Teste funcional: como garantir a qualidade de seu software?

0
Share

Saiba como garantir a qualidade de seu software ao realizar o teste funcional para verificar se a aplicação está pronta para realizar as funções para qual foi desenvolvida. Confira!

Introdução

O teste funcional é um processo de garantia de qualidade onde o software é testado em relação às funcionalidades, requisitos e regras de negócios. 

Para isso, são realizados diversos procedimentos para encontrar possíveis erros, identificar problemas de usabilidade, bem como, assegurar que todos os requisitos do cliente foram atendidos.

Em geral, este teste é focado no desempenho de processamento, desse modo, se concentra na simulação do uso real do software.

Para isso, são definidos testes para verificar se cada função do software está funcionando de acordo com os requisitos e especificações. 

Além disso, o teste funcional se concentra na verificação da interface do usuário, APIs, banco de dados, segurança, servidor e funcionalidades.

Teste Funcional: o que é no contexto da programação?

a esquerda a frase: teste funcional: o que é, a direita a imagem de uma mulher

O teste funcional é baseado no exercício de funções em softwares que podem apresentar resultados distintos quando determinados estímulos são introduzidos ou executados. 

Geralmente, são baseados em condições como requisitos do usuário, casos de uso, modelos, histórias de usuários, documentação do sistema e experiência do usuário.

Para isso, a base do teste deve conter instruções específicas sobre o que o software deve fazer em determinadas circunstâncias. Essas instruções podem ser a base das condições de teste, considerados o elemento-chave dos testes funcionais.

Por exemplo, uma condição de teste pode ser uma ação, estado de comportamento, evento ou estímulo semelhante que deve resultar em algo observável. 

Os desenvolvedores também realizam testes funcionais de código, mas, se os testes são baseados na estrutura do código, são considerados testes estruturais.

Ambos os testes estruturais e funcionais são necessários para obter uma visão da totalidade, comportamento e funcionalidade do software.

O teste funcional pode ser aplicável a todos os níveis de teste. Além disso, existem também os testes não funcionais, onde são utilizadas técnicas para verificar o funcionamento correto do sistema em relação a casos inválidos ou inesperados de entrada.

Em resumo, o teste funcional permite identificar:

  • Funções incorretas ou ausentes;
  • Erros de desempenho;
  • Erros de interface;
  • Erros em acessos a bancos de dados externos;
  • Erros em estruturas de dados;
  • Erros de inicialização e término.

Exemplos de teste funcional

  • Testar recursos em uma página da web, como pesquisas, menus, links;
  • Executar testes de sistema para avaliar funções executadas para concluir uma tarefa importante, como comprar um produto em um site ou e-commerce;
  • Realizar o teste de aceitação do usuário, para avaliar se o software faz o que promete.

Principais ferramentas de teste funcional:

  • Selenium;
  • QTP;
  • JUnit;
  • SoapUI;
  • Watir.

Fases do teste funcional:

Teste de unidade

Etapa dedicada para testar individualmente as funcionalidades do software, garantindo que as funções sejam testadas ao menos uma vez. Sua principal vantagem é a localização e prevenção de falhas por testar cada uma das funcionalidades individualmente.

Teste de componentes

Neste caso, os componentes do software são testados em separado conforme a especificação e estrutura das funcionalidades. Estes componentes são as integrações de interface e unidades do software.

Teste de integração

Fase dedicada a testar a integração dos componentes do sistema, e avaliar se correspondem com os requisitos do software, considerando suas funcionalidades em conjunto e buscando erros associados a interfaces.

O teste de integração pode ser dividido em:

  • Não Incremental: os módulos do sistema são interligados e combinados, por isso, o software é testado completamente. Às vezes, isso pode dificultar a localização dos erros;
  • Incremental: o software é testado em partes facilitando que as interfaces sejam testadas de forma incremental para encontrar erros para correção. Neste caso, existem duas estratégias:
  1. Integração ascendente (bottom-up): a construção e os testes dos módulos são iniciados da parte mais baixa da estrutura do software.
  2. Integração descendente (top-down): os módulos do sistema são integrados de cima para baixo conforme a hierarquia de controle do software;

Teste de sistema

Esse teste é realizado depois do sistema estar finalizado, sendo avaliados todos os componentes e funcionalidades. O objetivo é avaliar o software, atestando se os elementos do sistema foram desenvolvidos conforme as especificações.

