Vocabulário Tech para recrutadores de profissionais de tecnologia

0
Share

Confira o Vocabulário Tech para recrutadores de profissionais de tecnologia e fique por dentro dos termos necessários para contratar os melhores talentos do mercado.

Sem dúvida, o recrutamento na área de tecnologia pode ser desafiador se você não tiver o conhecimento básico dos termos usados ​​pelos candidatos. Afinal, às vezes pode parecer que os profissionais de tecnologia falam outro idioma.

Se você já trabalha como recrutador de profissionais de tecnologia ou pretende entrar nesse mercado, é fundamental entender os principais termos do Vocabulário Tech, para selecionar os profissionais ideais conforme as habilidades desejadas para a vaga.

Para te ajudar, preparamos uma lista de termos da área de tecnologia para facilitar o processo de recrutamento e seleção dos melhores talentos do mercado.

Confira a seguir o Vocabulário Tech da Revelo para recrutadores de tecnologia!

Linguagens de programação mais utilizadas

  • CSS (Cascading Style Sheets): é uma linguagem de folhas de estilo para programar os aspectos visuais de uma página da web, incluindo fonte, tamanho, cor e localização das informações HTML.

  • C: esta linguagem de programação pode ser utilizada para diversos projetos como o desenvolvimento de sistemas operacionais e compiladores. Além disso, possui diversas variações e muitas outras linguagens que compartilham das mesmas sintaxes criadas pela C.

  • C++: é uma linguagem de programação bastante popular, até por ser uma das variações da linguagem C. Sendo muito utilizada para o desenvolvimento de softwares mais robustos, com aplicações que fazem integração entre servidores.

  • C#: é uma variação da linguagem C bastante utilizada por desenvolvedores, porém, é uma linguagem de programação mais complexa de aprender e umas das habilidades requeridas da área de desenvolvimento de jogos.

  • HTML (Hypertext Markup Language): é uma linguagem de marcação de texto através das TAGs, que permite apresentar informações na internet como links, imagens e o próprio texto. Em geral, as páginas da web são a leitura e a interpretação de um arquivo que contém esse código HTML.

  • JavaScript: é uma linguagem de script que torna os sites interativos. Se a empresa precisa de um desenvolvedor web, é provável que ele precise conhecer JavaScript. Saiba aqui como contratar desenvolvedor JavaScript.

  • Java: é uma linguagem de programação e um ambiente computacional criado pela Sun Microsystems na década de 90 e adquirido pela Oracle. Essa linguagem pode ser implementada em praticamente qualquer lugar, desde sites e computadores até data centers, celulares e videogames. Saiba aqui mais sobre Desenvolvedor Java: Carreira, Salário e Vagas.

  • Kotlin: é uma linguagem de programação de tipagem estática, concisa, criada pela JetBrains e que está em constante desenvolvimento. Sendo muito utilizada por desenvolvedores Android em todo o mundo na criação de aplicações web e nativas.

  • Python: é outra linguagem de programação popular que permite que os programadores usem menos linhas de código do que Java, a estrutura para Python é normalmente Django ou Pyramid. Confira aqui tudo o que você precisa saber antes de contratar Desenvolvedor Python.

  • PHP: linguagem de script especialmente útil para o desenvolvimento de páginas da web e também para a integração entre banco de dados MySQL e as páginas dos sites. Confira aqui como Contratar desenvolvedor PHP Laravel ideal para sua empresa.

  • R: linguagem de programação de código aberto e também um ambiente de software para computação estatística e gráficos. É amplamente utilizado entre estatísticos para o desenvolvimento de software estatístico e análise de dados.

  • Ruby: considerada uma das linguagens mais simples no desenvolvimento de aplicações web disponível em Windows, Linux e outros sistemas. Os desenvolvedores podem escrever usando o framework Ruby on Rails, um conjunto de bibliotecas que facilitam a criação de aplicações.

  • SQL: linguagem específica de domínio que gerencia dados do sistema de gerenciamento de banco de dados relacional (RDBMS).

  • Swift: linguagem de programação multi-paradigma de uso geral desenvolvida pela Apple Inc. para iOS, macOS, watchOS, tvOS e Linux.

Leia também:
Contratar Desenvolvedor: Guia Completo para empresas

Paradigmas de programação mais utilizados

Programação estruturada (PE): modo de programar com foco em priorizar o estabelecimento de padrões e ações de forma clara. Chamada também por programação procedural, pois têm estruturas básicas como sequência, seleção e repetição.

