Gestão de pessoas nas organizações: 11 acertos e 7 erros ao alinhar os recursos humanos

0
Share

Uma boa gestão de pessoas é essencial em qualquer organização.

Ela trata do capital mais valioso da empresa: os recursos humanos.

O produto, o serviço, a missão e os valores de um negócio são sustentados não apenas pela dedicação do gestor, mas também pela soma dos esforços de todos os colaboradores.

Quando a gestão de pessoas falha, os indicadores sofrem: a produtividade no trabalho, as vendas, o faturamento e a qualidade de vida.

Por isso, para que você mantenha os colaboradores alinhados com os objetivos da organização, nós preparamos este guia.

Neste post, você vai tirar suas dúvidas sobre os seguintes tópicos:

  • Como é a gestão de pessoas na prática
  • Qual é a importância da gestão de pessoas
  • O que grandes líderes da indústria dizem sobre o assunto
  • Regras básicas para gerir pessoas de olho no futuro.

O que é a gestão de pessoas

A gestão de pessoas é a administração dos recursos humanos da organização.

Trata-se de uma das funções mais importantes do diretor da empresa e do setor de RH.

Muita gente acha que a gestão de pessoas se resume à motivação, mas isso não é verdade.

Ela começa no processo de seleção e recrutamento, passa pelo treinamento e capacitação do colaborador e se desenvolve no dia a dia da organização, de diversas formas.

Alguns dos principais aspectos da gestão de pessoas são os seguintes:

  • Tratamento dos superiores aos funcionários
  • Remunerações
  • Metas periódicas
  • Feedbacks
  • Atenção à voz do colaborador
  • Controle da produtividade
  • Resolução de conflitos
  • Condições técnicas para o trabalho
  • Capacitação para o desenvolvimento das atividades
  • Flexibilização da jornada e do ambiente de produção
  • Plano de carreira e progressão.

Importância da gestão de pessoas nas organizações

A importância da gestão de pessoas é total, como veremos a seguir.

E ela começa lá no início, no recrutamento e seleção dos colaboradores.

Alguns dos principais líderes dos mundo dos negócios alertam há tempo para esse fato:

  • Jack Welch, considerado um dos grandes gestores do mundo: “Se você escolhe as pessoas certas e dá a elas a oportunidade para estender suas asas e também os benefícios como suporte, você quase não precisa geri-las”
  • Bill Gates, bilionário e filantropo que fundou a Microsoft: “A concorrência para contratar os melhores vai aumentar nos próximos anos. Organizações que dão flexibilidade extra para os seus funcionários terão vantagem nessa área”
  • Steve Jobs, cofundador da Apple: “O segredo do meu sucesso é que nós fizemos esforços extraordinários para contratar as melhores pessoas do mundo”
  • Jim Collins, especialista em gestão de empresas: “Uma grande visão sem grandes pessoas é irrelevante”.

Mas apenas escolher as pessoas certas não basta.

Você precisa geri-las adequadamente para potencializar os seus talentos e características.

Como fazer isso? É o que vamos descobrir em seguida. Antes, é bom prestar atenção ao próximo tópico, no qual você descobre quanto ganha ao aplicar as melhores táticas de gestão de pessoas.

Por que investir na gestão de pessoas

Uma boa gestão de pessoas ajuda a empresa a crescer mais rápido e de forma sustentável.

Veja abaixo alguns de seus principais benefícios:

Produtividade

Pessoas motivadas, que sabem por que estão trabalhando e qual o objetivo de seu esforço, tendem a produzir mais – e melhor.

Se elas se sentem recompensadas e valorizadas, vão desempenhar sua função com maior dedicação.

Para um desenvolvedor de software, a diferença pode ser a de escrever 50 linhas a mais de código em um dia ou a de propor duas soluções criativas para um problema que ninguém estava conseguindo resolver.

Para um analista de Business Intelligence, a diferença pode ser a descoberta de novos insights sobre alguns indicadores com os quais você não estava satisfeito ou até a repaginação do dashboard de marketing dos gestores da empresa.

Retenção de talentos

Como vimos na fala dos gestores de algumas das maiores empresas americanas, os talentos são as peças mais importantes da engrenagem de sua organização.

Por isso, além de descobrir as melhores maneiras de recrutá-los, você precisa se esforçar ao máximo para mantê-los.

Esse é um dos alicerces da gestão de pessoas.