Teste de validação

Seu objetivo é avaliar se o sistema desenvolvido atua de modo que cumpra as especificações dos requisitos do software e as regras de negócios estabelecidas na sua concepção.

Testes automatizados

Esses testes são desenvolvidos como programas ou scripts com objetivo de exercitar o sistema, testando as funcionalidades e verificando se estão conforme as especificações dos requisitos.

A vantagem dos testes automatizados é a facilidade de serem repetidos a qualquer momento. Sua implementação diminui o tempo de trabalho, reduzindo as possibilidades de falhas na execução. Porém, precisam ser complementados por outros tipos de testes.

O que o teste funcional permite identificar:

a esquerda a ilustração de um homem olhando no binóculo e a direita a frase: o que é possível testar

Funções incorretas ou ausentes

Este tipo de erro poderá ocorrer quando existir algum comando faltando. Por exemplo, quando o usuário está finalizando o processo de compra em um e-commerce e muda de ideia, mas o sistema não permite cancelar a compra.

Erros de interface

Esse é um erro no código de um software que impede que o aplicativo, site, ou sistema funcione normalmente e, ainda, pode prejudicar a usabilidade do usuário.

Erros em estruturas de dados

A estrutura de dados é um armazenamento para guardar e organizar dados em um software, para serem acessados ​​e atualizados posteriormente de forma eficiente.

Erros em acessos a bancos de dados externos

O erro em acessos a bancos de dados externos é um problema que pode representar prejuízos consideráveis, pois, enquanto não for resolvido, poderá impedir o usuário de acessar as páginas do site ou aplicativo, para realizar a ação desejada.

Erros de desempenho

Os erros de desempenho não são apenas com relação ao software, estão relacionados à forma como os usuários utilizam, por isso, seu objetivo é encontrar algo que impeça que seja utilizado com todo seu potencial.

Erros de inicialização e término

São erros que podem ocorrer no momento de inicialização e término de uso do aplicativo, site, sistema ou software. Após identificados, precisam ser corrigidos para oferecer uma boa experiência de uso.

Técnicas de teste funcional

a esquerda a frase: técnicas de teste funcionais, a direita a ilustração de uma mão escrevendo anotações

Existem vários métodos que podem ser aplicados no teste funcional, confira alguns deles a seguir:

Partição de equivalência

Na partição de equivalência, os dados de teste são segregados em várias partições denominadas classes de dados de equivalência. 

Os dados em cada partição devem se comportar da mesma maneira, portanto, apenas uma condição precisa ser testada. Da mesma forma, se uma condição em uma partição não funcionar corretamente, nenhuma das outras funcionará.

Em síntese, o teste de partição de equivalência permite identificar classes de equivalência válidas e inválidas.

Análise do valor limite

A análise do valor de limite é baseada em testes nos limites entre partições. Para isso, inclui limites máximos, mínimos, internos ou externos, valores típicos e valores de erro.

Nesse teste, pode ser constatado que um grande volume de erros ocorre nos limites dos valores de entrada definidos e não no centro. Esse teste fornece uma seleção de casos de teste que exercem valores limitantes.

Essa técnica se baseia no pretexto de que se um software funciona bem para esses valores específicos, funcionará para todos os valores que estiverem entre os dois valores de limite.

Tabela de decisão

Esta técnica de teste de software é usada para funções que respondem a uma combinação de entradas ou eventos. Por exemplo, um botão de envio deve ser ativado se o usuário responder todos os campos obrigatórios.

O primeiro passo é identificar funcionalidades onde a saída depende de uma combinação de entradas. Quando houver um grande conjunto de combinações de entrada, são divididas em subconjuntos menores que podem ser úteis para gerenciar uma tabela de decisão.

Para cada função, será preciso criar uma tabela e listar todas as combinações de entradas e suas respectivas saídas. 

Transição de estado

O teste de transição de estado é uma técnica de teste onde as alterações feitas nas condições de entrada causam alterações de estado ou alterações de saída no software testado. 

Em resumo, o teste de transição de estado ajuda a analisar o comportamento de um software para diferentes condições de entrada. Os testadores podem fornecer valores de teste de entrada positivos e negativos e registrar o comportamento do sistema.

A técnica de teste de transição de estado pode ser muito útil para testar diferentes transições do sistema.

Casos de uso

Essa é uma técnica de teste de software para identificar casos de teste em todo o sistema de transações. Os casos de teste são as interações entre os usuários e o aplicativo de software. 