O principal objetivo dessa estrutura de programação é a criação de softwares mais eficientes e de fácil manutenção. Em contrapartida, a consistência da técnica pode limitar algumas possibilidades de desenvolvimento.

Programação orientada a objetos (POO): se baseia na interação entre objetos de diferentes classes. Neste caso, em vez de adotar uma estrutura rígida, aplica conceitos como abstração, encapsulamento, herança e polimorfismo.

Sendo um paradigma já conhecido devido ao nível de evolução, que amplia as possibilidades de desenvolver tecnologias inteligentes. Entretanto, por ser um tipo de programação mais complexa, a tendência é de uma execução mais lenta.

Termos de Arquitetura

  • Algoritmo: são a base do processo de desenvolvimento de software e fazem parte das ferramentas pelas quais os desenvolvedores criam estratégias para fracionar problemas em etapas e processos que podem ser traduzidos pelo computador.

  • Bug: é aquele problema que acontece por culpa do computador fazendo com que os programas não se comportem exatamente da maneira esperada pelo desenvolvedor ou usuário.

  • Biblioteca: é um conjunto de funções ou rotinas pré-definidas que um programa pode utilizar para o armazenamento de rotinas utilizadas com frequência, pois não é necessário ligá-las explicitamente a todos os programas que as utilizam.

  • Framework: é um conjunto de códigos prontos com diversas funções que podem ser utilizadas no desenvolvimento de sites. O objetivo de uso é aplicar funcionalidades e estruturas já programadas para garantir mais produtividade e qualidade no desenvolvimento de um projeto. Saiba mais aqui.

  • OOP (Programação orientada a objeto): metodologia de design de software ou aplicativo baseada em um sistema de objetos em interação.

  • MVC (Controlador de visualização de modelo): modelo de design de software ou aplicativo baseado em três partes conectadas: o modelo, que manipula os dados, a interface do usuário, e o controlador, que controla a mudança no modelo.

  • SOA (Arquitetura orientada a serviços): metodologia de arquitetura que visa ajudar uma empresa a adicionar novos serviços de forma eficiente. Os componentes do aplicativo funcionam com outros componentes através de uma rede.

  • UML (Linguagem de modelagem unificada): linguagem de programação usada para projetar e construir sistemas de software por meio do desenvolvimento orientado a objetos.

  • API (Interface de programação de aplicativos): conjunto de comandos e funções que permitem aos desenvolvedores interagir com um sistema externo.

  • Markup: linguagem que usa tags para definir vários elementos. Por exemplo, usa palavras comuns em vez de sintaxe de programação. Os dois exemplos mais comuns de linguagem de marcação são HTML e XML.

Habilidades, ferramentas e programas

  • AWS (Amazon Web Services): plataforma de serviços em nuvem com várias funcionalidades que ajudam os desenvolvedores a implantar aplicativos da web.

  • Bootstrap: estrutura de desenvolvimento web de código aberto criada por membros da equipe do Twitter para construir sites que incorporam HTML, CSS e JavaScript.

  • jQuery: biblioteca JavaScript de código aberto para ajudar os desenvolvedores a adicionar funcionalidade aos seus sites, referenciando um arquivo jQuery JavaScript, em vez de escrever o código do zero.

  • MySQL: sistema de gerenciamento de banco de dados relacional de código aberto baseado em SQL. É usado frequentemente em servidores da web, mas pode ser usado em páginas da web dinâmicas que acessam informações de um banco de dados.

  • GitHub: plataforma de desenvolvimento de software e hospedagem de código que ajuda os desenvolvedores a trabalharem juntos em projetos, mantendo o controle de versão. Também oferece recursos valiosos para desenvolvedores, como revisão de código e discussões.

  • Kubernetes: plataforma de código aberto que automatiza a implantação, dimensionamento, gerenciamento e manutenção de contêineres de aplicativos em um cluster de nós.

  • Apache: lançado em 1995, é o software de servidor da web mais popular do mercado. Sendo de código aberto permite que um computador hospede um ou mais sites que podem ser acessados ​​pela Internet com um navegador da web.

  • Oracle: sistema de gerenciamento de banco de dados relacional projetado para computação em empresas, com objetivo de gerenciar e processar informações em redes locais e de longo alcance de maneira econômica.