A retenção de talentos permite que sua empresa solucione problemas de longo prazo de forma mais rápida, mais assertiva e mais eficiente.

Isso é possível porque as grandes mentes da organização detêm grande conhecimento a respeito do seu mercado e do seu negócio e assim conseguem resultados melhores em menos tempo.

Por outro lado, se a rotatividade de colaboradores for grande, você perderá tempo demais em capacitação, treinamento e adaptação dos funcionários.

Essas horas poderiam ser dedicadas à busca dos atalhos que levam a sua empresa para o sucesso.

Reforço da cultura da empresa

A manutenção da cultura da empresa é uma parte muito importante de qualquer negócio que busque a longevidade e a sustentabilidade. Trata-se da soma dos valores, missão e objetivos da organização e do comprometimento dos colaboradores no suporte a esses pilares fundamentais.

Dessa forma, mesmo que um colaborador deixe a empresa ou que haja um imprevisto no andamento do negócio, as peças principais se encarregam de se remodelar para que o conjunto não perca a direção rumo às metas.

Satisfação dos colaboradores

Uma boa gestão de pessoas eleva o grau de satisfação dos colaboradores e a qualidade de vida no trabalho.

Eles sabem para onde estão indo, qual é a sua função na empresa, como progredir na carreira e com quem falar quando surgir um problema.

Essa é a chave para um ciclo que se retroalimenta: invista nos recursos humanos para ter um retorno ainda maior.

7 erros da gestão de pessoas

A gestão de pessoas se dá, muitas vezes, em pequenos detalhes do cotidiano. 

Possivelmente, você já viu alguns destes equívocos em muitas organizações:

  1. Desprezar a importância dos recursos humanos
  2. Apostar apenas na inteligência e não na integridade das pessoas
  3. Acusar injustamente os colaboradores e reprimir demasiadamente
  4. Pensar apenas em números
  5. Ignorar a tecnologia e a inovação
  6. Esquecer o trabalho em equipe
  7. Falhar na comunicação e no diálogo com os colaboradores.

11 acertos na gestão de pessoas na organização

Pronto, agora você entendeu a importância do trabalho de gestão das pessoas e descobriu alguns dos erros cometidos em muitas empresas.

É hora de se concentrar, portanto, nos acertos que vão fazer a diferença na sua organização e nos seus resultados:

1. Definir a missão da empresa

Para atrair os melhores talentos para sua empresa, você precisa definir o verdadeiro propósito de sua organização.  

É hora de se perguntar:

  • Qual é o problema que você quer resolver?
  • Quais são as soluções e benefícios que você vai oferecer para seus clientes?
  • Quais são as características que vão moldar a cultura da sua empresa?

Essas respostas serão muito úteis para entender exatamente que tipo de profissional você deve contratar e, depois, quais valores transmitir para que ele colabore, de fato, para a jornada de crescimento de sua organização.

2. Contratar bem

O processo de seleção e recrutamento deve começar logo depois do item anterior. Com a definição da cultura da empresa, você atrai as pessoas certas.

Agora, é o momento de escolher os melhores talentos para compor o seu time. E como fazer isso?

Uma opção é usar uma plataforma de recrutamento, como a Revelo, que conecta os profissionais certos com as melhores vagas e empresas.

Para isso, a plataforma usa machine learning e um processo inovador de análise de características e competências do candidato para indicar apenas os melhores nomes para sua organização.

Essa alternativa deve ser aliada a um esforço do departamento de RH para reduzir ao máximo o tempo de contratação e trazer para a equipe apenas os melhores colaboradores.

3. Dedicar-se ao treinamento

Depois de contratar, o gestor e o RH precisam se dedicar para que o colaborador entenda o espírito de sua empresa e logo possa lapidar suas competências para aproveitar ao máximo seu potencial em prol dos resultados de sua organização.

Para isso, não basta aquele tour inicial mostrando cada departamento.

Você precisa apresentar em detalhes o que espera dele, como ele pode colaborar, quais são as tarefas demandadas e quais são os caminhos para ele crescer dentro da empresa.

4. Oferecer boas remunerações

O salário não é tudo, mas é um começo. Todo mundo precisa pagar suas contas, e ninguém rende e produz adequadamente quando está preocupado por estar com o saldo negativo no banco.

Na hora de definir as remunerações, faça um planejamento minucioso e estude quanto as empresas concorrentes estão pagando.

Lembre-se: parte do sucesso em atrair talentos é saber valorizá-los financeiramente.

