todos os níveis

A automação está definitivamente incorporada à rotina do RH como condição básica para os avanços estratégicos.

Uma pesquisa realizada em 2017, pela Career Builder, revela que os profissionais de RH gastam cerca de 14 horas por semana em tarefas manuais e repetitivas.

Em tempos de transformações rápidas, ninguém tem tempo a perder com papelada e burocracia — especialmente o RH, que precisa garantir os talentos certos e competências no tempo hábil para a empresa crescer.

Inclusive, um bom SLA (Service Level Agreement ou Acordo de Nível de Serviço) no momento da contratação pode determinar um prazo para alcançar a performance necessária, conforme as necessidades do negócio.

Mas esse acordo só traz resultados quando o RH consegue automatizar as rotinas operacionais, liberando a agenda dos profissionais para investir no desenvolvimento do capital humano.

Por isso, tarefas como triagem de currículos, rotinas do departamento pessoal, comunicação interna e emissão de documentos já estão 100% automatizadas em muitas empresas.

Inteligência artificial e people analytics

Se a inteligência artificial e análise de dados já soaram futuristas para o RH, em 2020 são praticamente obrigatórias.

De acordo com o estudo da Gartner, estes são os principais usos dessas tecnologias:

  • Recrutamento e seleção (49%)
  • Estratégias de RH e gestão de pessoas (31%)
  • Análise de políticas e práticas da empresa (24%)
  • Automação da força de trabalho (22%)
  • Análise de programas de diversidade, inclusão e desenvolvimento profissional (16%).

No recrutamento, por exemplo, os algoritmos são capazes de cruzar os dados dos candidatos com os requisitos da vaga, agilizando o processo seletivo.

Na estratégia conhecida como people analytics, o RH pode avaliar o comportamento e organizar perfis de colaboradores automaticamente, com uma simples análise de dados.

Assim, é possível identificar as oportunidades de desenvolver novas competências e aproveitar ao máximo o potencial do capital humano. 

Experiência do colaborador no centro

Outra tendência que se tornou regra é o foco na experiência do colaborador, que é tão importante quanto a experiência do cliente na empresa.

No estudo 2017 Human Capital Trends da Delloite, a employee experience aparece como a prioridade de 80% dos líderes e executivos globais de RH.

Ao proporcionar uma experiência memorável aos colaboradores, a empresa garante a retenção de talentos estratégicos, uma reputação impecável como empregadora e altos níveis de engajamento.

RH além de 2020: o que vem por aí

No RH de 2020, algumas tecnologias ainda estão dando seus primeiros passos.

Então, o que será que o futuro reserva para as principais tendências da área?

Confira o que vem por aí, na opinião de especialistas. 

Revolução flexível nas carreiras

Os modelos de carreira e emprego já estão sendo impactados por uma cultura organizacional mais flexível, aberta e inovadora, que acompanham a tendência da gig economy e do trabalho a distância.

Para o futuro, 83% das empresas esperam implementar modelos de trabalho “abertos” ou “muito flexíveis” nos próximos 5 anos, de acordo com o estudo Future of Work: The People Imperative da Deloitte (2017). 

Ou seja: é possível que os empregos mudem completamente nos próximos anos, aplicando conceitos como o trabalho freelancer, job rotation, mobilidade de talentos e equipes multidisciplinares. 

Da inteligência artificial à inteligência autônoma

A pesquisa Workforce of the Future: the competing forces shaping 2030, lançada pela PwC em 2018, aposta em uma nova forma de inteligência artificial no ambiente de trabalho: a inteligência autônoma.

A expectativa é de que as máquinas cheguem ao nível de cumprir tarefas mais complexas e tomar decisões, ajudando a elevar o potencial humano a um patamar inédito.

Para o RH, essa nova inteligência digital pode significar uma nova maneira de gerenciar pessoas e desenvolver competências sob medida para o negócio.

Mais agilidade no RH em nuvem

As soluções em nuvem já estão presentes no RH, mas a evolução dessa tecnologia promete tornar a área cada vez mais independente do TI.

É o que diz o relatório The Future of HR: Five Technology Imperatives, lançado em 2018 pela Accenture.

A previsão é de que a computação em nuvem traga soluções inovadoras e torne o RH mais ágil, com acesso a inúmeras ferramentas constantemente atualizadas no modelo SaaS (Software as a Service).

Entendeu quais os caminhos para o futuro do RH?

Por enquanto, você pode aproveitar o estado-da-arte do recrutamento e seleção na plataforma da Revelo, que já usa a inteligência artificial e automação para agilizar suas contratações.

Além disso, vale a pena baixar nosso ebook gratuito HR Tech: o que isso significa para você?, que mostra o cenário atual das startups focadas em soluções tecnológicas para o RH.

Imagine aonde vamos chegar com essas tecnologias daqui a alguns anos?

Related Posts