  • Inteligência artificial (AI): é um campo de estudo que trabalha para criar computadores que funcionam e raciocinam como os humanos.

  • Aprendizado de máquina: um conjunto de habilidades de inteligência artificial envolvendo algoritmos que permitem que um computador aprenda e se adapte ao longo do tempo, em vez de seguir um conjunto de código estático.

Carreiras da área de tecnologia

  • Administrador de sistema: esse profissional é responsável pela manutenção, operação e confiabilidade dos sistemas de computador da empresa, com foco principal nos servidores. São desejáveis conhecimentos tanto de programação quanto de gerenciamento de equipe.

  • Administrador de rede: é responsável pela operação confiável das redes de uma organização, também conhecida como o meio pelo qual vários computadores ou aplicativos se comunicam entre si.

  • Administrador do Banco de Dados: é o responsável pelos sistemas de banco de dados da empresa. Possui habilidades de instalação e manutenção da base, configuração e programação de dados, gerenciar consultas e homologação.

  • Analista de dados: é responsável por coletar, compilar e interpretar os dados de forma quantitativa e qualitativa, retirando insights que possam direcionar a tomada de decisões. Pode atuar com foco em marketing ou vendas, monitorando processos e detectando possíveis alterações ou alertas.

  • Analista de Business Intelligence: responsável por dar inteligência de negócio à análise de dados, identificando oportunidades de crescimento e melhoria nos processos e estratégias da empresa. Para isso, trabalha focado no operacional realizando tarefas e acompanhando suas métricas.

  • Arquiteto de dados: responsável pela montagem e gerenciamento do modelo de processamento de dados e da estruturação de soluções que garantam a sincronia com a organização das informações. Além do conhecimento técnico, o cargo exige visão de negócio para atuar nas estratégias de organização dos dados.

  • Arquiteto de Rede de Computadores: esse profissional projeta, constrói e mantém todo o sistema de rede de computadores em pleno funcionamento. Para isso, cria vários tipos de redes de comunicação de dados, como infraestruturas em nuvem para intranets.

  • Analista de Segurança da Informação: é responsável por proteger os dados comerciais, identificar as vulnerabilidades e recomendar práticas de proteção. Além disso, deverá monitorar as redes, produzir relatórios sobre políticas de segurança, pesquisar tendências de proteção de dados e realizar testes de segurança.

  • Desenvolvedor Front-end: esse profissional cuida da parte do site ou aplicativo visível aos usuários, sua missão é entender o objetivo do projeto e criar soluções para a interface. Possui conhecimentos sobre metodologias de Experiência do Usuário (UX) e Interface do Usuário (UI). Saiba como acertar na contratação do Desenvolvedor Front-End.

  • Desenvolvedor Back-end: esse é o profissional focado no funcionamento interno do software, para garantir que os dados consumidos pela interface gráfica estejam disponíveis. Além disso, cuida da operação do lado do servidor, sendo responsável por atualizações, segurança, gerenciamento e estrutura. Saiba como contratar.

  • Desenvolvedor Full-stack: esse profissional trabalha com front-end e back-end. Em geral, possui especialização em uma das tecnologias chamadas de “origem”, e apresenta um conhecimento satisfatório do restante da stack de desenvolvimento. Saiba como contratar.

  • Desenvolvedor de Aplicativos: é o profissional que transforma uma ideia de aplicativo em um produto real. Por isso, deve ser capaz de projetar o aplicativo, elaborar suas funcionalidades e prever quais erros podem ocorrer. É como se fosse um desenvolvedor front-end voltado para aplicativos mobile. Saiba como ter sucesso ao contratar.

  • Desenvolvedor de jogos digitais: é responsável por desenvolver jogos digitais, seus conhecimentos são de Informática, design, softwares específicos para a construção gráfica, edição de imagens, modelagem de cenários e animação de personagens.

  • DevOps: atua em diversas fases de um projeto, tanto na programação, quanto no teste, e ainda possui conhecimentos de infraestrutura. Sendo o responsável pela engenharia de software, buscando automações e processos que facilitem o fluxo do desenvolvimento do projeto até a entrega.

  • Engenheiro de Machine Learning: é responsável por desenvolver e implementar sistemas capazes de automatizar a forma de aprender e de obter conhecimento por meio de grandes volumes de dados. Possui habilidades de desenvolvimento de softwares, estatística, matemática e análise de dados.

