Qual é a diferença entre hard skills e soft skills?

0
Share

Você sabe qual é a diferença entre hard skills e soft skills?

Esses conceitos são bastante importantes para gestores e profissionais de Recursos Humanos.

Eles ajudam a identificar as principais habilidades listadas para as vagas e analisadas nas candidaturas.

As hard skills são aquelas habilidades técnicas, e as soft skills, as comportamentais.

E por que é importante fazer a distinção?

Exemplo: não basta ter um funcionário que tenha amplo domínio da área caso ele não apresente condições de se relacionar com a equipe.

Neste post, vamos entender melhor as diferenças entre esses dois conceitos, sua importância para o processo de seleção e alguns exemplos interessantes para que você possa implementar na sua empresa.

Ficou interessado? Então siga a leitura.

Hard skills ou soft skills?

É inegável que a capacidade técnica (hard skills) e as habilidades pessoais (soft skills) são fatores que devem ser observados na hora da contratação.

Para uma vaga de vendedor, não adianta contratar um profissional que saiba tudo sobre o serviço, mas que não tenha capacidade de negociação e comunicação.

Para uma vaga de desenvolvedor, não vale a pena selecionar um profissional que domine com excelência a linguagem de programação desejada, mas que não consiga trabalhar em equipe.

A conjunção das hard skills com as soft skills, portanto, é essencial para acertar no recrutamento.

Mas o que é cada uma e como distingui-las para o processo seletivo?

Hard skills

As hard skills abrangem o conhecimento que pode ser comprovado por meio de diplomas, cursos e estudo, podendo ser medido por meio de avaliações e testes.

Embora seja possa ser aprimorada, a competência técnica não é simples de ser obtida. Afinal, é necessário ter uma base de informações para atuar em bom nível.

Por exemplo, um estudante do ensino médio não pode ir direto para o mercado de trabalho caso pretenda exercer a carreira de engenheiro civil. É preciso fazer um curso superior para que ele esteja habilitado para atuar em obras.

O diploma, portanto, é um indicativo de suas hard skills, que são as habilidades técnicas para a execução de todas as tarefas relacionadas à função do engenheiro.

A graduação, claro, não é essencial para a obtenção da capacidade técnica. Um desenvolvedor, por exemplo, pode aprender uma linguagem de programação por conta própria e apresentar todos os requisitos de conhecimento para a execução de suas funções.

Ao analisar as hard skills, portanto, não basta visualizar a formação do profissional. É preciso entender, por meio de referências, portfólios ou testes, se ele reúne as condições para o cargo anunciado.

10 exemplos de hard skills

Com a intenção de ajudá-lo, vale a pena citar 10 fatores relacionados com hard skills:

  • Fluência em idiomas
  • Certificação em uso de banco de dados
  • Habilidade para executar um cálculo matemático
  • Diploma relacionado com o domínio de um sistema
  • Conhecimento avançado em softwares de Business Intelligence
  • Certificação em gestão de redes sociais
  • Capacidade de trabalhar com dados estatísticos
  • Domínio de técnicas de Search Engine Optimization
  • Certificação em marketing de conteúdo
  • Conhecimento sobre hardware.

Soft Skills

As soft skills, como vimos, estão mais associadas a traços comportamentais.

Embora não sejam desenvolvidas de forma automática, podem ser aprimoradas com participações em treinamentos e palestras.

Todos possuem algum tipo de habilidade social, embora nem sempre saibam identificá-la. Para interpretar as soft skills, portanto, são necessárias uma análise atenta e uma percepção aguçada do recrutador.

Para atestá-las, normalmente, não bastam certificados ou formações específicas. O perfil de um líder, por exemplo, pode ser identificado melhor em dinâmicas de grupo do que em um currículo.

Como identificar, também, aquele profissional que sabe trabalhar em equipe sem testá-lo na prática, no ambiente de trabalho?

Para esse tipo de habilidade, testes e questionários não ajudam tanto quanto para as hard skills.

10 exemplos de soft skills

Para visualizar melhor as soft skills, apontaremos 10 casos de habilidades mais direcionadas para o lado comportamental:

  • Capacidade de engajar as pessoas
  • Motivação
  • Persuasão
  • Comunicação
  • Empatia
  • Equilíbrio emocional
  • Resiliência
  • Bom humor
  • Autocrítica
  • Determinação.

Tecnologia para recrutar com soft e hard skills

Profissionais de recrutamento sabem que, cada vez mais, podem contar com a tecnologia para acelerar e aprimorar os processos de contratação.

Essa realidade é especialmente marcante no que se refere às hard skills.

Softwares, marketplaces e HR Techs especializadas podem facilitar muito a vida de quem busca filtrar candidatos que detêm um conjunto específico de habilidades técnicas.

Afinal, por que perder tempo analisando currículos (virtuais ou de papel) que não preenchem as hard skills propostas para a vaga?

Com a tecnologia, é possível eliminar imediatamente todos os profissionais que não atendem a requisitos específicos, como o domínio de uma linguagem de programação, a proficiência em um idioma ou a capacidade de atuação em um nicho específico do marketing.

Por meio de testes analíticos, plataformas como a Revelo podem acelerar muito essa tarefa.

Com a Revelo, o processo de contratação fica até 70% mais rápido.

Para isso, a empresa utiliza machine learning e testes técnicos que analisam o conhecimento do candidato, filtram os melhores nomes para as vagas e conectam os profissionais certos às empresas.

Na plataforma, profissionais de carreiras tecnológicas – Desenvolvimento de Software, Marketing Online, Business Intelligence, Data Science, Design UX/UI, etc – são pré-selecionados e conectados com as empresas e as vagas que mais se encaixam em seu perfil.

Assim, o gestor pode escolher dentro de uma base mais reduzida e mais qualificada, sem perda de tempo e com chance muito maior de acerto.

Para as soft skills, ferramentas como essa também são válidas, já que elas facilitam muito o contato entre a empresa e o candidato.

Em vez de analisar centenas de candidaturas, a equipe de RH pode se deter apenas naqueles perfis que mais interessam.

E depois, de forma rápida e prática, o contratante pode entrar em contato com o profissional, tirar dúvidas e marcar uma entrevista virtual ou presencial.

Tirou suas dúvidas sobre hard skills e soft skills? Já fazia essa distinção em seus processos seletivos?

Deixe um comentário e compartilhe este artigo em suas redes sociais.

Related Posts