5. Estipular metas

Se você quer potencializar os grandes talentos contratados, deve construir metas que servirão para engajá-los e motivá-los a atingir os resultados necessários para o crescimento da empresa.

Para isso, você pode estipular benefícios para quem vender mais, para quem produzir mais, para quem encontrar soluções para problemas do cotidiano, para quem obter o máximo de eficiência, entre outros.

6. Definir planos de carreira

Quando um colaborador talentoso dá seus primeiros passos para dentro da empresa, ele quer saber como poderá se destacar, mostrar seu valor e crescer.

Então, desde a sua chegada, desenhe e apresente o que ele deverá fazer, quais tarefas deverá cumprir e como ele precisará se portar para chegar lá.

Uma linha do tempo com a possível progressão na carreira pode ajudar: em dois anos, ele pode atingir este ponto; em quatro anos, pode alcançar aquele nível e, dentro de cinco anos, pode se encontrar naquela posição hierárquica.

Tudo isso vai servir para mostrar que depende dele a progressão na carreira e na empresa, e que sua dedicação vai fazer a diferença para que isso ocorra.

7. Criar e monitorar os indicadores

A gestão de pessoas requer o uso, a análise e a apresentação de indicadores confiáveis.

Veja alguns deles:

  • Qual é o nível de satisfação dos trabalhadores?
  • O que eles acham das condições técnicas oferecidas?
  • Como está o engajamento em atividades fora do ambiente de trabalho? Como andam as metas de produção e eficiência?
  • Qual é a evolução do faturamento?
  • Qual é a taxa de retenção de talentos?
  • Qual é o número absoluto e relativo de demissões e contratações?

8. Dar e pedir feedback

Se você quer manter uma boa gestão de pessoas, é importante que o gestor e o RH lidem diretamente com as dores dos colaboradores. Para isso, defina uma periodicidade para reuniões de feedback.

Nelas, deixe que os colaboradores falem sobre os problemas e dificuldades encontrados ao longo da jornada e, depois, exponha o que pode ser feito para melhorar essas questões.

Por fim, apresente pontos que podem ser aprimorados no trabalho do profissional.

9. Flexibilizar a jornada

Para uma boa gestão de pessoas nesta década, vale a pena esquecer as distinções entre as gerações.

Com a conectividade e as possibilidades de trabalho oferecidas pela internet, todos querem maior flexibilidade em sua jornada.

Essa ideia pode representar um dia de home office, uma maior mobilidade física dentro do escritório, o trabalho remoto ou apenas a liberdade para que o colaborador possa pedir, de vez em quando, devido a algum compromisso ou urgência, para fazer suas tarefas de casa.

Você vai ver que essa pequena liberdade pode render excelentes frutos, maior comprometimento no longo prazo e melhores resultados.

10. Ficar atento à inovação

Se você quer dominar a gestão de pessoas, precisa ficar atento à inovação.

Ela se dá no momento da contratação (por exemplo, adotando uma plataforma de recrutamento para auxiliar no processo), na hora de capacitação e ao longo de toda a jornada do profissional na empresa.

Hoje existem softwares e tecnologias que auxiliam a reduzir consideravelmente o tempo gasto em tarefas manuais e repetitivas.

Por isso, fique atento a todas as possibilidades de aproveitar o talento dos seus colaboradores de forma mais estratégica e menos operacional.

Automatizações em softwares de gestão, encaminhamentos automáticos de email, armazenamento e colaboração na nuvem e atendimento auxiliado por inteligência artificial são apenas algumas alternativas à disposição hoje.

11. Ser diplomático

Para gerir pessoas, você precisa, muitas vezes, esquecer os números e se concentrar nas palavras e na comunicação.

No fim das contas, a satisfação no trabalho está muito ligada ao conforto, à segurança, ao respeito e à valorização do talento por parte dos gestores.

Assim, é importante conduzir reuniões de feedback de forma privativa, ouvir atentamente às reclamações dos colaboradores, oferecer alternativas e vias de comunicação diretas e indiretas e usar um tom respeitoso e conciliador em todos os momentos.

Não há espaço hoje para um chefe e líderes de equipe que exageram nas cobranças, que não sabem lidar com vozes discordantes e que não adotam a diplomacia para gerir as relações de trabalho e contornar ruídos de comunicação.

Gostou das dicas para a gestão de pessoas na sua empresa? Compartilhe este artigo nas redes sociais.

Related Posts