  • Designer de UI (Interface do usuário): este designer trabalha para tornar a interface de um aplicativo simples e funcional. Possui conhecimento em design de interações e programação básica, entende profundamente sobre visual design, como psicologia das cores, gestalt, tamanho de dispositivos, formas.

  • Designer de UX (Experiência do usuário): este designer trabalha para melhorar a experiência do cliente, aumentando a facilidade de uso e o aproveitamento de um aplicativo ou site. Possui habilidades de criar wireframes, mapas de navegação, fluxo do usuário, teste de usabilidade, entrevistas com usuários e prototipação.

  • Designer de produto: é o profissional que além de entender de UX e UI, também entende de negócios, sendo responsável por levar a visão do usuário para a empresa. Entre as habilidades estão: análise de demandas tecnológicas, desenvolver produtos internos e externos e benchmarking.

  • DevOps: esse profissional preenche a lacuna entre o desenvolvimento e as operações de negócios. Sua responsabilidade é otimizar a comunicação e a colaboração durante o desenvolvimento de software, controle de qualidade, teste e implantação.

  • SRE (Engenheiro de confiabilidade do site): esse profissional é responsável pelo desenvolvimento, manutenção e operação eficazes de um software ou sistema. Sua função combina as habilidades das equipes de desenvolvimento com as de operações, pois tem responsabilidades que abrangem ambas as áreas.

  • Cientista de dados: é o profissional responsável por liderar o desenvolvimento de ferramentas ou técnicas para trabalhar com grande volume de dados. As habilidades incluem raciocínio analítico para reconhecer e prever tendências, especificar necessidades, identificar pontos cegos e saber tomar decisões.

  • Engenheiro de dados: é o responsável por desenvolver o fluxo e a estrutura de armazenagem e apresentação dos dados, transformando os dados brutos em informações que podem ser analisadas. Com perfil mais técnico, o cargo exige conhecimentos e habilidades de programação avançada, engenharia de software e Big Data.

  • Marketing Digital: esse profissional cuida da implementação das estratégias de inbound marketing, garantindo a produção e publicação de conteúdos relevantes com o objetivo de atrair, engajar e converter clientes. Sendo fundamental para o relacionamento com o público e a construção da identidade institucional da empresa.

  • Marketing de Conteúdo: cria estratégias de inbound marketing, garantindo a produção e publicação de conteúdos relevantes (textos, vídeos, ebooks, posts em redes sociais) sobre os produtos ou serviços da empresa.

  • Product Owner (PO): responsável por organizar as atividades e os sprints, desde constituir as etapas de desenvolvimento, implementação e lançamento de recursos em produtos. Possui habilidades de desenvolvimento e de gerenciamento para garantir que os esforços da equipe sejam direcionados para melhoria do projeto.

  • Product Manager: responsável por alinhar os esforços da equipe no desenvolvimento do produto, de modo que as ações sigam em sintonia com os objetivos estratégicos. Também é responsável por criar e implementar melhorias e desenvolver a experiência do usuário com o produto.

  • Social Media: responsável pela administração das mídias sociais da empresa, como Facebook, LinkedIn, Instagram, entre outros. Possui habilidades para criar, publicar, atualizar e monitorar conteúdo e interagir estrategicamente com o público.

  • Web Designer: é o híbrido entre um designer e Desenvolvedor Front-End, com conhecimentos de HTML, CSS e JavaScript. Possui habilidades de criação para web, landing pages, sites, hotsites, emails marketing, newsletter, banners para sites, etc.

Revelo: sua plataforma de recrutamento tech

recrutadores de profissionais de tecnologia

Agora que você já conhece os principais termos do Vocabulário Tech, será mais simples selecionar os profissionais de acordo com as habilidades desejadas.

Na Revelo você contrata profissionais de tecnologia qualificados de acordo com as habilidades desejadas. Além disso, com o Revelo Remoto, o processo seletivo pode ser feito 100% online, desde a entrevista até a assinatura do contrato.

Benefícios que só a Revelo oferece

  • Descreva o perfil, escolha os candidatos e faça as entrevistas na plataforma;
  • Receba uma seleção apenas de perfis compatíveis com a vaga;
  • Selecione os candidatos por habilidades ou experiências profissionais;
  • Utilize uma plataforma com engajamento efetivo de 9 entre 10 candidatos;
  • Solicite suporte especializado para buscar os melhores talentos para sua empresa.

Related Posts