O teste de caso de uso ajuda a identificar lacunas no software que podem não ser encontradas testando componentes de software individuais.

Técnicas de teste funcional baseados na experiência

Neste caso, o teste foca nas partes mais importantes do software, como as áreas mais usadas pelo cliente ou com maior probabilidade de falha. Para isso, são utilizadas técnicas baseadas em complemento, com técnicas baseadas em especificação e estrutura ou design. 

Geralmente, esta técnica é usada para sistemas de baixo risco. Por isso, esse teste pode ser realizado quando não há especificações ou existe uma lista de especificações inadequada.

Confira as técnicas de teste funcional baseadas na experiência:

  • Técnicas de adivinhação de erros;
  • Técnicas Exploratórias;
  • Teste baseado em lista de verificação;
  • Teste de ataque de falha.

Situações esperadas para usar em testes baseadas na experiência:

  • Indisponibilidade de requisitos e especificações;
  • Conhecimento limitado do produto de software;
  • Especificação inadequada;
  • Tempo restrito.

Histórias de usuário

Uma história de usuário descreve um recurso que pode ser desenvolvido e testado em uma única iteração. Geralmente, as histórias são escritas da perspectiva de um usuário funcional do produto. 

A técnica utilizada nesse teste descreve a funcionalidade que será implementada, os requisitos não-funcionais e os critérios de aceitação.

Em alguns casos, as histórias técnicas são compostas por erros ou problemas que precisam ser corrigidos no software.

Na maioria dos casos, as histórias de usuários técnicos não trazem diretamente o valor do negócio, mas são muito importantes para melhorar a qualidade geral do software.

A importância de fazer o teste funcional

a esquerda a frase: a importância do teste funcional, a direita a ilustração de uma mulher falando algo

Os testes funcionais permitem que os testes sejam realizados com mais eficiência e rapidez, possibilitando encontrar as não conformidades do software em relação aos requisitos do sistema.

Vantagens:

  • Garante a entrega de um produto livre de bugs;
  • Assegura a entrega de um produto de alta qualidade;
  • Não há suposições sobre a estrutura do sistema;
  • Este teste é focado nas especificações conforme o uso do cliente.

Desvantagens:

  • Existem chances de realizar testes redundantes;
  • Erros lógicos podem ser perdidos no produto;
  • Se o requisito não estiver completo, a execução desse teste se tornará difícil.

Conclusão sobre teste funcional

A realização de testes funcionais durante o desenvolvimento do software permite uma visão mais abrangente sobre o seu desempenho, eliminando possíveis erros.

Afinal, no processo de desenvolvimento de software, os erros podem acontecer em qualquer etapa do projeto. 

Neste caso, o teste funcional de software é fundamental, pois oferece os métodos e as ferramentas necessárias para garantir a qualidade da entrega.

Com certeza, o teste funcional possibilita ao desenvolvedor do software encontrar as não conformidades em relação aos requisitos do sistema, para em seguida, resolver todos os problemas encontrados com agilidade.

Revelo: sua plataforma de recrutamento tech

Agora que você já entendeu mais sobre os testes funcionais e precisa contratar profissionais de tecnologia para desenvolver e testar softwares, basta escolher a plataforma de recrutamento ideal para auxiliar você nesse processo.

A Revelo utiliza tecnologias exclusivas para pré-selecionar seus candidatos, que incluem testes técnicos e análises criteriosas que comprovam as habilidades dos profissionais.

Para isso, a plataforma utiliza recursos de inteligência artificial e machine learning, que usam o poder dos dados para selecionar os talentos mais capacitados.

Além disso, com a opção Revelo Remoto, sua empresa pode realizar o processo seletivo de forma totalmente digital, desde a entrevista até a assinatura do contrato.

Vantagens que só a Revelo oferece

  • Acesse um marketplace tech com engajamento efetivo de 9 entre 10;
  • Descreva o perfil, escolha os candidatos e faça entrevistas na plataforma;
  • Selecione os candidatos por habilidades ou experiências profissionais;
  • Receba suporte especializado para buscar os melhores talentos para sua empresa.

Faça seu cadastro e veja uma demonstração da plataforma. Experimente!

Sobre a autora: Tárin Reis, Jornalista e Redatora especialista em conteúdo web sobre tecnologia, carreiras e capacitação profissional.

Related Posts